Honda NXR Bros 150 e 160

Honda NXR Bros 160

 

Participe: envie opinião sobre sua moto

 

[Nome] Francisco Matias
[Cidade] Paranagua
[Estado] PR

[Versão] ESD
[Motor] 160
[Ano-modelo] 2018
[Quilometragem atual] 5.000 km
[Combustível] Flexível
[Tempo há que possui] Até 1 ano

[Grau de satisfação com a moto] Muito satisfeito(a)
[Grau de satisfação com a rede de concessionárias] Muito satisfeito(a)

[Estilo] 5
[Acabamento] 5
[Posição de pilotar] 1
[Instrumentos] 5
[Conforto] 4
[Motor] 5
[Desempenho] 5
[Consumo] 5
[Câmbio] 5
[Freios] 5
[Suspensão] 5
[Estabilidade] 5
[Custo-benefício] 5

[Principais aspectos positivos] Moto super econômica, ótimo torque em baixa rotação,painel de instrumentos blackout maravilhoso em dias de sol intenso,vc tem toda leitura do painel nítida,freios combinados que se destacam qndo vc os aciona numa frenagem de emergência,vale destacar que se vc acionar so o freio dianteiro de forma brusca,ela dara uma puxada para o lado tornando perigosa a direçao,suspensão macia e confortável em pisos irregulares.

[Principais aspectos negativos] Centro de gravidade da Moto,para resumir a posição de pilotagem está mais baixa em relação às modelos 150,as pedaleiras estão mais no centro da moto tornando desconfortável na estrada em longos percursos, banco está mais estreito,dentro da cidade não incomoda,mais na estrada em longos percursos chega a passar a sensação de estar sentado em um tijolo,ruídos excessivos nas carenagens do tanque, percebidos em baixa rotação ja em alta não se percebe nada.

[Defeitos apresentados] Por enquanto não,e nem deve apresentar,pois comprei só para o lazer,está dentro do prazo legal da garantia, qualquer defeito que apresentar antes disso,um simples adesivo desbotar entrarei direto na justiça contra a concessionária, visto que já tive problemas com relação a garantia de outras motos,sei que nada e perfeito,mais cobram um preço abusivo por um produto alegando que estão entre as melhores do mercado,então façamos jus a tal.

[Comentários adicionais] Adorei a cor laranja sobre o branco do ano e modelo 2018,já no modelo 2019 ficou ridícula á laranja com cinza,não entendo pq a Honda insiste utilizar essa porcaria desse cinza ,acabou com a estética da Moto,já vale ponto para a vermelho e branco ficou show de bola,a Honda poderia lançar uma cor grafite com branco acredito que faria sucesso,mais enfim só uma sugestão pessoal.

[Data de publicação] 28/6/19

 

 

[Nome] Everaldo Félix
[Cidade] Camaragibe
[Estado] PE

[Versão] ESD
[Motor] 150
[Ano-modelo] 2014
[Quilometragem atual] 40.000 km
[Combustível] Flexível
[Tempo há que possui] De 1 a 3 anos

[Grau de satisfação com a moto] Muito satisfeito(a)
[Grau de satisfação com a rede de concessionárias] Parcialmente satisfeito(a)

[Estilo] 4
[Acabamento] 3
[Posição de pilotar] 4
[Instrumentos] 2
[Conforto] 4
[Motor] 4
[Desempenho] 3
[Consumo] 5
[Câmbio] 4
[Freios] 2
[Suspensão] 5
[Estabilidade] 4
[Custo-benefício] 4

[Principais aspectos positivos] De modo geral é uma moto bonita, atende bem à minha utilização que é marjoritariamente na cidade para deslocamento casa/trabalho e optei por uma trail devido à suspensão, já que principalmente nas estradas e avenidas do estado de PE é até perigoso utilizar uma moto de suspensão baixa (já vi e ouvi relatos de pessoas que cairam da moto após cair em verdadeiras crateras). A posição de pilotar é muito boa e não cansa com facilidade, como já tive uma XTZ 125 da concorrente, pude observar que na Bros o guidão é bem mais baixo, agradaria alguma regulagem ou uma posição mais alta para pessoas da minha estatura (1.80m).

