Honda CBX 250 Twister

Honda Twister

 

Participe: envie opinião sobre sua moto

 

[Nome] Marlon Botelho Vieira
[Cidade] Fortaleza
[Estado] CE

[Motor] 250
[Ano-modelo] 2004
[Quilometragem atual] 100.000 km
[Combustível] Gasolina
[Tempo há que possui] Até 1 ano

[Grau de satisfação com a moto] Muito satisfeito(a)
[Grau de satisfação com a rede de concessionárias] Parcialmente satisfeito(a)

[Estilo] 5
[Acabamento] 4
[Posição de pilotar] 5
[Instrumentos] 5
[Conforto] 4
[Motor] 5
[Desempenho] 5
[Consumo] 4
[Câmbio] 5
[Freios] 5
[Suspensão] 4
[Estabilidade] 5
[Custo-benefício] 5

[Principais aspectos positivos] O estilo ainda chama atenção apesar dos anos. Boa estabilidade nas curvas, bom desempenho na cidade e nas estradas e com baixa manutenção. Confiabilidade e robustez no conjunto, enfim, foi um projeto muito bem acertado pela Honda. É uma moto para ser usada por muitos anos.

[Principais aspectos negativos] Sinceramente nenhum. Apesar dos comentários: 1 – Barulho na corrente – coisa insignificante; 2 – Consumo – padrão para um moto 250 e carburada; 3 – Suspensão dura – condizente para a proposta street deste modelo. Enfim: moto robusta, segura, confiável e de baixa manutenção.

[Defeitos apresentados] Nenhum.

[Concessionárias] Peças de boa qualidade mas o preço cobrado nas oficinas poderiam ser melhor.

[Comentários adicionais] Para quem quer ter uma moto que ande bem na cidade e em pequenas viagens e com peças baratas e de baixa manutenção, experimente uma CBX Twister 250.

[Best Cars] Excelente site que eu visualizo semanalmente e quer apresenta boas reportagens sobre o mundo automobilístico. parabéns

[Data de publicação] 26/7/19

 

 

[Nome] Klebson Rodrigues
[Cidade] Cabo de Santo Agostinho
[Estado] PE

[Ano-modelo] 2007
[Quilometragem atual] 60.000 km
[Combustível] Gasolina
[Tempo há que possui] De 1 a 3 anos

[Grau de satisfação com a moto] Muito satisfeito(a)
[Grau de satisfação com a rede de concessionárias] Insatisfeito(a)

[Estilo] 4
[Acabamento] 4
[Posição de dirigir] 3
[Instrumentos] 2
[Conforto] 2
[Motor] 5
[Desempenho] 5
[Consumo] 3
[Câmbio] 4
[Freios] 2
[Suspensão] 3
[Estabilidade] 5
[Custo-benefício] 4

[Principais aspectos positivos] Robusta, com visual bem acertado e funcional. Talvez o estilo não seja revolucionário ou marcante, mas é esperto e mesmo após anos não tem cara de antigo. A motoca entrega boa potência e torque e é extremamente confiável, estou com ela a pouco mais de 2 anos, nunca me deixou na mão e está na faixa dos 60.000 km rodados, mais ou menos 10.000 comigo, final em torno de 160 km/h e boa aceleração para a cilindrada oferecida . Minha anterior foi uma XRE 300 2012 e sinceramente, só sinto falta da posição de pilotagem e do conforto, no resto a Twister é superior. O câmbio, apesar de um pouco duro, é bem casado com o motor e a 6ª é o coringa. Faço viagens de FDS e, fora o desconforto causado pela posição de pilotagem, vibração, dureza dos amortecedores e do banco, só alegria. Meu grupo de viagens tem motos bem potentes também e, em velocidades de cruzeiro e retomadas, não tenho nada a reclamar, andamos todos na mesma pegada numa boa e quando se requisita desempenho, não nega fogo (lógico que não dá pra competir com uma esportiva, mas anda muito bem mesmo para uma 250cc). Contudo, a dureza do sistema de amortecimento/suspensão se compensa em estabilidade, em especial nas curvas e faz muita diferença na pista. Consumo médio na faixa, claro que andando comportadamente, a economia é maior.

