Mercedes-AMG GT estreia com motor V8 de até 510 cv

Mercedes-AMG GT 05

 

A Mercedes-Benz apresenta o Mercedes-AMG GT, segundo carro esporte desenvolvido por sua divisão esportiva, que vem ocupar um segmento abaixo do SLS AMG. Trata-se de um cupê de dois lugares com chassi e carroceria de alumínio e um novo motor V8 central-dianteiro de 4,0 litros com dois turbos, que produz potência de 462 cv a 6.000 rpm e torque de 61,2 m.kgf de 1.600 a 5.000 rpm na versão básica. No GT S os valores sobem para 510 cv de 6.000 a 6.500 rpm e 66,3 m.kgf entre 1.750 e 4.750 rpm.

 

 

Com peso de 1.540 kg, o GT básico acelera de 0 a 100 km/h em 4 segundos e alcança a velocidade (controlada pela central eletrônica) de 304 km/h. Pouco mais pesado (1.570 kg), o GT S faz o 0-100 em 3,8 s e atinge 310 km/h, também com limitador. Ambos têm câmbio automatizado de sete marchas e dupla embreagem, com quatro modos de uso (Eficiência Controlada, Esporte, Esporte Mais e Individual; o GT S acrescenta o modo Corrida), e usam recursos como lubrificação com cárter seco e suspensão com braços sobrepostos de alumínio, que no GT S inclui controle eletrônico de amortecimento (opcional no básico).

No GT S o som do escapamento pode ser ajustado pelo sistema Dynamic Select de configuração e o diferencial tem bloqueio eletrônico, mais eficaz que o mecânico do carro básico. O controle de estabilidade das duas versões oferece os modos normal, esportivo e desativado. Opcionais são os freios de compósito de cerâmica e as rodas de alumínio forjado. As medidas normais são 19 pol no GT básico, com pneus 225/35 à frente e 295/35 atrás, e 19 pol na frente (com 265/35) e 20 pol atrás (com 295/30) no caso do GT S.

 

Mercedes-AMG GT 22

 

Um pacote mais ousado, o AMG Dynamic Plus, pode ser acrescentado ao S com coxins dinâmicos para motor e câmbio, que alteram sua firmeza conforme ordenado pela central eletrônica. Coxins macios absorvem vibrações e aumentam o conforto, mas podem permitir movimentos indesejáveis do trem de força no uso em pista, razão do uso dos componentes variáveis.

No interior do novo Mercedes (que não leva o sufixo Benz) estão revestimentos em couro e na microfibra Dinamica, tela central de até 8,4 pol no painel e a opção de apliques de fibra de carbono. O porta-malas acomoda 350 litros. Não poderia faltar um completo aparato de segurança, que abrange monitor do risco de colisão com frenagem automática, assistente de farol alto, monitor de atenção do motorista (alguém conseguiria ficar sonolento em um carro desses?) e bolsas infláveis frontais, laterais, de cortina e de joelhos. O GT é produzido em Sindelfingen, Alemanha, mas com motor fornecido pela AMG de Affalterbach.

 

 Texto: Fabrício Samahá – Fotos: divulgação