O conjunto de suspensão é muito robusto e durável, tal qual o motor, um verdadeiro tanque de guerra desde que sejam feitas as manutenções recomendadas. O consumo no trânsito travado é um ponto bastante positivo, tenho uma tocada leve e objetiva e com isso já consegui obter médias de aproximadamente 50km/l dentro da cidade. A facilidade de encontrar peças e mão de obra é absurda, uma visita à oficina geralmente me permite retornar com um sorriso no rosto pois sempre gasto menos do que imaginava que gastaria.

[Principais aspectos negativos] O farol da moto, apesar de já ser igual ao da versão 160, ilumina pouco devido a baixa potência da lâmpada (35w), entretanto, atende bem na cidade. As carenagens e a pintura são relativamente frágeis e riscam com facilidade. O para-lama dianteiro existe simplesmente de enfeite, pois pilotar na chuva ou com a pista recém molhada, é certeza de que chegará todo respingado, sapatos sociais então, redobre o cuidado. O quadro de instrumentos é pobre, apesar de atender bem, faz falta ao menos um conta-giros, falha constante na marca até nas versões atuais do modelo. Apesar de muito robusto e de ser conhecido, o motor tem calibração específica voltada a força (torque) comparada com a irmã CG, dessa forma, é fácil obter saídas vigorosas, entretanto baixa velocidade final e o câmbio curto incomodam se o piloto necessitar trafegar por um trecho de rodovia, é bom tomar cuidado com ultrapassagens e ficar reservado na faixa da direita. A velocidade máxima da minha no plano e com bauleto de 40L (2 capacetes) sem garupa (peso do piloto de aproximadamente 90kg) gira em torno de 120km/h, entretanto, velocidade de cruzeiro para um rodar mais confortável gira em torno de 80km/h, acima disso, vibrações e consumo aumentam exponencialmente. Considero que uma readequação das relações de marcha para aumento dessa velocidade, cairia bem. O freio dianteiro a disco salva a moto, o freio traseiro a tambor é um horror, chega a ser criminoso utilizar um freio desses, muito ruim mesmo, pensei até se tratar de um problema da minha moto especificamente, mas já andei em outras e o problema se repete. O conjunto de tração merece destaque pois demonstra gastar mais rápido do que as outras motocicletas que tive, em comparação com a CG, desgasta bem mais rápido, além de perder a lubrificação com facilidade em período de chuvas, recomendo atenção.

[Defeitos apresentados] Apenas pequenos problemas, como luz do farol queimada, e quebra da mola de retorno do pedal de troca de marchas, problema recorrente na Bros. No mais, apenas manutenção geral.

[Concessionárias] Não as utilizo, prefiro uma oficina de confiança próxima da minha residência e sempre que possível faço eu mesmo as pequenas manutenções em casa. Peças originais em geral são caras (3 parafusos custaram R$ 10,00), porém duráveis.

[Comentários adicionais] A moto é muito boa, tanto que caiu no gosto do brasileiro em geral, entretanto, é importante observar pequenos detalhes como escrevi na avaliação pois é uma moto para um tipo de utilização específica. Prefiro motos baixas porém na minha região torna-se inviável devido ao pavimento lunar. Comparada com a XRE 300 do meu irmão, deixa pouco a desejar, em quesitos como motor, freios e ciclística em geral, permitindo menor consumo, manutenção mais fácil e barata além de um risco menor de assalto e roubo.

[Best Cars] Sessão simplesmente fantástica, já utilizei muito para pesquisar sobre veículos que ninguém próximo conhecia e para ter uma avaliação de qualidade. Fiquei muito feliz quando a sessão retornou para motos, espero que assim permaneça. O site de modo geral é espetacular, referência em qualidade, imparcialidade e avaliação automotiva. Já aprendi muito com vocês, continuem assim!

