Yamaha XVS 950 Midnight Star

Yamaha Midnight Star

 

Participe: envie opinião sobre sua moto

 

[Nome] Fernando Neves
[Cidade] Paragominas
[Estado] PA

[Motor] 950cc
[Ano-modelo] 2013
[Quilometragem atual] 10.000 km
[Combustível] Gasolina
[Tempo há que possui] Até 1 ano

[Grau de satisfação com a moto] Insatisfeito(a)
[Grau de satisfação com a rede de concessionárias] Insatisfeito(a)

[Estilo] 5
[Acabamento] 5
[Posição de pilotar] 4
[Instrumentos] 2
[Conforto] 4
[Motor] 5
[Desempenho] 5
[Consumo] 4
[Câmbio] 5
[Freios] 3
[Suspensão] 4
[Estabilidade] 5
[Custo-benefício] 3

[Principais aspectos positivos] Design, porte, torque em baixas rotações. A moto é bonita, atrai os olhares, tem boa suspensão para uma custom. O consumo não é tão elevado, faço na estrada entre 18,5 e 20 km/l. Na cidade com trânsito pesado faz 13 km/l, quando estou na capital em Belém. Como moro no interior, sem trânsito, ela faz 17 km/l ciclo urbano. Gosto da posição de pilotagem, como se estivesse sentado num sofá, o banco é mais confortável que a minha antiga Shadow 750, mas a garupa sofre um pouco. É uma moto que não dá muitos problemas mecânicos, nem elétricos. Adoro seu desempenho na estrada, fazer ultrapassagens com garupa apenas acelerando suavemente e ver o ponteiro chegar facilmente aos 140 km/h é uma delícia. Nunca precisei ficar virando o punho para conseguir força. Chega aos 160 km/h com facilidade, mas nunca tentei mais que isso.

[Principais aspectos negativos] A moto tem dois problemas crônicos. O primeiro é o motor de partida que descolam os ímãs. Isso acontece com todas. Se não quebrar os ímãs pode colar de novo, mas se quebrar um motor novo custa R$1,7 mil ou se compra somente a carcaça por R$ 500,00 no ML. O problema mais grave é o sistema de transmissão que tem erro de projeto. A correia começa a chiar (em 90% das motos esse chiado aparece e não tem solução definitiva) e o sistema se desgasta com facilidade, principalmente a polia traseira. É um sistema para durar no mínimo 80.000 km, mas que dá problema bem antes disso. No meu caso a polia começou a apresentar desgaste acelerado aos 7.000 km. Muitos proprietários tiveram que trocar antes do tempo e o kit novo custa a bagatela de R$ 7 mil. Correia: R$ 2,4 mil + pinhão R$ 900,00 + polia R$ 3,8 mil. E não tem correia paralela no mercado, pois é uma medida que só serve na Midnight. A solução é comprar um kit paralelo de uma empresa chamada MMM3MOTOS que vende por R$ 3.140,00 o kit de transmissão completo e resolve de vez, mas que tem de mexer no sensor de velocidade e alterar a relação pinhão-correia-polia. Isso é uma sacanagem da Yamaha, que nos obriga a procurar uma solução paralela e vende peças de reposição por um problema de projeto e qualidade das peças, a um preço totalmente absurdo. Uma correia da HD se compra por R$ 1,2 mil. Eu não preciso ainda trocar a polia, mas me causou muito desgosto com o produto e coloquei à venda. Estou esperando comprador. Eu participo de três grupos no Facebook, um fórum online e uma grupo do whatsapp, e esse problema da transmissão e do arranque é constante, sendo objeto da busca de inúmeras soluções. Teve gente que até colocou um calço entre a polia e o cubo para melhorar o alinhamento da correia.

[Defeitos apresentados] Motor de arranque descolaram os ímãs com 7.000 km. Correia apresenta chiados, que só desaparecem lavando e usando algum produto, como parafina ou spray para correia. Mas o chiado volta depois de roda uns 500 a 700 km. A polia traseira tem desgastado além do normal por problema de projeto na transmissão e a baixa qualidade do material da polia, que é feito de um material muito porcaria.

