Yamaha XTZ 250 Ténéré

Yamaha Tenere 250

 

Participe: envie opinião sobre sua moto

 

[Nome] Davi Rutigliano
[Cidade] Florianópolis
[Estado] SC

[Versão] Yamaha XTZ 250 Ténéré
[Motor] 250
[Ano-modelo] 2016
[Quilometragem atual] 1.000 km
[Combustível] Flexível
[Tempo há que possui] De 1 a 3 anos

[Grau de satisfação com a moto] Insatisfeito(a)
[Grau de satisfação com a rede de concessionárias] Insatisfeito(a)

[Estilo] 5
[Acabamento] 5
[Posição de pilotar] 5
[Instrumentos] 4
[Conforto] 3
[Motor] 5
[Desempenho] 5
[Consumo] 4
[Câmbio] 3
[Freios] 3
[Suspensão] 4
[Estabilidade] 4
[Custo-benefício] 2

[Principais aspectos positivos] Boa arrancada. Moto forte para quem precisa utilizar em regiões onde existam muitas ladeiras e morros, como no caso de Florianópolis. Boa altura (não recomendo para pessoas muito baixas). Não desenvolve bem velocidades altas, mas como meu perfil é de no máximo 75 km/h, considero essa característica como um benefício, apesar de outros considerarem uma deficiência.

[Principais aspectos negativos] Não pode ficar parada muito tempo, pois descarrega a bateria. Enferrujou fácil (aros), mas foram trocados na garantia. Freio não parece muito seguro, em especial o dianteiro, mas me acostumei. Drena muita energia da bateria com o alarme instalado (desliguei para diminuir a frequência de recarga da bateria). No quesito energia elétrica (descarga da bateria) não é moto para quem usa pouco.

[Defeitos apresentados] Enferrujou o aro dianteiro e traseiro; não pegou (ignição) mais de uma vez; logo na compra ela não ligou, mas comprei por achar que isso seria um detalhe, dado o fato de as pesquisas na internet mostrarem sempre informações positivas da moto. Concessionária alegou várias vezes que o defeito se originava de mal contato na fiação, mas o problema se repetiu. Estou atenuando o problema (da descarga da bateria) colocando um pedaço de borracha debaixo do pezinho e não utilizando o alarme. Depois que iniciei esse procedimento (borracha no pezinho) não tenho tido necessidade de recarregar a bateria (está em teste desde 05/05/2017).

[Concessionárias] Absolutamente insuficiente em Florianópolis. Um monopólio. Sempre que tenho algum problema tenho que ir no mesmo local. Pior de tudo é que a culpa foi atribuída a mim, por usar pouco. Chegaram a dizer que a bateria descarregava rápido por eu esquecer a chave ligada. A moto pode ser boa para a maioria dos usuários, mas isso não justifica um fanatismo desmedido por parte dos técnicos a ponto de considerarem o proprietário culpado dos defeitos da moto por usar pouco. Vai ver a moto deve ser boa demais para quem tem o meu perfil de uso.

[Comentários adicionais] Para o meu caso, não vale o preço que paguei (comprei zero). Comprei a moto por ter obtido muitas referências positivas, mas devo ter errado na avaliação do perfil moto/usuário. Na data deste post, estava com 1350 km. Moto adquirida em novembro de 2015.

[Best Cars] Esta seção opiniões sobre as motos ajuda, de fato, a qualificar o mercado e os consumidores. Trabalho muito importante o que tem sido feito aqui. Parabéns.

[Data de publicação] 16/6/17

 

 


[Nome] Deomar Reginaldo Freski
[Cidade] Florianopolis
[Estado] SC

[Versão] Ténéré ESD
[Motor] 250cc
[Ano-modelo] 2017
[Quilometragem atual] 10.000 km
[Combustível] Gasolina
[Tempo há que possui] Até 1 ano

[Grau de satisfação com a moto] Muito satisfeito(a)
[Grau de satisfação com a rede de concessionárias] Muito satisfeito(a)

[Estilo] 5
[Acabamento] 5
[Posição de pilotar] 5
[Instrumentos] 4
[Conforto] 5
[Motor] 4
[Desempenho] 4
[Consumo] 5
[Câmbio] 3
[Freios] 4
[Suspensão] 5
[Estabilidade] 5
[Custo-benefício] 5