[Data de publicação] 22/9/17

[Nome] Uatilla Viana Almeida
[Cidade] Vitória da Conquista
[Estado] BA

[Versão] ESD
[Motor] 160
[Ano-modelo] 2015
[Quilometragem atual] 20.000 km
[Combustível] Flexível
[Tempo há que possui] Até 1 ano

[Grau de satisfação com a moto] Muito satisfeito(a)
[Grau de satisfação com a rede de concessionárias] Insatisfeito(a)

[Estilo] 4
[Acabamento] 4
[Posição de pilotar] 5
[Instrumentos] 3
[Conforto] 5
[Motor] 4
[Desempenho] 3
[Consumo] 5
[Câmbio] 5
[Freios] 5
[Suspensão] 5
[Estabilidade] 5
[Custo-benefício] 3

[Principais aspectos positivos] A moto em si é muito estável, consumo baixíssimo contando com uma capacidade de drenagem excelente com o disco na traseira. Em relação ao motor este possui um bom torque em baixas rotações e excelente pilotar ela na cidade tanto por conta do torque quanto por conta da sua excelente suspensão confortável e capaz de superar buracos e quebra-molas das cidades.

[Principais aspectos negativos] A minha moto pelo menos, não desenvolve, muito bem em altas rotações na está deixa a desejar o que uma moto dessa cilindrada deveria atender, a final dela não consegui superar os 125 km/h velocidade baixa para esta cilindrada, utilizei o óleo de especificações recomendadas porém ainda assim em raras exceções o câmbio insiste em falhar as vezes caindo em neutro quando engatada em 5 marcha, as vezes não engatando a 1 marcha. Outro aspecto é o fato de que a iluminação do farol dianteiro é muito ineficiente na estrada por exemplo, não ilumina nada.

[Defeitos apresentados] Óleo trocado novo, câmbio engatado em 5 caindo em neutro e no momento das reduções câmbio não engatando a 1.

[Concessionárias] A rede de concessionárias Honda pelo menos na minha região deixa muito a desejar, e de conhecimento diversos casos de completo descaso dos mecânicos para com a revisão das motocicletas, condenação de peças sem a devida necessidade, ou seja, a rede de concessionárias possui uma péssima reputação.

[Comentários adicionais] A moto quando comparada com a sua versão 150 ESD, é muito superior tanto em força por conta da maior cilindrada, quanto em frente com o uso de disco na traseira, outro aspecto relevante se dá ao fato do painel contar com relógio um mimo muito bem vindo, porém que não soluciona o fato de não haver um conta giros, elemento este presente na esmagadora maioria das motos desta cilindrada atualmente.

[Best Cars] Este espaço é muito bom para os leitores, imparcial fidedigno com a realidade, o bestcars está de parabéns por disponibilizar um canal de comunicação tão bom entre proprietários para que possamos compartilhar as nossas experiências possibilitando assim auxiliar ao interessados num determinado modelo em questão a acertar na escolha de compra de um veículo.

[Data de publicação] 28/7/17

[Nome] Ilo Pereira
[Cidade] Campina Grande
[Estado] PB

[Versão] ESD
[Motor] 160
[Ano-modelo] 2015
[Quilometragem atual] 20.000 km
[Combustível] Flexível
[Tempo há que possui] Até 1 ano

[Grau de satisfação com a moto] Muito satisfeito(a)
[Grau de satisfação com a rede de concessionárias] Parcialmente satisfeito(a)

[Estilo] 5
[Acabamento] 4
[Posição de pilotar] 5
[Instrumentos] 5
[Conforto] 4
[Motor] 5
[Desempenho] 5
[Consumo] 4
[Câmbio] 5
[Freios] 5
[Suspensão] 5
[Estabilidade] 4
[Custo-benefício] 4

[Principais aspectos positivos] Falando em aspectos positivos, posso destacar o freio a disco na roda traseira( coisa que já deveria constar nas versões anteriores 150cc) assim melhora a segurança do piloto. Outro ponto a destacar é o painel todo digital e tecnológico permitindo tudo ser acompanhado eletronicamente, falando bem também claro do novo moto de 162,7cc bem ágil, suave e silencioso além de mostrar muito rigor e folego pra encarar pistas bem como estradas de sítio e fazendas.

[Principais aspectos negativos] A Honda tirou algo fundamental em segurança existente nas versões anteriores de 150cc, a trava de segurança para chave, o Lock que era o dispositivo de proteção, inibindo mais as ações de furtos, uma vez quando a moto está estacionada e sem a presença do dono, podendo ser agora na versão 160 facilmente ligada e levada. Agora sem esse dispositivo os proprietários tem que apelar pra um alarme ( correndo o risco de tomar um tiro num possível assalto) ou seguros caros mais que cobrirão um possível prejuízo caso venha a ter. A moto é muito visada pra roubo e furto, tendo que o dono optar e por um alarme ao menos ou apelar para uma seguradora.

