Nissan Sentra: bons atributos por um lugar ao sol (4)

Nissan Sentra SL

 

Conforto, praticidade e relação custo-benefício julgados
por uma colaboradora — e os testes de consumo com gasolina

Texto e fotos: Fabrício Samahá

 

Atualização de 31/1/14

Um Mes ao Volante

Apesar de sedãs serem um tipo de carro mais associado ao universo masculino, a opinião das mulheres costuma ter peso importante na escolha de compra, sobretudo quando elas também dirigem o carro. Por isso, Um Mês ao Volante  sempre reserva espaço para a avaliação de uma colaboradora, a que o Nissan Sentra SL foi submetido na última semana.

Cibele Souza, esposa de um motorista já habitual da seção — Vitor Freitas, que opinou sobre o carro há duas semanas —, esteve com o Nissan por três dias e mais de 200 quilômetros, a maior parte em trajetos urbanos. O que ela tem a dizer?

A colaboradora admite não ser admiradora das linhas do Sentra: “Achei muito tradicionais, distantes do ar jovial de alguns concorrentes como o Civic e o novo Focus. É um carro bonito, mas voltado a um público de faixa etária superior”. Se por fora ele não a convenceu, por dentro, sim: “Gostei do visual interno e do acabamento. Transmite a sensação de qualidade e mostra bom gosto na escolha dos materiais”.

 

Nissan Sentra SL
Nissan Sentra SL
 
Consideradas muito tradicionais, as formas do Sentra não conquistaram Cibele,
mas 
ela recomenda a compra do carro aos que simpatizarem com seu estilo

 

A aprovação do interior por Cibele foi ampla. Ela destaca a posição de dirigir “ótima, com amplas regulagens e comandos bem acessíveis”, o conforto dos bancos e o painel “claro, fácil de ler”. Achou o ar-condicionado bem dimensionado para o calor intenso deste verão no interior paulista e, tendo circulado com os dois filhos em suas cadeiras no banco traseiro, relata ter sido fácil ajudá-los na entrada e na saída. “Um detalhe que estranhei foi que os cintos são uma faixa macia, flexível, e não firme como nos outros carros. Quando colocamos as cadeirinhas, eles tendem a torcer e amassar, passando certa insegurança”, observou.

 

“Achei-o muito agradável de dirigir, confortável, espaçoso e bem equipado. Sua relação custo-benefício não pode ser desprezada”, destaca a colaboradora

 

Alguns itens de conveniência do Sentra conquistaram a motorista. “A chave presencial é uma excelente ideia. Deixei-a na bolsa durante todo o tempo, foi ótimo. É muito prático chegar cheia de sacolas nas mãos e abrir o porta-malas sem precisar ‘caçar’ a chave na bolsa. Ao chegar em casa, nem me preocupei em colocá-la no chaveiro ou com o risco de esquecer onde ela está no dia seguinte”, conta, admitindo que vez ou outra perde minutos procurando a chave de seu carro.

“Outro ponto alto é a câmera de ré com alerta sonoro de distância. Manobras para estacionar são um inimigo de toda mulher, mas nesse carro ficaram mais fáceis. Gostaria que tivesse os sensores também na frente”, comenta Cibele. Mais notas positivas foram para os diversos porta-objetos, o porta-óculos de teto e o lavador de para-brisa com ampla distribuição de água pelo vidro.

 

Nissan Sentra SL

 
Para a colaboradora, o interior bem-acabado e espaçoso é um ponto alto;
itens como chave presencial e câmera traseira para manobras foram elogiados

 

O que não a agradou no interior do Nissan? “O vidro do motorista é o único que abre e fecha com um só toque no botão. Também estranhei que, ao travar os botões traseiros para evitar o uso pelas crianças, meus próprios controles daqueles vidros e o botão da porta do passageiro ficam inativos. Isso contraria qualquer lógica! No rádio, passar à pasta seguinte de arquivos MP3 poderia ser mais prático, sem a necessidade de navegar pelo conteúdo. Gostaria ainda que o ar-condicionado esfriasse o porta-luvas e que os vidros fechassem de fora do carro, um item disponível em carros bem mais baratos”. Quanto ao porta-malas, a motorista destaca o amplo espaço e a facilidade de uso.

Perguntamos sobre mecânica e, embora se descreva como iniciante no assunto, Cibele considerou positivas as sensações ao volante do Sentra: “É um carro ágil, com boa resposta. Não me pareceu ‘pesadão’ como o C4 Lounge que dirigi quando estava com o Vitor. É silencioso, mas esperava um consumo melhor: indicou 8 km/l de gasolina como média do meu período [30% rodados em estrada], sendo que sou do tipo ‘pé leve’. Dou um desconto porque precisei usar muito ar-condicionado”.