[Principais aspectos negativos] Manutenção em concessionária é para matar, tanto em qualidade do serviço, quanto disponibilidade de peças e preços. Faço meus serviços em oficina independente de minha confiança, com peças, sempre que possível (disponibilidade/preço), originais. Conforto não é muito sua praia… Freios poderiam ser melhores. Poderia ter um visual mais robusto e caprichado, pois aparenta ser uma moto menor, mas aquele escape encorpado e cromado impõe respeito.

[Defeitos apresentados] Rolamentos da roda dianteira; Cabo e sensor de velocímetro; Estator; Retentor de bengala; Bateria; Interruptor de farol/setas. Itens trocados a contento, nunca me deixaram na mão. No mais, só a manutenção periódica mesmo. Fique atento: Direção, inspecionar, lubrificar e reapertar sempre. Tração: Idem.

[Concessionárias] Como disse, manutenção em concessionária é para matar. Mas falo da minha experiência com concessionárias. Já possuí Honda e Yamaha, e trocando uma pela outra, todas tem seus méritos e (muito) deméritos, e varia de loja pra loja.

[Comentários adicionais] No geral, acho uma boa moto, me dá muito mais diversão que decepção. Apesar da idade dela, é de fácil manutenção, de manter e de andar, atende bem minhas necessidades, tanto para uso diário urbano, como em viagens. É minha segunda opção de transporte/diversão. Quando me desfiz da XRE foi a única moto nessa faixa que despertou interesse: Boa, barata, potente, durável. Veja outros depoimentos de proprietários no site e tire as suas conclusões. Para mim, no dia que chegar a hora de vende-la, deixará saudades e muitas boas lembranças com certeza.

[Best Cars] Uma das referência do seguimento! Muito bom!!

[Data de publicação] 21/10/16

[Nome] Tiago Pacífico
[Cidade] Betim
[Estado] MG

[Motor] 250
[Ano-modelo] 2008
[Quilometragem atual] 60.000 km
[Combustível] Gasolina
[Tempo há que possui] De 1 a 3 anos

[Grau de satisfação com a moto] Muito satisfeito(a)
[Grau de satisfação com a rede de concessionárias] Insatisfeito(a)

[Estilo] 4
[Acabamento] 3
[Posição de dirigir] 3
[Instrumentos] 5
[Conforto] 3
[Motor] 5
[Desempenho] 5
[Consumo] 3
[Câmbio] 4
[Freios] 5
[Suspensão] 5
[Estabilidade] 5
[Custo-benefício] 5

[Principais aspectos positivos] DESIGN: simples e bonito. Conseguiram um bom efeito estético e estilo marcante sem encher a moto de carenagens. MOTOR: um trator. Robusto e potente. Entrega boa potência e torque e extremamente confiável. Como sou bem pesado, faço no máximo 140 km/h na descida. Mas mantendo o giro ideal consigo manter 120 km/h a 130 km/h em retas (sem facilidade diga-se). CÂMBIO: bem escalonado. Ao contrário do que muitos falam, sua 6ª marcha não é over drive, pois vc só alcança a final com ela. Muito bem vinda na estrada, sua existência força mais trocas no trânsito urbano. PAINEL: completo e bonito. É um dos destaques moto. FREIOS: muito bem dimensionados. Param a moto em um curto espaço sem sustos.

[Principais aspectos negativos] CONSUMO: se for fazer uma relação entre o que a moto entrega e o consumo ele realmente não é tão alto. Mas se for comparar com motos de maior cilindrada mesmo sendo carburada, de fato ela é beberrona. Levando em consideração que peso 110 kg minha pior média foi 18 km/l na estrada tentando manter velocidades entre 130 e 140 km/h. Já a melhor foi 29.3 km/l com velocidade média de 80km/h e picos de 90 km/h. ACABAMENTO: o encaixe das peças deixa a desejar e aquele banco com grampos aparentes… Huuurgh. BARULHO DA CORRENTE: característica de projeto, assim como o 1.5 da Fiat que queima óleo, e inclusive te avisam isso no manual. Não atrapalha em nada, então acostume-se com ele. Agora é fato que no máximo toda semana a corrente tem que ser minuciosamente lubrificada. CAIXA DE DIREÇÃO: tão sagrado quanto trocar óleo e apertar a caixa de direção. Já troquei e de tempos em tempos ela folga tanto que chega a atrapalhar frenagens mais intensas. CÂMBIO (2ª parte): mais difícil de achar que ponto G é o neutro da moto. Depois que se troca a embreagem fica fácil engatar, mas depois de uns 10 mil km ele fica misterioso de novo.

