Alfa Romeo 164

 

[Nome] André Franco
[Cidade] Santana de Parnaíba
[Estado] SP
[E-mail] alfacorse@ig.com.br

[Versão] Super 3.0 24 válvulas
[Ano-modelo] 1995
[Combustível] Gasolina
[Quilometragem atual] 104.000
[Tempo há que possui] De 3 a 5 anos

[Grau de satisfação com o carro] Muito satisfeito
[Grau de satisfação com a rede de concessionárias] Insatisfeito

[Estilo] 5
[Acabamento] 3
[Posição de dirigir] 4
[Instrumentos] 4
[Itens de conveniência] 4
[Espaço interno] 4
[Porta-malas] 4
[Motor] 5
[Desempenho] 5
[Consumo] 3
[Câmbio] 4
[Freios] 3
[Suspensão] 3
[Estabilidade] 4
[Segurança passiva] 3
[Custo-benefício] 2

[Principais aspectos positivos] Projeto Pininfarina, um absoluto “capo lavoro” como todo esportivo italiano costuma ser. No mercado desde 1987, não teve em sua concorrência contemporânea algo que chegasse perto em termos de design. Apesar dos tradicionais “Alfisti” torcerem o nariz para sua tração dianteira, pouco há do que reclamar em sua dinâmica. Seu escultórico 3 litros com dutos de admissão cromados, fazem dos motores modernos, envoltos por coberturas plásticas, parecerem de brinquedo. Com generosos 28 Kgf.m lá nas 5000 r.p.m. não é carro para motorista comum, pois exige que se “busque” a potência por parte da correta troca de marchas e em giro alto, nessas condições o automóvel demonstra-se extremamente forte e rápido. Em giros mais baixos não decepciona, roda suave e com sensação de folga transmitida pelo ronronar do V6 e seu consumo fica aquém das expectativas, excelente para a capacidade cúbica. Seu habitat natural são as estradas, lá toda sua capacidade e potência ficam à espreita de seu comando. Sua estabilidade deve ser destacada, em curvas de alta é um trem sobre trilhos, sua suspensão tem comportamento absolutamente irrepreensível nesse aspecto. Em curvas mais fechadas não é tão boa quanto a 155(carro parâmetro nesse quesito), sai um pouquinho de frente, mas a correção é simples.

[Principais aspectos negativos] A política da Fiat em não emancipar seus “filhos” em termos de vendas e assistência, fez com que verdadeiros “Stradivarius” fossem vendidos e consertados por tocadores de Banjo(sem desmerecer o instrumento). Nessa onda a marca foi ficando com sua reputação desgastada; com preços módicos muitas pessoas compraram o “sonho italiano”, mesmo que usado, mas esqueceram de fazer a manutenção requerida e assim a desvalorização aumentou. É verdade que o carro tenha seus calcanhares de Aquiles como a suspensão, definitivamente inviável para o solo lunar…oops perdão, paulistano. Nessa condição, vira item de constante manutenção. Já correias e esticadores dependem apenas da atenção do dono. Entretanto acredito que o maior cuidado deva ser dado ao local escolhido para a manutenção. A grossa maioria não tem know-how para reparar corretamente o veículo.

[Defeitos apresentados] Nunca me deixou na mão, sempre “avisou” antes, o motor é robustíssimo, depois de mais de 100 mil km não apresenta vibrações ou qualquer sinal de cansaço. Já troquei pivôs da suspensão dianteira inúmeras vezes, amortecedores e batentes. No motor já troquei todas as correias e esticadores(bastante caros), tive também problemas com o MAF(resolvi comprando um usado, dada a inviabilidade de custo da peça no balcão de concessionária). Alguns problemas elétricos parecem ser intrínsecos à marca. Resumo: estou com o carro ainda, pelo prazer que me oferece…qualquer economista ou pessoa de bom senso me reprovaria.

[Concessionárias] Não utilizo, mas grande parte dos colegas de marca que utilizaram, reprovaram.

[Comentários adicionais] Tem que gostar de Alfa Romeo, estar preparado para eventuais manutenções caras. Uma vez afinada a macchina deverá proporcionar mais prazer do que a maioria dos carros. Obrigatoriamente carro de garagem, não recomendo seu uso citadino.

[Best Cars Web Site] É um prazer poder contribuir a quem tanto nos ensina, mestres Fabrício e Bob Sharp.

