Novo Opel Insignia ganha missão em três continentes

 

A Opel alemã e a Vauxhall inglesa anunciam a segunda geração do Insignia, sedã médio-grande da faixa de Ford Mondeo (Fusion) e VW Passat, que substitui o modelo lançado em 2009. Na Europa o Insignia original assumiu o espaço do Vectra. Chamado de Insignia Grand Sport, o novo carro tem missões intercontinentais: além de ser vendido nos EUA pela Buick, como o antecessor, será a base para o sucessor do Holden Commodore australiano.

 

 

Para cumprir essa tarefa o Insignia cresceu 92 mm em entre-eixos. O desenho longilíneo, que mostra inspiração no conceito Monza, segue o estilo “cupê de quatro portas” no perfil suave do teto e destaca a ampla grade dianteira, algo protuberante. O Cx é ótimo, 0,26. O carro ficou 175 kg mais leve e adota recursos como faróis de leds que adaptam o facho para não ofuscar outros motoristas, capô móvel (sobe ligeiramente em caso de impacto para proteção do pedestre), projeção de informações no para-brisa, câmeras de 360 graus ao redor, caixa automática de oito marchas e vetorização de torque no sistema de tração integral.

Informações sobre motores ficam para o lançamento em 2017. No entanto, na Austrália a Holden divulgou que o Commodore usará um turbo de 2,0 litros, um V6 de 3,6 litros com 308 cv e um quatro-cilindros a diesel.

 

Opel Insignia

 

Holden Commodore

Texto da equipe – Fotos: divulgação