[Defeitos apresentados] Vazamento na tampa do cabeçote e cabo do acelerador desfiado.

[Comentários adicionais] Quer sair das 125/150 cc sem gastar muito? Twister. Quer ter uma moto justa tanto tecnicamente quanto financeiramente? Twister. Melhor CxB em motos abaixo de 500 cc. Por menos de R$6.000 vc terá uma moto confiável, potente e bonita. Tanto para agilidade no trânsito urbano quanto razoável segurança em pequenas viagens.

[Best Cars] Consulta obrigatória quando quero conhecer um veículo. E um bom passa tempo tb.

[Data de publicação] 9/9/16

[Nome] Marcos Paulo de Souza Gomes
[Cidade] Mirassol
[Estado] SP
[E-mail] não publicado a pedido

[Ano-modelo] 2008
[Quilometragem atual] 30.000 km
[Tempo há que possui] De 3 a 5 anos

[Grau de satisfação com a moto] Muito satisfeito
[Grau de satisfação com a rede de concessionárias] Insatisfeito

[Estilo] 5
[Acabamento] 4
[Posição de pilotar] 5
[Instrumentos] 5
[Conforto] 3
[Motor] 5
[Desempenho] 5
[Consumo] 3
[Câmbio] 4
[Freios] 5
[Suspensão] 3
[Estabilidade] 5
[Custo-benefício] 5

[Principais aspectos positivos] – Desempenho (137kg, 24cv, 2,45kgfm, 155km/h(painel) final original de fábrica),entretanto, o motor só funciona em “alta” rpm, pq em baixa rpm é meio preguiçoso.
– Design e estilo: Poucas motos abaixo das 600 tem desenho do conjunto tão harmonioso como a Twister.
– Freios(fazem milagres).

[Principais aspectos negativos] – Acabamento do banco, como grampos que pregam o tecido ficam visivéis a quem olhar pra moto.
-devido as suspensões terem curso muito curto aliado ao tranco(torque forte) que a moto dar toda vez que acelera há um certo desconforto após um tempo pilotando a moto, nesse ponto (conforto) a Fazer é superior.
– Pegada forte – 17km/l ( :O !!! ), se andar que nem tiozinho domingueiro 24km/l, mas ai se quiser economia e anda devagar é melhor comprar uma biz.

[Defeitos apresentados] – Cabo B do acelerador muito frágil, já foi trocado 3 vezes.
– Marcador de combústivel, depois da revisão de 15.000km, quando enche o tanque ele fica apagado, mas depois que anda uns 60km ele volta a marca normal, até hoje está assim.

[Concessionárias] Faria Motos – São José do Rio Preto:
depois da revisão de 9.000 km nunca mais levei em concessionária: me entregaram a moto com o cabo do velocimentro desplugado e farol queimado, sendo que os mesmos entraram na oficina da CC em perfeito estado de funcionamento. Bela Revisão!!!

[Comentários adicionais] – Se for pegar estrada vá de Twister ou CB300, se for pra andar na cidade vá de Fazer.
– Se comparada a Fazer, cb 300 entre outras, tem a melhor relação custo beneficio, pois, em desempenho é sem dúvidas melhor que a fazer(arrancada e final) e empata +/- com a cb 300r e tudo isso por no máximo R$ 7.000, diferença de no minimo R$ 4.000 para as concorrentes.
– Pode aposta (no semáforo ou rodovia) com Fazer, sem medo que ganha fácil!…original as duas é lógico.

[Best Cars Web Site] Excelente site de consulta, pois, a opnião é dos melhores testadores, os donos das máquinas.