[Data de publicação] 8/3/08


[Nome] Celso Silva
[Cidade] São Paulo
[Estado] SP
[E-mail] não publicado a pedido

[Versão] 3.0 24v
[Ano-modelo] 1995
[Combustível] Gasolina
[Quilometragem atual] 2000
[Tempo há que possui] De 1 a 3 anos

[Grau de satisfação com o carro] Insatisfeito
[Grau de satisfação com a rede de concessionárias] Não utilizo

[Estilo] 5
[Acabamento] 5
[Posição de dirigir] 5
[Instrumentos] 5
[Itens de conveniência] 5
[Espaço interno] 5
[Porta-malas] 4
[Motor] 1
[Desempenho] 5
[Consumo] 2
[Câmbio] 4
[Freios] 3
[Suspensão] 3
[Estabilidade] 4
[Segurança passiva] 3
[Custo-benefício] 1

[Principais aspectos positivos] Estilo e potencia do motor

[Principais aspectos negativos] Não existem mecânicos especializados nela.Custo de manutenção astronômico,

[Defeitos apresentados] Quebra de motor,defeitos de parte elétrica,escapamento parece ser feito de papel …sem contar com problemas de injeção eletrônica constantes.Desvalorização assustadora.

[Comentários adicionais] Um verdadeiro mico…..talvez um King Kong. Não consigo me livrar deste encosto.

[Data de publicação] 8/3/08


[Nome] Luis Fellipe Justy
[Cidade] Curitiba
[Estado] PR
[E-mail] luis@idealcase.com.br

[Versão] 3.0 V6 12V
[Ano-modelo] 1995
[Combustível] Gasolina
[Quilometragem atual] 135.000
[Tempo há que possui] Até 1 ano

[Grau de satisfação com o carro] Muito satisfeito
[Grau de satisfação com a rede de concessionárias] Insatisfeito

[Estilo] 5
[Acabamento] 5
[Posição de dirigir] 5
[Instrumentos] 5
[Itens de conveniência] 5
[Espaço interno] 5
[Porta-malas] 5
[Motor] 5
[Desempenho] 5
[Consumo] 2
[Câmbio] 4
[Freios] 4
[Suspensão] 5
[Estabilidade] 5
[Segurança passiva] 5
[Custo-benefício] 4

[Principais aspectos positivos] É um italiano. Conforto, motor, potência e design fantásticos. Conheço pessoas – empresários, profissionais liberais – que realmente têm dinheiro para comprar qualquer carro, mas quando falo que tenho um Alfa 164 ouço “saudades do que eu tive” ou “já tive um, estou procurando outro”. Não compara-se a BMWs e Audis da mesma época. Se em bom estado, chama a atenção por onde passa. Carro forte, robusto, para pessoas exigentes e de bom gosto, que gostam e principalmente entendem e sabem o carro que têm na mão.

[Principais aspectos negativos] Baixo valor de revenda: O estado da grande maioria dos Alfas – decorrente do pouco tempo de importação (91-98 se não me engano) depreciou muito o valor de mercado. Não há alfas novos, logo, máquinas dessas em bom estado são raras. Já vi alfas 164 por 14 mil, mas com problemas mecânicos sérios, acabamento destruído e repleta de remendos. Dica: se tens uma em bom estado, venda para pessoas que sabem o que estão comprando ou colecionadores. Carros como esse inteiros e bem revisados não têm preço. Não vá pela tabela, negocie pelo estado. Manutenção: Sim, a manutenção dos Alfas é complicada. É um carro fora de linha, as autopeças não têm estoque, tudo é importado e, principalmente, não é qualquer um que é apto a mexer em seus componentes. Deve-se procurar pessoas que têm experiência com carros desse tipo, que conheçam o “caminho das pedras”. Tenha uns dois ou três mecânicos de confiança Dá para ter um alfa sim, mas junto com ele muita paciência para pesquisar e ir atrás de peças e profissionais qualificados. Se, ao apresentar o carro para um mecânico ele titubear ou demorar para encontrar o problema, fuja. Muitos nem fazem questão de mexer. Nesse caso, não insista com mecânicos que tentam te dispensar, nem sinta-se deprimido: Há oficinas em que alfas são como Gols. Dê preferência. Se você não tem tempo nem dinheiro para isso, procure os nacionais 1.0.

[Defeitos apresentados] Servo freio (diafragma) – R$ 350,00 para recondicionar, mangueiras do arrefecimento partidas (R$ 120,00 para refazer) e cabo do acelerador rompeu (R$ 430,00). Para um carro 95, normal.

[Concessionárias] Em Curitiba havia uma autorizada Alfa, que hoje não existe mais. Diz a lenda do pergaminho sagrado que as concessionárias FIAT fazem o serviço. Mentira. Eles fogem dos Alfas.

[Comentários adicionais] Se você tem uma Alfa 164, enjoy!

[Best Cars Web Site] Excelente referência para quem gosta e entende de carros. Fonte de informação fantástica.

[Data de publicação] 26/1/08

 

SEM COMENTÁRIOS