Porsche Taycan: supersedã elétrico faz 0-100 em 2,8 s

 

A Porsche acaba de lançar o Taycan, seu primeiro carro esportivo totalmente elétrico. O sedã de quatro portas (não tem quinta porta como o Panamera) chega nas versões Turbo e Turbo S, com a curiosidade de que não existe turbo em motor elétrico — a palavra hoje representa apenas um nível de desempenho superior em seus modelos. Versões menos potentes, mantendo a tração integral, vêm ainda este ano e haverá um Taycan Cross Turismo no fim de 2020.

 

 

 

O desenho do Taycan, facilmente identificado como um Porsche, deriva do conceito Mission E de 2015 e obtém ótima aerodinâmica (Cx 0,22). A versão de topo Turbo S produz 560 kW (761 cv) de potência e usa assistente para largada rápida para acelerar de 0 a 100 km/h em 2,8 segundos (pouco menos rápido que um Bugatti Chiron), enquanto o Turbo oferece 500 kW (680 cv) e faz de 0 a 100 em 3,2 s. O Turbo S tem autonomia de até 412 quilômetros e o Turbo e 450 km, segundo a norma WLTP. A velocidade máxima de ambos é de 260 km/h.

Nos dois casos são empregados dois motores elétricos, um em cada eixo, para obter tração nas quatro rodas. Há uma transmissão de duas marchas no eixo traseiro. O chassi inclui suspensão pneumática adaptativa com tecnologia de três câmaras, sistema eletromecânico de estabilização de rolagem (inclinação em curvas) e vetorização de torque. O sistema de regeneração de energia obtém até 265 kW. Testes revelaram que cerca de 90% das frenagens no dia a dia são realizadas pelos motores elétricos, sem que os freios nas rodas tenham sido ativados.

 

 

O Taycan é o primeiro veículo de produção com um sistema de 800 volts, em lugar dos costumeiros 400 volts dos carros elétricos. Com isso, em cinco minutos a bateria pode ser recarregada usando corrente contínua de uma rede de carga de alta potência, para obter autonomia de até 100 km. Em condições ideais, o tempo de recarga para atingir 80% da carga é de 22,5 minutos e a potência máxima de carga (pico) é de 270 kW. A capacidade total da bateria é de 93,4 kWh.

 

 

O interior usa tela de 10,9 pol na central de áudio e um mostrador opcional para o passageiro. Os controles são por toque ou voz, via comando “Hey Porsche”. Não há couro na cabine: são usados materiais reciclados que ressaltam o conceito sustentável do carro. O Taycan oferece quatro modos de condução: Range (para maior autonomia), Normal, Sport e Sport Plus, além do Individual (configurável). Os compartimentos de bagagem acomodam 81 litros no dianteiro e 366 litros atrás.

As duas versões do Taycan já estão disponíveis para encomendas na Europa. Custam 185.456 euros (Turbo S) e 152.136 euros (Turbo) na Alemanha. No Brasil o modelo está previsto para 2020.

Texto da equipe – Fotos: divulgação