[Data de publicação] 16/6/12

 

[Nome] Talles Camilo Avila
[Cidade] Ipatinga
[Estado] MG
[E-mail] não publicado a pedido

[Ano-modelo] 2004
[Quilometragem atual] 30.000 km
[Tempo há que possui] De 1 a 3 anos

[Grau de satisfação com a moto] Parcialmente satisfeito
[Grau de satisfação com a rede de concessionárias] Parcialmente satisfeito

[Estilo] 4
[Acabamento] 4
[Posição de pilotar] 5
[Instrumentos] 5
[Conforto] 3
[Motor] 4
[Desempenho] 4
[Consumo] 2
[Câmbio] 4
[Freios] 4
[Suspensão] 2
[Estabilidade] 5
[Custo-benefício] 3

[Principais aspectos positivos] – Desempenho: Bastante condizente pela proposta e porte da moto, tem uma facilidade e um vigor para subir as rotaçoes do motor que impressiona (excelente casamento entre motor-cambio), alem de possuir cambio de 6 marchas, na minha opiniao fundamental em uma moto dessa cilindrada, pois em rodovias ela é bem util para manter a moto menos “esgoelada”.
– Estilo: Mesmo ficando um tanto defasada em relaçao à CB300, ainda chama atençao, principalmente quando esta bem limpinha e com cera. Fruto do design arredondado e com linhas atuais. (Na minha opiniao as mais bonitas sao as de 2001 a 2005 pré-facelift)
– Ronco do motor: é mais uma questao de gosto que de utilidade, para muitos pode parecer besteira ou um ponto negativo. Até hoje nao vi nenhuma moto até 300 cc que tenha o ronco mais encorpado que o da TW… a unica que pode-se comparar é o da Ninjinha 250, com proposta mais esportiva que de utilidade.
– Estabilidade: A TW tem uma excelente estabilidade, ao contràrio do que dizem muitos, a “Tutu” é otima em curvas, graças aos largos pneus de medida 100/80-17 na frente e 130/70-17 atras originais. (Na minha moto tenho utilizado 110/70-17 e 140/70-17, medida padrao da CB300).

[Principais aspectos negativos] – Consumo: Um tanto alto pra uma moto de 250cc. Apesar de ser carburada, poderia ser mais economica, o maximo que consegui foi 27.8 km/l andando feito tiozao aos domingos.
– Excesso de vibraçao (principalmente quando se supera os 6500-7000 rpm, a moto vibra toda causando um certo desconforto. Nada que atrapalhe no dia-a-dia na cidade, em que essa faixa de rotaçao nao precisa ser utilizada, mas na estrada e principalmente em viagens, incomoda bastante.
– Suspensao dura: Apesar de ser mono-shock atras, a TW é um tipo de moto que quer passar longe dos buracos e imperfeiçoes do piso, e quando nao se anda com o oleo das bengalas dianteiras em dia (70 reais para troca-lo) começa a bater a dianteira, feito um scooter. Clara evidencia que foi feita para afrontar curvas, ou se ganha em estabilidade e perde em conforto, ou vice-versa.
– Visada pra roubo: é lamentavel saber que voce possui uma moto muito visada pelos “amigos do alheio”
– Falhas de Engenharia: A TW como todas as motos, tem seus defeitinhos cronicos, alguns deles nao trazem problemas, ja outros podem custar caro, mesmo que nao utilize as autorizadas Honda (nao é o meu caso). Vamos là:
1° Famosa “bateçao de corrente”, que pode ser amenizada mas nao eliminada se voce quer seguir o padrao de peças originais da moto. Ja ouvi muito dizer em correntes paralelas que eliminam o tal ruido, e até mesmo utilizar corrente de outras motos, como a da CG150 e da Fazer, mas nunca arrisquei sair da original da moto. Obs.: o barulho na corrente nao causa nenhum problema na moto, so mesmo o barulho irritante no seu ouvido.
2° Acionador do Tensor da Corrente de comando: Esse problema é classico em alguns modelos da Honda. Basta trocar por um de marca paralela e problema resolvido (PLASMOTO no caso).
3° Guarnicao/Vedaçao da tampa do cabeçote: Engana-se quem acha que esse problema surgiu nas primeiras CB300. Ele ja vem do passado! Nada que uma (ou duas trocas) da mesma nao resolva.
4° Campana de Embreagem: Esse problema nao afeta todas as Twisters, pelo menos foi o que pude relatar com alguns donos de TW e ate mesmo aqui no site, porem eu fui um “contemplado” com esse problema. Consiste no desgaste um tanto prematuro da peça em questao, causando um ruido tipo “trator” na moto, principalmente quando a embreagem é acionada, e com o passar do tempo o barulho fica cada vez maior podendo causar quebra de todo o sistema de embreagem.

