Novo Peugeot 208: elétrico e com mais assistências


 

Desenho atraente, evoluções em assistências e uma versão elétrica são os argumentos do Peugeot 208 de segunda geração, que estreia em março no Salão de Genebra. No estilo, o destaque está nas “presas” de felino que descem dos faróis e alojam luzes diurnas de leds, enquanto a traseira segue a tendência de interligar as lanternas, no caso com plástico preto. As versões GT e GT Line (em amarelo nas fotos) recebem faróis de leds e rodas de 17 pol.

 

 

O interior mantém o quadro de instrumentos elevado, agora digital e configurável, e se inspira no 3008 e no 5008 em detalhes como os comandos do painel e a alavanca de transmissão. O freio de estacionamento passa a ser elétrico. Assistências ao motorista são numerosas, como controlador de distância à frente, monitor dessa distância com frenagem automática, assistentes de faixa e de estacionamento, leitor de placas da via, alerta de ponto cego e monitor de atenção do condutor.

 


 

O novo 208 baseia-se na inédita plataforma Common Modular Platform (CMP), que permitiu maior rigidez estrutural com peso menor que o anterior em 30 kg. Os motores iniciais a gasolina são de 75, 100 e 130 cv a gasolina e de 100 cv a diesel, com opção de caixa automática de oito marchas para os dois mais potentes a gasolina. Interessante é a versão elétrica E 208 GT (em azul nas fotos): tem 136 cv e alto torque (26,5 m.kgf), para acelerar de 0 a 100 km/h em 8,1 segundos, e pode rodar 340 km entre recargas (pelo padrão WLTP) com a bateria de 50 kWh. Com carregador rápido, 80% da carga são obtidos em meia hora.

O novo 208 não está previsto para o Brasil. Contudo, especula-se que teremos um novo carro sobre a mesma plataforma da novidade europeia, provavelmente maior e mais espaçoso, para competir em uma faixa pouco superior agora que o 308 deixou nosso mercado sem expectativa de sucessor.

 

Texto da equipe – Fotos: divulgação