Próximo Mercedes C avança em assistência e eficiência

 

Tecnologias para menores emissões e assistências ao motorista serão os destaques da próxima geração do Mercedes-Benz Classe C, a ser lançada no fim do próximo ano ou começo de 2021. De acordo com a revista inglesa Autocar, o sedã alemão não trará inovações em estilo, preferindo evoluir o tema do modelo atual (mostrado acima).

 

 

Parte das novas assistências do Classe C serão apresentadas antes no Classe S. O motorista poderá manter as mãos fora do volante a até 130 km/h, o chamado nível 3 de condução autônoma, e acionar o sistema automático de estacionamento mesmo de fora do carro por aplicativo de celular. Além disso, o controlador de distância à frente será apto a seguir o carro adiante a até 210 km/h, ajustando-se aos limites de velocidade vigentes no local e no momento, caso das Autobahnen alemãs.

 

 

O novo Classe C será baseado na plataforma MRA (Modular Rear Architecture) da marca, que mantém a tração traseira tradicional do modelo e a combinação de aço e alumínio. Ela prevê a instalação de sistema híbrido de 48 volts e de recarga externa das baterias (plug-in), assim como tração integral em algumas versões. As versões AMG C43 devem manter o motor de seis cilindros e adotar o sistema híbrido leve EQ Boost, com auxílio elétrico para ganhos em desempenho e economia. Já o AMG C63 segue com o V8 biturbo de 4,0 litros, mas recebe tração integral de série: a divisão esportiva já anunciou que não lançará mais versões de alta potência com tração só traseira.

Outra novidade será uma perua “aventureira” no padrão da Classe E All Terrain (acima), com tração integral e suspensão elevada. Além de sedã, cupê, perua e conversível, a MRA servirá à futura geração dos utilitários esporte GLC e GLC Coupé.

Texto da equipe – Fotos: divulgação