Honda CBR 500 R

Honda CBR 500R

 

Participe: envie opinião sobre sua moto

 

[Nome] Raphael Gapski
[Cidade] Praia Grande
[Estado] SP

[Versão] ABS
[Motor] 500
[Ano-modelo] 2015
[Quilometragem atual] 10.000 km
[Combustível] Gasolina
[Tempo há que possui] Até 1 ano

[Grau de satisfação com a moto] Muito satisfeito(a)
[Grau de satisfação com a rede de concessionárias] Parcialmente satisfeito(a)

[Estilo] 5
[Acabamento] 5
[Posição de pilotar] 4
[Instrumentos] 4
[Conforto] 5
[Motor] 3
[Desempenho] 3
[Consumo] 5
[Câmbio] 5
[Freios] 5
[Suspensão] 5
[Estabilidade] 5
[Custo-benefício] 5

[Principais aspectos positivos] O visual é demais: A minha é uma ‘tricolor’, e vista de longe (ou de perto pra quem não conhece), é confundida com a CBR 1000RR Fireblade. O acabamento da moto é muito bom (não bate carenagem quando passa em buraco). Os pneus (120 e 160) e freios são bem dimensionados, o freio tem “mordida” correta e o ABS deixa a moto perfeita nesse quesito, nada a reclamar dos freios e pneus, inclusive foi um dos melhores “conjuntos” que já pude usar. Suspensão é muito boa também: Rodando solo (1.75 – 88kg) ou com garupa (1.60 – 55kg), não bate seco ou fica flutuando. Câmbio impecável: embreagem muito macia, com marchas passando com muita maciez, não entra neutro indevidamente, e achar o neutro é muito facil. Consumo é um dos melhores que já vi: Uso a moto no dia-a-dia, e nunca fez menos que 22km/l na cidade e 26km/l em estrada. É consumo igual ou melhor ao de muita moto de 250cm³ e ainda roda bem com gasolina comum, sem frescuras, como muita moto que só de ouvir falar em gasolina comum já apresenta pré ignição.

[Principais aspectos negativos] Não vejo necessariamente como um ponto negativo, mas o motor, embora apresente um consumo de combustível muito contido e ótimo torque em baixa rotação, por se tratar de uma moto de visual esportivo, ele é inadequado. Veja que o motor que equipa esta moto tem sua construção com foco em uma utilização versátil, e sobretudo, urbana (onde exige força em baixos regimes de rotação). Explico: O motor tem muita força em baixa-média rotação, mas não não gosta de girar (corte por volta de 9mil rpm), o que acaba frustrando quem compra a moto para atingir grandes velocidades (o que não é meu caso, que comprei consciente) ou “esticar marchas” em aceleração.
A posição de pilotagem não favorece quem tem mais de 1.70~1.75 de altura, e os semi-guidões podem não agradar muita gente; eu me acostumei e não vejo problemas, mas já vi que sou exceção à regra.

[Defeitos apresentados] Nenhum defeito até o momento. A moto usa componentes que aparentam boa qualidade de material e método de fabricação.

[Concessionárias] Algumas peças tem preço absurdo na rede concessionária, o que acaba levando muitos donos a buscar alternativas mais baratas, o que infelizmente, na maioria das vezes, tem procedência ilegal, o que acaba aumentando o índice de roubo/furto do modelo.

[Comentários adicionais] Excelente moto para o dia-a-dia. Na medida exata pra quem pega estrada e cidade todos os dias. A carenagem protege do vento/chuva fria e o baixo consumo torna interessante o uso diário. A manutenção é na média, e muitas vezes mais barata que das motos concorrentes (Yamaha R3 e Kawasaki Ninja 300). Quando se ouve que Yamaha R3 ou Kawasaki Ninja 300 são “melhores” e “andam mais”, é certeza que quem alega nunca andou na CBR 500. As concorrentes de menor cilindrada podem até ter velocidade final parecida ou superior, mas a arrancada e retomada da 500 é muito maior; fora o consumo maior nas motos de menor cilindrada. Andei nas três antes de optar pela moto da Honda. Quem procura uma moto “faz tudo”, com visual de torcer o pescoço, e com um preço acessível, tem na CBR500r uma forte candidata.

[Best Cars] Leio o site desde o início, e sempre contribui com minhas opiniões, pois sempre pesquiso por aqui antes de comprar… Continua nota dez!

[Data de publicação] 6/10/17