[Defeitos apresentados] Aos 8.500 km, apresentou vazamento na Guarniçao da tampa do cabeçote. Problema resolvido na autorizada Mavimoto. Voltou a vazar oleo na mesma aos 13.000 km, levei para sanar 300 km depois quando realizei a revisao dos 12 mil (atrasada) na concessionaria Show Motos, e definitivamente parou de vazar.
Na revisao dos 12.000 (feita a 13.300 como citado acima) foi detectado um ruido proveniente do Acionador do Tensor da corrente de comando, mandei trocar por uma paralela (Plasmoto) pois ouvi dizer muito bem dela, apesar da concessionaria tentar me emperrurar de qualquer jeito a original, exigi a paralela e ate hoje nao tive mais problemas com a peça.
Aos 19.500 km a moto começou a fazer um barulho diferente, e em uma das trocas de oleo o mecanico da concessionaria me alertou que o barulho vinha da campana de embreagem, e que a soluçao era troca-la, resultado: 237 pila mais 50 da mao de obra, totalizando 287! Troquei a mesma mais tarde, aos 22.144 km, quando ja nao podia mais suportar o barulho que aumentou gradativamente com o passar dos km.
Recentemente, apos uma mini-viagem (300 km) ao pico da Ibituruna (Governador Valadares/MG), a moto começou a vazar oleo da bengala esquerda, outra surpresa: para trocar os dois retentores de borracha originais e trocar o oleo das suspensoes
o serviço me custaria 210 reais! optei por colocar retentores paralelos (20 reais cada, original custa 80 cada um!) resultando em ainda assim inaceitaveis 90 baroes.
Fora esses defeitos, o resto foi o de rotina: em 24.000 km que possuo a moto foram trocas de oleo a cada 1.500 km, sempre com Mobil Super Moto 20W50 (11 reais o litro, sendo 1.5L por troca), filtro de oleo (a cada 2 trocas de oleo ou a cada troca de oleo – 8,00 reais paralelo), filtro de ar (aos 28.300 km – 25,00 paralelo), 2 velas (26,00 original), 1 kit corrente Hamp original trocada a 24.435 km (187.00 com mao de obra) 1 pneu dianteiro aos 19.500 km (180.00 – Marca CST 110/70), 2 pneus traseiros (O original troquei com 12.300 km, e coloquei um Maggion por 189.00. Rodei 15.800 km com o Maggion e coloquei um CST 140/70 por 275.00).

[Concessionárias] Muito Bom, funcionarios competentes e bom atendimento, peca pelos preços, um tanto altos de algumas peças, mas nao abro mao de levar minhas motos na Show Motos, pois a o cuidado com a moto é notavel, volta sempre limpinha da revisao e muito bem acertada. Ja na Mavimoto, outra concessionaria da minha cidade, o preço das peças é ainda mais alto, o atendimento ruim e minha moto voltou com o suporte da tampa lateral direita quebrada, resumindo: nao voltei mais la.

[Comentários adicionais] Otima moto pra quem busca algo mais em relaçao as utilitarias 125/150, mesmo sabendo que ira gastar mais com manutencao, gasolina, e que a moto é uma das mais visadas para roubo. Resumindo: O conforto e o prazer em pilotar se pagam…
Minha Moto:
Peguei a minha Azulona de segunda mao em Julho de 2010 de um amigo da familia, o mesmo havia rodado 7.700 km em 6 anos! hoje em dia esta com 31.300 km.
Consumo: na casa de 25 a 26 km/l andando a 90-100 km/h no maximo e trocando marchas em 5.000-5.500 rpm. Em viagens com garupa a 110 km/h chega a fazer 20 km/l, e se enrolar o cabo da 18 km/l
Melhor marca que consegui, como disse acima, foi 27.8 km/l, quase parando o transito…

[Best Cars Web Site] Excelente, realmente o “Best” em relaçao a automoveis e motos. Parabéns ao Site!

[Data de publicação] 16/6/12