VW lança o novo Santana que será brasileiro

 

A Volkswagen acaba de apresentar na China o novo Santana, que substitui o modelo semelhante ao brasileiro (só que com entre-eixos mais longo e atualizações diversas) em produção desde os anos 90. Esse é o carro que a VW daqui lança em 2014 para competir entre os maiores sedãs compactos, classe que abrange Chevrolet Cobalt, Fiat Grand Siena, Nissan Versa e Renault Logan e que ainda deve ganhar o Citroën C-Elysée e o Peugeot 301.

 

 

O Santana fabricado pela Shanghai Volkswagen Automotive (uma das marcas que representam a VW no país) usa a plataforma do Seat Toledo e do Skoda Rapid, que também são de marcas do grupo alemão, com 2,60 m entre eixos. Haverá na China três opções de acabamento (Trendline, Comfortline e Highline) e duas de motores, ambas com bloco de alumínio e 16 válvulas: 1,4-litro de 90 cv e 1,6 de 110 cv. É provável que surjam versões mais potentes adiante, mas no momento a VW pode anunciar uma redução de consumo em 28%.

Dotado de bom porta-malas (480 litros), o sedã chinês oferece itens como controle de estabilidade e bolsas infláveis laterais e de cabeça, que podem ser descartados na versão brasileira. O mesmo talvez aconteça com comodidades como teto solar elétrico e ar-condicionado automático, mas é possível que a VW pretenda aqui um substituto para o Polo sedã, o que daria ao Santana condições de receber conteúdos mais nobres.

 

Texto: Fabrício Samahá – Fotos: divulgação