Curiosidades: os carros que ninguém esperava

Modelos populares de marcas de luxo, modelos de luxo de marcas populares e outros que causaram surpresa

Texto: Fabrício Samahá – Fotos: divulgação

 

Quando você pensa em BMW, o pequeno Isetta da foto acima é o carro que vem a sua mente? E quando lhe falam em Mercedes-Benz, o modelo lembrado tem motor traseiro? Um jipe seria seu exemplo de Alfa Romeo?

Muitos fabricantes fizeram sua fama com um tipo de automóvel. Fala-se em Lamborghini e você pensa em esportivo, enquanto Cadillac sugere um carro grande e luxuoso, e Volkswagen, um simples e prático. Mas às vezes as marcas buscam novos segmentos ou, por algum motivo, lançam carros que não combinam com sua imagem. Conheça alguns exemplos. Se preferir, assista ao vídeo com o mesmo conteúdo e mais imagens.

 

 

Alfa Romeo Matta

A Alfa Romeo define-se como a marca do cuore, ou coração, esportivo. O que isso tem a ver com um jipe? Nada, mas o AR/51 ou Matta foi feito nos anos 50 para atender a uma concorrência do governo italiano. O motor de 1,9 litro tinha até duplo comando. Pouco mais de 100 foram vendidos ao público.

 

 

Aston Martin Cygnet

Esportivos de luxo são a especialidade da inglesa Aston Martin. Então surgiu o Cygnet, em 2011. Essa variação do Toyota IQ só existiu para melhorar a média de emissões de CO2, ou gás carbônico, pelos carros da marca. O público não o aceitou e ele saiu de linha em dois anos.

 

BMW Isetta

Conhece esse carrinho? No Brasil era o Romi-Isetta, mas foi projetado pela Iso italiana e adotado pela BMW. Foi sua salvação: na Europa do pós-guerra, ter um modelo pequeno, barato e econômico foi essencial para a marca de carros de luxo sair da crise.

 

 

Buick Reatta

Desde os anos 40 a Buick não oferecia um carro só com dois lugares. O cupê de luxo Reatta apareceu em 1988, com direito a painel digital e tela sensível ao toque para comandar funções. O mercado não se interessou e ele só durou três anos.

 

Cadillac Cimarron

Durante décadas, a Cadillac produziu carros enormes com até 16 cilindros. Mas a crise do petróleo e os limites de consumo mudaram seu perfil: em 1981 nascia o Cimarron, do mesmo projeto que rendeu o Chevrolet Monza brasileiro. Pequeno e pouco potente para os padrões da marca, ele vendeu pouco.

Próxima parte