[Concessionárias] No manual diz que a transmissão tem que ser verificada o tensionamento a cada 4 mil km, porém os mecânicos não foram treinados para verificar isso e fazem o trabalho da forma errada, gerando prejuízos aos proprietários. No meu caso os mecânicos faziam o alinhamento e o tensionamento com a moto no descanso lateral, quando o manual de serviços diz que a roda traseira tem que estar no ar. Isso piora os problemas de desgaste anormal da transmissão.

[Comentários adicionais] Se não fosse o problema da transmissão e o preço absurdo cobrado da Yamaha, seria a melhor moto custom do mercado. A Yamaha cobra um preço pelas peças acima de motos de categoria superior, como as HD’s de R$ 72 mil, mas a marca é “popular”. Nada justifica essa política da Yamaha, a não ser a ambição por lucros em prejuízo do consumidor.
Esse problema de projeto deveria ter sido objeto de recall, bastaria refazer a polia traseira, corrigindo o problema de alinhamento e fabricando com um material de melhor qualidade, como fez a empresa MMM3MOTOS, e que por isso todos os proprietários estão trocando o kit todo pela solução desta empresa. Será que a Yamaha não vê o absurdo desta situação e que é a prova de um erro que insiste em não admitir???

[Best Cars] Há muitos anos acompanho este site, e toda vez que vou comprar uma moto/carro leio as opiniões de proprietários aqui. Por isso considero de extrema importância este site. Infelizmente, nos comentários anteriores ninguém havia comentado sobre os problemas da Mid, e por isso adquiri a moto, causando-me decepção com o produto, e até muita revolta como consumidor da Yamaha (minha 4a moto da marca). Por isso resolvi escrever aqui, para que outros consumidores possam saber dos prós e contras do modelo decidam comprar, ou não, de forma consciente.

[Data de publicação] 15/12/17

 

 

[Nome] André Roz
[Cidade] Santo André
[Estado] SP

[Motor] 950
[Ano-modelo] 2009
[Quilometragem atual] 20.000 km
[Combustível] Gasolina
[Tempo há que possui] De 1 a 3 anos

[Grau de satisfação com a moto] Muito satisfeito(a)
[Grau de satisfação com a rede de concessionárias] Parcialmente satisfeito(a)

[Estilo] 5
[Acabamento] 5
[Posição de dirigir] 5
[Instrumentos] 4
[Conforto] 5
[Motor]
[Desempenho] 4
[Consumo] 4
[Câmbio] 4
[Freios] 5
[Suspensão] 4
[Estabilidade] 4
[Custo-benefício] 4

[Principais aspectos positivos] Moto linda, segura, com boa potência, boa autonomia, estável. Motor suave e elástico, nunca falta potência. Apesar de grande e pesada, depois que está em movimento é extremamente fácil de pilotar. É possível viajar em velocidade de cruzeiro acima de 140 km/h sem forçar em nada o motor. Consumo compatível com a cilindrada, viajando no limite da estrada, entre 100 e 120 km/h, é possível fazer mais de 20km/l com tranquilidade. O tanque grande garante pelo menos 220km de autonomia, mas já cheguei a rodar 300km sem parar pra abastecer. O seguro é uma merreca, minha moto vale mais de R$ 20.000,00 e pago R$ 1.300,00 na Porto Seguro.

[Principais aspectos negativos] Não vejo nada a destacar. Sinto falta de um conta-giros, mas não é a proposta de moto custom. As pedaleiras são bem largas e baixas, extremamente confortáveis, mas raspam com muita facilidade nas curvas. Por um lado isso até é bom, pois inibe abusos do piloto. Se não fossem as pedaleiras daria pra fazer curvas muito rápido pois a moto é estável.
Rodando na cidade não tenha pressa e esqueça corredores estreitos, ela não foi feita para isso. Se pegar trânsito pesado o motor esquenta um pouco as pernas.

