Yamaha NMax 160

Yamaha NMax 160

 

Participe: envie opinião sobre sua moto

 

[Nome] Antonio H. M. Jesus
[Cidade] Jequié
[Estado] BA

[Motor] 155
[Ano-modelo] 2016
[Quilometragem atual] 5.000 km
[Combustível] Gasolina
[Tempo há que possui] Até 1 ano

[Grau de satisfação com a moto] Muito satisfeito(a)
[Grau de satisfação com a rede de concessionárias] Parcialmente satisfeito(a)

[Estilo] 4
[Acabamento] 4
[Posição de pilotar] 5
[Instrumentos] 5
[Conforto] 4
[Motor] 4
[Desempenho] 4
[Consumo] 3
[Câmbio] 5
[Freios] 5
[Suspensão] 4
[Estabilidade] 4
[Custo-benefício] 4

[Principais aspectos positivos] A scooter automática da Yamaha com ABS dianteiro e traseiro, aqui no interior da Bahia dominado por motos da hegemônica marca, se destaca pelo design, esmero no acabamento e agilidade no trânsito. Cumpre além da missão de levar do ponto A ao B, o faz proporcionando prazer, com algumas ressalvas. A posição de pilotagem e o assento são confortáveis. O motor responde sem atrasos ao comando do acelerador, porém cobra na mesma proporção em consumo. Não sei se o consumo da minha irá melhorar, está com aproximadamente 2.900km e fazendo por volta de 32km/l. Tem motor 190cm³ da concorrente fazendo, segundo proprietário amigo meu, 38km/l. Pra mim o consumo pelo desempenho é bom, mas fico com expectativa de melhora tendo em vista o dito consumo da concorrente.
O tanque de combustível é acessível no espaço entre as pernas, não haveria necessidade de descer da moto não fosse obrigatoriedade legal. A reserva possui 1,5l aproximadamente, já rodei com segurança 35km na reserva, talvez conseguisse rodar ao menos mais dez. A scooter possui cavalete central. O baú possui bom volume e é bem dimensionado. Os faróis iluminam bem e são bem desenhados. Os pneus proporcionam boa estabilidade/maneabilidade à moto. Ha um porta-trecos externo que poderia ter tampa, como um porta-luvas, se disso não resultassem barulhos indesejáveis.

[Principais aspectos negativos] Como era de se esperar em razão do aro das scooters, salta um pouco se a pressão dos pneus for calibrada conforme recomendado pelo fabricante. Não sei se o que noto influencia no consumo, com a palavra os engenheiros de plantão ou da Yamaha, é que o freio motor da moto é muito forte. O CVT e freio motor do sentra, embora não seja um primor em consumo, deixa as rodas mais livres, ao passo que o conjunto freio-motor e câmbio da N-Max não permite que a moto embale nos declives ou gire livremente no plano, é dizer, é possível descer ladeiras mais íngremes e fazer curvas sem necessidade de utilizar manetes de freios , assim como, se estiver embalado no plano perde-se rapidamente a velocidade. Só associo isto ao freio-motor.

[Defeitos apresentados] Não sei se característica da moto ou defeito, na concessionária disseram que é normal o fato do assento não ficar firme na trava do baú. A bolha risca facilmente.

[Concessionárias] A Yamaha poderia estimular mais as vendas, o produto é bom e se vende, problema são gerentes e vendedores da concessionária local. Levei mais de um mês pra fechar negócio, tendo a certeza de que eu queria a moto, pois queriam ágio no pagamento à vista, em tempos de oferta maior do que a demanda. Só não perderam cliente para concorrência porque também nelas a prática do ágio foi utilizada. Com perseverança, consegui pagar o preço sugerido no site da Yamaha e chegou com vinte dias. Um amigo que comprou antes de mim na concessionária da marca hegemônica aguardou mais de noventa dias pelo produto concorrente direto. Pós venda é bem o que o camarada de Brasília comentou. Evidenciam um amadorismo, embora o tratamento tenha sido muito cortez. Sem mimos. Falta de cuidado, avisei que o manual estava no porta-trecos, não encontraram e deixaram molhar ao lavar a moto.

[Best Cars] BCWS, realmente o melhor. Seção teste do leitor, parada obrigatória para entusiastas e pretensos compradores.

[Data de publicação] 10/3/17

 

 

[Nome] Bruno Xavier
[Cidade] Brasilia
[Estado] DF

[Motor] 160
[Ano-modelo] 2016
[Quilometragem atual] 1.000 km
[Combustível] Gasolina
[Tempo há que possui] Até 1 ano

[Grau de satisfação com a moto] Muito satisfeito(a)
[Grau de satisfação com a rede de concessionárias] Parcialmente satisfeito(a)

[Estilo] 5
[Acabamento] 5
[Posição de pilotar] 5
[Instrumentos] 5
[Conforto] 4
[Motor] 5
[Desempenho] 5
[Consumo] 5
[Câmbio] 5
[Freios] 5
[Suspensão] 3
[Estabilidade] 5
[Custo-benefício] 3

[Principais aspectos positivos] Comprei a moto em grande parte motivado pelo design e apelo esportivo. Sempre tive motos maiores e confesso uma certa resistência (preconceito bobo) em adotar a scooter como meu principal meio de locomoção. Não me arrependo. Esta moto em particular é extremamente ágil no trânsito e não te deixa tenso como em motos maiores. Freia muito bem (mérito do ABS nas duas rodas e baixo peso), protege do vento e possui um excelente bagageiro. No sinal arranca na frente de todas as YBR e CGs. Vejo a galera esticando pra chegar. Só perde de final mesmo. Mas como trânsito é arranca e para, ela atende muito bem o propósito. Seus pneus largos proporcionam excelente aderência em curvas (cuidado pra não raspar o joelho no chão!rs). A posição de pilotar é confortável para uma pessoa de estatura média (1,75m no meu caso). O nível de ruído é super baixo. O intervalo e preço das manutenções é OK (um pouco acima da Honda PCX). Em termos de consumo tem feito 38Km/L. Apesar de todos os pontos positivos, o design foi o principal fator que me fez optar pela Nmax. A PCX me lembra a moto do Jaspion e o acabamento do guidão parece ter sido copiado de uma Barra Circular (sim, a bicicleta).

[Principais aspectos negativos] Suspensão! Acredito que seja um problema de toda scooter. Se você tem algum problema de coluna e as ruas da sua cidade não são da melhor qualidade, muito cuidado. Existe também uma escassez de acessórios quando comparada à PCX. Sinto falta de uma bolha mais alta.

[Defeitos apresentados] Sim. Logo após a revisão houve um vazamento de óleo na junta do cabeçote. A garantia foi acionada.

[Concessionárias] Medíocres. A Yamaha merecia muito mais em Brasília. Na região mais nobre da cidade possuem apenas uma concessionária de fundos, pequena, com um showroom completamente desorganizado. A área de manutenção atende somente uma moto por vez (1 box com 1 elevador). São atenciosos, mas não esperava uma estrutura dessas nem da Shineray. Comprei por whatsapp, sem ver a moto, só porque os reviews foram muito bons. Se dependesse do apelo de vendas da Saga Yamaha, não tinha levado nem um chaveiro.

[Best Cars] Acompanho desde menino (mais de 10 anos)! Costumava ler todos os artigos do consultório de preparação. Sonhava com aquilo! Já não era hora de dar a minha colaboração. Excelente trabalho! Está na minha aba dos favoritos.

[Data de publicação] 16/12/16