[Defeitos apresentados] Até agora nenhum defeito.

[Concessionárias] Concessionárias não acho nenhuma vantagem, estão cada dia mais caras e muitas vezes oferecendo um serviço de qualidade inferir ao encontrada em boas oficinas no mercado, além do custo exorbitante para motos de baixa cilindrada como a Bros, no final o “barato” sai caro nas concessionárias Honda.

[Comentários adicionais] É uma trail de baixa cilindrada maravilhoso para encarar nossa pistas de queijo suíço aqui no Brasil, cheias de buracos e crateras, onde a Bros encara tudo muito bem sem abrir mão do conforto e o principal, a economia e autonomia considerável que a moto chega a oferecer a seus proprietários. O único ponto

[Best Cars] Site que permite a real opinião dos proprietários, mantendo assim a teoria aliada a prática de acordo com as experiencias aqui fornecidas. Show!

[Data de publicação] 2/6/17

[Nome] Washington Luiz de P. Pereiora
[Cidade] Campinas
[Estado] SP

[Versão] ESD
[Motor] 150
[Ano-modelo] 2011
[Quilometragem atual] 50.000 km
[Combustível] Gasolina
[Tempo há que possui] De 3 a 5 anos

[Grau de satisfação com a moto] Muito satisfeito(a)
[Grau de satisfação com a rede de concessionárias] Muito satisfeito(a)

[Estilo] 5
[Acabamento] 5
[Posição de pilotar] 5
[Instrumentos] 4
[Conforto] 5
[Motor] 4
[Desempenho] 5
[Consumo] 5
[Câmbio] 5
[Freios] 5
[Suspensão] 5
[Estabilidade] 5
[Custo-benefício] 5

[Principais aspectos positivos] É bonita. Confortável. Tenho segurança ao dirigir a moto na cidade ou na rodovia. A minha moto tem freio tambor na traseira e na dianteira (prefiro o freio tambor na roda dianteira, pois não trava. Numa emergência já cheguei a empinar a moto, não travou a roda e não deslizou. A moto é muito econômica. Já fez mais de 40 km/l (numa viagem que fiz de Campinas a Bragança Paulista, rodando entre 60 a 100 Km/h.

[Principais aspectos negativos] Somente o painel que durante o dia não se enxerga a luz acesa. Somente à noite que é visível o painel ligado. No marcador de velocidade indica 140, porém, atinge 120 km/h somente na descida. No plano rodo a 90-100 km/h, com ou sem garupa. Na subida cai um pouco a velocidade. Pretendo vender a Bros e compra a xre 190 cc, somente pelo fato de ter o motor um pouco mais potente, só isso. Do resto não se tem o que falar de mal da Bros.

[Defeitos apresentados] Nunca apresentou defeito. Com 53.000 km só troquei bateria uma vez, pneu traseiro duas vezes e dianteiro uma vez. Também troquei a lâmpada do farol uma vez, coloquei a da marca Philips e ficou melhor do que antes.

[Concessionárias] Uso pouco aqui em Campinas. Sempre me atenderam bem.

[Comentários adicionais] Sim. Comprei a moto usada, com 4.000 km. Tenho a Bros faz quatro anos e já está com 53.000 km. Ando muito em rodovia e menos na cidade. Ando sempre “chutado”. Vou a São Paulo uma vez por semana, com garupa, com a aceleração aberta no máximo. Nunca quebrou nada. Só troquei vela uma vez com ~25.000. A relação nunca troquei e ainda a regulagem para esticar a corrente está no meio. Parece que ainda vai durar bastante! ( é logico que eu cuido da moto, com 5 anos de uso a moto parece nova, muitos a falaram que a moto é zerada). A primeira vez que fiz regulagem de válvulas (sem necessidade de fazê-las) foi com 50.000 km.

[Best Cars] Á a primeira vez que acesso esta página. Achei interessante os comentários. Motivo que que estou fazendo o meu relato.

[Data de publicação] 24/2/17

 

SEM COMENTÁRIOS