[Defeitos apresentados] Nunca apresentou defeitos, o máximo que aconteceu foi a correia dentada afrouxar e começar a pular um pouco, mas uma simples regulagem na oficina resolveu.

[Concessionárias] Nas vezes que procurei peças achei o atendimento ruim e os preços muito altos. Prefiro oficinas particulares.

[Comentários adicionais] Minha melhor moto até hoje. Tenho vontade de trocar por uma maior (Triumph Rocket 3) mas é pura “lombriga”, pois a Mid me atende bem em qualquer situação. A melhor parte, não só em relação não só à Midnight especificamente mas sim às motos estilo custom em geral, é o fato de não ser visada por ladrões. Andar praticamente sem medo de ser assaltado não tem preço. Pago seguro mais para ter uma assistência na estrada caso fure um pneu ou tenha alguma pane. Adoro speeds, nakeds e bigtrails, mas vou continuar nas custom por um bom tempo.

[Best Cars] Muito feliz pelo teste do leitor de motos ter voltado. Já havia pedido inúmeras vezes por e-mail. É praticamente um serviço de utilidade pública. Parabéns ao BCWS por isso, e também pelo site como um todo.

[Data de publicação] 23/9/16

 

 

[Nome] Vinicius Renato Martini
[Cidade] Brasília
[Estado] DF

[Motor] 942
[Ano-modelo] 2010
[Quilometragem atual] 30.000 km
[Combustível] Gasolina
[Tempo há que possui] Mais de 5 anos

[Grau de satisfação com a moto] Muito satisfeito(a)
[Grau de satisfação com a rede de concessionárias] Insatisfeito(a)

[Estilo] 5
[Acabamento] 4
[Posição de dirigir] 5
[Instrumentos] 4
[Conforto] 5
[Motor] 4
[Desempenho] 3
[Consumo] 5
[Câmbio] 2
[Freios] 4
[Suspensão] 5
[Estabilidade] 5
[Custo-benefício] 5

[Principais aspectos positivos] A moto é linda de qualquer ângulo, a ciclística é impecável e a posição de pilotar é muito confortável. Além disso há um gancho pra prender capacetes embaixo do assento, muito prático. Os freios só não ganham nota 5 por não ter ABS, mas são muito competentes.

[Principais aspectos negativos] O as relações do câmbio são muuuito curtas, o que torna a pilotagem desconfortável em velocidades superiores a 100km/h. O motor é “torcudo” o suficiente pra ter relações mais longas sem prejudicar o desempenho. Eu mesmo realizei um alongamento da relação trocando a coroa, o que melhorou muito o conforto da moto em viagens, mas gostaria de ter a moto originalmente com relações mais longas.

[Defeitos apresentados] nada além da manutenção típica

[Concessionárias] Horrorosa. Não sei como a Yamaha ainda não se tocou que o que impede o seu crescimento no Brasil é a rede de concessionárias. A mão-de-obra é horrível e as peças são inexplicavelmente caras. A rede de concessionárias inclusive já me causou prejuízo. Uma rosca foi espanada na tampa do motor (o acabamento cromado) e tenho certeza que foi erro do mecânico na revisão de 10 mil km. A concessionária se recusou a admitir, a peça custa uma fortuna e até hoje não troquei.

[Best Cars] Adoro o site, sou leitor desde 2000, vejo a seção de notícias todos os dias e estou muito satisfeito pelo site incluir em suas publicações o universo duas rodas. Sugiro fazer um comparativo entre a Triumph Thunderbird Commander e todas as Harley-Davidson, pra mostrar como a HD só tem preço, e como há customs melhores no mercado, a exemplo da Indian Scout, já testada pelo site. Meus parabéns, e muito obrigado.

