Novo Jeep Wrangler: mais leve e com motor 2,0 turbo

 

O novo Jeep Wrangler enfim aparece, depois de muitas especulações e algumas fotos antecipadas, no Salão de Los Angeles, EUA. O mais famoso jipe do mundo, herdeiro do Willys projetado para a Segunda Guerra Mundial, perdeu 110 kg com a adoção de novo chassi (ainda do tipo escada) e painéis de carroceria de alumínio. O desenho foi atualizado sem perder sua identidade.

 

 

As opções passam por trações simples e 4×4, duas e quatro portas, quatro versões de acabamento (Sport, Sport S, Sahara e Rubicon) e três de carroceria: fechada, com capota de lona elétrica e com painéis de teto removíveis. O Rubicon é o mais voltado ao fora de estrada, com pneus de 33 pol de diâmetro, para-lamas alargados, eixos Dana 44, suspensão revista e barras estabilizadoras que se desconectam por sistema eletrônico, a fim de aumentar o curso das rodas. No interior, a versão traz mostradores fora de estrada no quadro de instrumentos e na tela de 8,4 pol do sistema de áudio UConnect.

Como esperado, um motor turbo de 2,0 litros vem trazer mais eficiência ao Wrangler: com 272 cv e 40,8 m.kgf de torque, ele assume o topo da linha. Bateria de 48 volts e alternador/motor de partida, em um sistema híbrido leve, contribuem para aproveitar a energia ao desacelerar. Permanece a versão V6 com o Pentastar de 3,6 litros, 285 cv e 35,9 m.kgf. Um turbodiesel de 3,0 litros vem mais adiante. A transmissão pode ser manual de seis marchas ou automática de oito. A seleção do modo de tração continua por alavanca.

 

Texto da equipe – Fotos: divulgação