[Principais aspectos positivos] confortável, econômica

[Principais aspectos negativos] falta 6ª marcha

[Defeitos apresentados] não

[Concessionárias] satisfatória

[Data de publicação] 16/6/17

[Nome] WAGNER
[Cidade] SÃO PAULO
[Estado] SP

[Versão] Yamaha Tenere 250cc 2012/2013
[Motor] 250
[Ano-modelo] 2013
[Quilometragem atual] 60.000 km
[Combustível] Gasolina
[Tempo há que possui] De 1 a 3 anos

[Grau de satisfação com a moto] Muito satisfeito(a)
[Grau de satisfação com a rede de concessionárias] Muito satisfeito(a)

[Estilo] 5
[Acabamento] 5
[Posição de pilotar] 5
[Instrumentos] 5
[Conforto] 5
[Motor] 5
[Desempenho] 5
[Consumo] 5
[Câmbio] 5
[Freios] 3
[Suspensão] 5
[Estabilidade] 5
[Custo-benefício] 5

[Principais aspectos positivos] melhor moto que ja tive de baixa cc. Muito macia, economica, mecanica sem erros ou recal … Otima..

[Principais aspectos negativos] freio dianteiro pessimo, precisa colocar melhorar ..

[Defeitos apresentados] troquei disco traseiro com 58 mil km e kit relação.

[Comentários adicionais] recomendo.

[Best Cars] otimo

[Data de publicação] 19/5/17

 

[Nome] Paulo Silva
[Cidade] Varginha
[Estado] MG

[Versão] Ténéré
[Motor] 250
[Ano-modelo] 2012
[Quilometragem atual] 20.000 km
[Combustível] Gasolina
[Tempo há que possui] Até 1 ano

[Grau de satisfação com a moto] Parcialmente satisfeito(a)
[Grau de satisfação com a rede de concessionárias] Parcialmente satisfeito(a)

[Estilo] 5
[Acabamento] 3
[Posição de pilotar] 4
[Instrumentos] 4
[Conforto] 3
[Motor] 4
[Desempenho] 4
[Consumo] 4
[Câmbio] 3
[Freios] 2
[Suspensão] 3
[Estabilidade] 4
[Custo-benefício] 4

[Principais aspectos positivos] Confiabilidade. Consumo; Manutenção; Torque

[Principais aspectos negativos] Barulhenta. Velocidade final. Freios fracos

[Defeitos apresentados] Não diria defeitos mas… A moto morria quando reduzia as machas rapidamente ou quando estava parado no sinal. Foi só regular a marcha lenta que parou. Ela esta fazendo uns barulhos no painel, como se estivesse algo solto. Faz um rec rec quando passo em buracos e lombadas

[Comentários adicionais] Estou a um mês com a moto, e andei 1100 km com ela, sendo 250 km de estrada de terra, apesar dos barulhos apresentados, a moto se comportou brilhantemente, passando imensa confiabilidade. obs.: se vc gosta de velocidade, essa não é a moto para você, ela é muito forte nas marchas mais lentas, mas na estrada fica pedindo sexta marcha e não desenvolve (velocidade de cruzeiro de 90km/h). Concluindo: Excelente moto, mas não é perfeita e pode não agradar quem gosta de um pouco mais de velocidade e que não gosta de barulho.

[Data de publicação] 24/3/17

 

[Nome] Tiago
[Cidade] Jaboatão dos Guararapes
[Estado] PE

[Motor] 250
[Ano-modelo] 2013
[Quilometragem atual] 60.000 km
[Combustível] Gasolina
[Tempo há que possui] De 3 a 5 anos

[Grau de satisfação com a moto] Muito satisfeito(a)
[Grau de satisfação com a rede de concessionárias] Parcialmente satisfeito(a)

[Estilo] 5
[Acabamento] 4
[Posição de dirigir] 4
[Instrumentos] 4
[Conforto] 4
[Motor] 5
[Desempenho] 3
[Consumo] 4
[Câmbio] 3
[Freios] 3
[Suspensão] 3
[Estabilidade] 4
[Custo-benefício] 4

[Principais aspectos positivos] A moto é bonita, razoavelmente confortável para longas jornadas – a bolha traz muito conforto na estrada, aliada a boa posição de pilotagem e ao banco honesto. O tanque de combustível tem boa capacidade, andando devagar dá para rodar 500km. A qualidade do acabamento é muito boa, sem falar do motor praticamente indestrutível e muito bem acertado. O consumo de combustível é baixo, equivale às antigas 125 carburadas, mas com muito mais potência e suavidade. A injeção eletrônica é muito bem acertada, a moto pega fácil mesmo deixando várias semanas parada, não falha, não engasga e não morre. É uma obra de arte de engenharia. A manutenção é fácil, não existem componentes de manutenção periódica que sejam de difícil acesso. Gosto muito do painel com conta-giros analógico e velocímetro digital.

