Renault Captur europeu avança em estilo e terá híbrido

 

O Renault Captur francês sempre foi parecido com o brasileiro, apesar de diferente em plataforma, dimensões e motores. Agora, a semelhança visual se perde com o lançamento de sua segunda geração na Europa, em antecipação ao Salão de Frankfurt, em setembro. O SUV compacto mostra um bom trabalho de estilo, com destaque à forma de “C” dos faróis e das lanternas e à separação entre o teto e o restante da carroceria por uma moldura.

 

 

Com base na plataforma CMF-B do novo Clio, o Captur está 11 cm mais comprido, mas continua menor que o nosso. O interior adota instrumentos digitais, tela vertical de até 9,3 pol para a central de áudio, câmeras de 360 graus ao redor e freio de estacionamento elétrico. O leque de assistências passa por frenagem autônoma, controlador de distância à frente e assistentes de faixa e de faróis. O banco traseiro mantém o ajuste em distância.

 

 

Na fase inicial há cinco versões de motores com turbo. Os três a gasolina são de 1,0 litro com 100 cv e 16,3 m.kgf de torque, 1,3 litro com 130 cv e 24,5 m.kgf e o mesmo com 155 cv e 27,5 m.kgf. As opções a diesel têm 1,5 litro com 95 cv e 24,5 m.kgf ou 115 cv e 26,5 m.kgf. Uma caixa de dupla embreagem com sete marchas pode vir em algumas versões. No ano que vem aparece o Captur E-Tech, híbrido com recarga externa (plug-in) que combina motor 1,6 a gasolina e dois elétricos, sendo capaz de rodar 45 km em modo elétrico. O novo Captur será fabricado também na China.

 

Texto da equipe – Fotos: divulgação