[Data de publicação] 26/8/16

 

[Nome] Pedro Luiz Gubert Brandt
[Cidade] Curitiba
[Estado] PR

[Ano-modelo] 2010
[Quilometragem atual] 10.000 km
[Tempo há que possui] De 1 a 3 anos

[Grau de satisfação com a moto] Muito satisfeito
[Grau de satisfação com a rede de concessionárias] Muito satisfeito

[Estilo] 5
[Acabamento] 4
[Posição de pilotar] 5
[Instrumentos] 4
[Conforto] 4
[Motor] 5
[Desempenho] 5
[Consumo] 5
[Câmbio] 5
[Freios] 5
[Suspensão] 4
[Estabilidade] 4
[Custo-benefício] 5

[Principais aspectos positivos] O desenho que para mim continua sendo o mais bonito da categoria. O motor tem um torque excelente, que dá boa segurança em ultrapassagens. A autonomia que proporciona longos trechos na estrada. O seguro bem baixo para uma moto.

[Principais aspectos negativos] O custo do pneu, principalmente o traseiro, pois é uma medida especial, fazendo com que o preço seja muitíssimo alto. Até agora não necessitei trocá-lo, mas a hora que precisar, vai doer no bolso. Outro detalhe refere-se à categoria da moto custom: é muito baixa, necessitando muito cuidado (leia-se velocidade baixa) nas curvas.

[Defeitos apresentados] Nenhum.

[Concessionárias] Até o momento sempre fui bem atendido e o serviço das manutenções regulares tem sido bom.

[Comentários adicionais] Valeu cada centavo pago. É só diversão nas estradas, apesar de que a suspensão não é muito confortável em estradas ruins, o que é comum em nosso país (que tem das maiores taxas de impostos do mundo, ou seja, muito dinheiro nos é roubado). A própria característica da moto custo a torna não apropriada para estradas de terra, limitando os locais a se visitar. Porém são características das motos custom, sendo que a Mid apresenta um equilíbrio interessante no quesito custo x benefício. O motor, apesar de não ser barulhento como alguns sonham, é muito agradável quando se faz uma viagem de mais de 500km – não cansa o ouvido. O farol tem uma potência muito boa para uma moto, dando bastante segurança em viagem noturna.
Enfim, após 10.000km (segunda avaliação) comprovei que fiz uma boa escolha. Certamente só sairei desta moto quando tiver cacife para trocar por uma bigtrail tipo Superteneré.

[Best Cars Web Site] Excelente, porém peca por não ter uma seção mais recheada para motos.

[Data de publicação] 30/6/12

[Nome] Sergio Mitusru
[Cidade] Matinhos
[Estado] PR
[E-mail] sergiomara21@hotmail.com

[Ano-modelo] 2011
[Quilometragem atual] 15.000 km
[Tempo há que possui] Até 1 ano

[Grau de satisfação com a moto] Muito satisfeito
[Grau de satisfação com a rede de concessionárias] Muito satisfeito

[Estilo] 5
[Acabamento] 5
[Posição de pilotar] 5
[Instrumentos] 3
[Conforto] 5
[Motor] 5
[Desempenho] 5
[Consumo] 5
[Câmbio] 5
[Freios] 5
[Suspensão] 5
[Estabilidade] 5
[Custo-benefício] 5

[Principais aspectos positivos] Tanque de gasolina de 17 litros,eh uma moto muito bonita,economica,torque, facil de pilotar.

[Principais aspectos negativos] Somente o velocimetro que fica sobre o tanque e dificulta um pouco a visao do velocimetro.

[Defeitos apresentados] Nao, fui a Argentina e Chile rodei 8700 km sem ter problema algum.Uma moto confiavel para longas viagens.

[Concessionárias] Nas duas vezes que precisei fazer as revisoes, fui bem atendido.

[Comentários adicionais] So posso dizer que esta moto eh muito boa e confiavel para divertir e viajar.

[Best Cars Web Site] Sempre que vou comprar um auto ou moto faco uma consulta no Best Car.Acho muito bom ter este site para consultar.

[Data de publicação] 30/6/12