[Principais aspectos negativos] Não me conformo com o escalonamento das marchas. Talvez seja bom para a Lander, que é on-off (mais off), mas para a Tenere, a quarta e quinta marcha são muito curtas, enquanto primeira e segunda são muito longas. Trocar pinhão, solução que muitos adotam, piora a situação e inclusive aumenta o consumo de combustível, nas condições das estradas em que normalmente ando. Não sei se uma sexta marcha seria a solução – certamente facilitaria configurar um escalonamento melhor – mas definitivamente há uma boa oportunidade de melhoria no câmbio, que aliás, é bem duro, assim como a embreagem, exigindo movimentos bem decididos na hora de cambiar, não é aquele cambio manteiga do concorrente.
Poderia vir de fábrica com protetor de mão, que é muito bom na estrada para evitar pancada com besouros/mosquitos e eventuais pedras jogadas por outros veículos. Devido ao modelo da bolha é muito difícil achar um protetor de mão aftermarket com boa proteção e que encaixe bem sem bater na bolha. Também não gosto do filtro ser de espuma embebida em óleo – ok, é mais barato e gera mais potência, mas é um incomodo e uma sujeira enorme ter que lava-lo, esperar horas para que fique bem seco e reaplicar óleo. Prefiro o filtro de papel que basta trocar sem se sujar muito, embora mais caro e roube potencia, mas eu prezo conforto e praticidade. Soube que as novas já são de papel, ponto para a Yamaha que leu meus pensamentos. Outra insatisfação minha é com o marcador de combustível, que alega reserva com pouco menos de meio tanque. Podia ser um pouquinho mais realista né?

[Defeitos apresentados] Veio com vazamento de óleo na tampa do filtro de brinde (acho que o problema é comigo, pois é a terceira moto que compro nova que vaza óleo de fábrica). Eu mesmo consertei em casa depois de várias tentativas infrutíferas de consertar dentro da garantia. Arrebentou corrente com aproximadamente 40mil km, mais culpa minha do que da moto em si. Um guia de corrente (que algumas das concorrentes usam) teria evitado. Fica a dica: Aos primeiros sinais de estalo vindo da área da roda traseira, troque o kit tração completo ou ao menos o pinhão, que já está desgastado, forçando a corrente e provocando estes estalos. Fora este ligeiro contratempo, não tive nenhum problema nesses 60mil km, apenas trocas de consumíveis e manutenção básica.

[Concessionárias] Fui muito bem atendido na hora da compra da moto, mas começa a dor de cabeça quando se procuram peças: quase nunca estão em pronta entrega e custam muito mais caro do que similares no mercado de reposição que as vezes são melhores que as originais (ex.: kit tração e pastilhas de freios). Também suspeito muito da alegada qualificação dos mecânicos, não creio que sejam tão bons quanto a marca gostaria que fossem.

[Comentários adicionais] Muitos reclamam do freio e do ruído do motor. Concordo que existem concorrentes com freios melhores (eu mesmo vim de várias Honda trail, as mais marcantes sendo Tornado e a XLX350), mas não é ruim como falam, sendo muito melhor do que freios a tambor em ambas as rodas que equipam tantas motos. Quanto ao ruído do motor, aquilo pra mim é música, não consigo perceber o ruído “feio” que alegam.
Um ponto polêmico é a falta de disponibilidade de peças de reposição no mercado paralelo. Muitas lojas não vendem peças para este modelo (ou Yamahas em geral). Pretendo ficar com a moto até 2020 e tenho certeza que daqui até lá não terei nenhum problema mecânico, a moto é simplesmente indestrutível dentro dos limites de sua proposta de utilização. Dá até para fazer um off road light sem problemas! Outro plus é a falta de interesse dos “amigos” do alheio em relação a este modelo. Dá para andar um pouquinho mais sossegado.

[Best Cars] Sigo o Best Cars a mais de 10 anos, acesso quase diariamente e considero um dos melhores sites sobre carros em nível mundial. Estão de parabéns, por favor continuem o excelente trabalho!

[Data de publicação] 26/8/16