Novo Honda Fit: os detalhes, equipamentos e preços

Honda Fit EXL 01

 

A Honda apresenta o modelo 2015 do Fit, que marca sua entrada na terceira geração. Como antecipado no dia 4/4, há quatro versões de acabamento e duas de câmbio, manual e automático de variação contínua (CVT), aos seguintes preços sugeridos: DX manual, R$ 49.900; DX CVT, R$ 54.500; LX manual, R$ 54.200; LX CVT, R$ 58.800; EX CVT, R$ 62.900; e EXL CVT, R$ 65.900. O CVT substitui o antigo automático de cinco marchas.

O conteúdo de série do DX inclui ar-condicionado, direção assistida com volante regulável em altura, controles elétricos de vidros e travas, bolsas infláveis apenas frontais, freios antitravamento (ABS), cintos de segurança de três pontos para todos os ocupantes e pontos de ancoragem para assentos infantis compatíveis com os padrões Isofix e Latch.

 

 

O LX acrescenta rodas de alumínio (ainda de 15 pol), alarme, travamento de portas a distância, retrovisores com controle elétrico e rádio com entrada USB e interface Bluetooth para celular. No EX vêm ainda sistema de áudio com tela de 5 pol, câmera traseira para manobras, rodas de alumínio de 16 pol, faróis de neblina, ajuste do volante também em distância e chave em formato canivete. Por fim, o Fit EXL adiciona ao EX bolsas infláveis laterais dianteiras, controlador de velocidade, bancos revestidos em couro, retrovisores com luzes de direção e iluminação do painel em azul em vez de âmbar.

Além do novo desenho, com vincos marcantes, o Fit teve o interior refeito. Continuam o tanque de combustível em posição central, abaixo dos bancos, e o sistema de diversas configurações para o banco traseiro, que ganha a posição Refresh para os bancos dianteiros com reclinação completa. A distância entre eixos aumentou de 2,50 para 2,53 metros; o comprimento ganhou 10 cm. A capacidade de bagagem diminuiu de 384 para 363 litros, apesar do uso de estepe temporário.

 

Honda Fit EXL 08

 

Todas as versões agora têm o mesmo motor de 1,5 litro (o de 1,35 litro foi descartado) dotado de comando de válvulas variável I-VTEC e tecnologia Flex One, inédita no modelo, que permite a partida a frio pelo preaquecimento do álcool e dispensa o tanque suplementar de gasolina. A unidade tem potência de 115 cv e torque de 15,2 m.kgf, com gasolina, e 116 cv/15,3 m.kgf com álcool e recebeu maior taxa de compressão, comando de válvulas redesenhado e atrito e peso reduzidos.

O câmbio CVT agora usa conversor de torque em vez de embreagem, o que facilita aumentar a rotação em acelerações e tende a obter maior resistência em saídas em aclives severos. Não há comando para “mudanças” manuais. De acordo com a Honda, o consumo segundo padrões do Conpet do Inmetro melhorou em 8% com câmbio manual e 17% no CVT em comparação ao antigo automático. As suspensões foram revistas, mantendo os sistemas. De início fabricado em Sumaré, SP (de onde sai desde a primeira geração, de 2003), mas a partir de 2015 também na nova unidade de Itirapina, SP, o novo Fit começa a ser vendido em maio. A garantia é de três anos.

 

Fotos: Fit LX

 

Fotos: Fit EXL

Texto: Fabrício Samahá – Fotos: divulgação