A motorista também aprovou o câmbio automático de variação contínua (CVT), salvo por um detalhe: “Ao sair em subidas fortes, ele deixa o carro recuar um pouco. Outros automáticos que dirigi seguram mais e facilitam a manobra de tirar o pé do freio e acelerar”. De resto, a suspensão do Nissan foi considerada “macia e muito confortável, mesmo rodando em ruas cheias de irregularidades e em um trecho de estrada de terra”, e a direção cativou pela leveza em manobras.

 

Nissan Sentra SL
Nissan Sentra SL
 
A clareza dos instrumentos é positiva para a motorista, que reprovou os
controles de vidros: faltam função um-toque para todos e fechamento a distância

 

Diante do saldo favorável, fizemos a Cibele a clássica pergunta: ela compraria um Sentra SL se estivesse em busca de um sedã em sua faixa de preço, de R$ 72 mil? “Talvez não comprasse apenas porque, como disse, ele não tem o visual que gosto de ver num carro. No resto, achei-o ótimo, muito agradável de dirigir, confortável, espaçoso, prático e bem equipado. Pesquisei sobre concorrentes dele que me agradam e percebi que a Nissan entrega mais equipamentos de conforto e segurança pelo preço. Essa relação custo-benefício não pode ser desprezada por quem simpatizar com o Sentra”, ela conclui.

 

 

Gasolina mostra-se vantajosa

Após a avaliação da colaboradora o carro do mês foi dirigido pelo autor, que confirmou as boas impressões obtidas nos primeiros dias. O jeito de andar do Sentra não mudou com a troca de combustível, mas desapareceu o incômodo da baixa autonomia com álcool, uma vez que a gasolina rende bem mais quilômetros por litro. Contudo, permanece a indicação errônea de autonomia relatada na primeira atualização: assim que o marcador aponta a entrada na reserva, o computador de bordo surpreende o motorista ao informar haver combustível para só mais 20 ou 30 km, quando na verdade restam 80 km ou mais.

Por falar em consumo, como tem sido o rendimento do Sentra com gasolina? Uma viagem à faixa de 110 km/h na semana apontou a boa média de 13,1 km/l, apesar do intenso uso do ar-condicionado. O Nissan foi submetido também aos testes em nossos três circuitos-padrão com o novo combustível. As marcas de 5,8 km/l no trajeto urbano exigente, 12,2 km/l no urbano leve e 12,8 km/l no rodoviário revelam um carro mais econômico — sobretudo no segundo daqueles trajetos — que seu concorrente C4 Lounge Tendance, também com motor de 2,0 litros e caixa automática, que havia registrado 5,5 km/l, 10,4 km/l e 12,3 km/l, na mesma ordem.

 

Nissan Sentra SL
Nissan Sentra SL
 
O rodar confortável tem sido alvo de frequentes elogios pela equipe; o Sentra
mostrou-se econômico em rodovia ao obter 12,8 km/l com gasolina

 

Outra constatação: os índices obtidos pelo Sentra com o derivado de petróleo representam 45%, 49% e 47% a mais que os registrados antes com álcool. O habitual seria obter números 43% mais altos, que corresponderiam à conhecida relação de 30% entre o rendimento dos combustíveis, usada por muitos motoristas para saber qual deles compensa mais no custo por quilômetro (43% é quanto 100 representam sobre 70). O modelo ter superado os 43% indica que seu motor, com uma taxa de compressão das mais baixas do mercado atual, aproveita menos o combustível vegetal do que poderia.

Já com 28 dias e 2.861 km de avaliação, nosso Nissan segue agora para seu derradeiro fim de semana conosco nas mãos de um colaborador experiente na seção: Paulo de Araújo, que dela participa desde seu início, em 2010, e nos traz suas impressões na sexta-feira 7.

Desempenho, consumo e ficha técnica Atualização anterior

 

Último período

7 dias

612 km

Distância em cidade 315 km
Distância em rodovia 297 km
Tempo ao volante 19h 44min
Velocidade média 31 km/h
Consumo médio (gasolina) 9,2 km/l
     Melhor marca média 13,1 km/l
     Pior marca média 7,4 km/l
Indicações do computador de bordo

 

Desde o início

28 dias

2.861 km

Distância em cidade 1.354 km
Distância em rodovia 1.507 km
Tempo ao volante 83h 13min
Velocidade média 34 km/h
Consumo médio (gasolina) 9,0 km/l
     Melhor marca média 13,1 km/l
     Pior marca média 7,4 km/l
Consumo médio (álcool) 6,4 km/l
     Melhor marca média 8,5 km/l
     Pior marca média 4,0 km/l
Indicações do computador de bordo

 

Preço

Como avaliado R$ 71.990
Preço público vigente em 9/1/14

 

Desempenho, consumo e ficha técnica Atualização anterior