Suzuki GSX-R comemora 30 anos; veja sua evolução

Suzuki GSX-R 30th Anniversary 03

 

A Suzuki lança no exterior uma edição comemorativa dos 30 anos de produção da série GSX-R, iniciada em 1985 com a versão 750. O pacote 30th Anniversary vem com decoração específica em azul e branco, que segue a do modelo inicial. Não há alterações técnicas na moto esportiva, que tem motor de quatro cilindros, potência de 150 cv e torque de 8,8 m.kgf. Nesses 30 anos a Suzuki vendeu mais de um milhão de unidades da série GSX-R mundo afora entre as versões de 50, 250, 400, 600, 750, 1.000 e 1.100 cm³, das quais as 600, 750 e 1.000 cm³ permanecem em produção.

 

 

 

A história

O modelo inicial da 750, designado pela letra F, trazia quadro de alumínio e motor arrefecido a ar e óleo. Em 1988 a moto era reprojetada (código J) com alterações no quadro, no motor e na aparência; as rodas passavam de 18 para 17 polegadas. No modelo L, de 1990, vinha o garfo invertido e os dois escapamentos davam lugar a um só no lado direito.

 

O visual mudava bastante em 1991 (versão M) com a adoção de lente única sobre os dois faróis circulares. No ano seguinte, a GSX-R de código WN adotava arrefecimento líquido. O sistema Suzuki Ram Air Direct, ou SRAD, vinha em 1996 na versão identificada como T, para admitir mais ar para o motor em alta velocidade, e o quadro era reprojetado com importante redução de peso. Dois anos mais tarde a 750 de código W recebia injeção eletrônica e chegava a 134 cv.

 

Quadro, motor e visual mudavam outra vez na linha 2000 (Y). Na década que se seguiu a designação usou a letra K e o número referente ao ano, como K1 para 2001 e K2 para 2002. Em 2004 (K4) a potência já alcançava 147 cv com refinamentos no motor, como válvulas de titânio, e vinha nova remodelação. No ano seguinte a esportiva K5 comemorava 20 anos com um pacote decorativo.

 

Estilo, motor e quatro eram refeitos outra vez na K6 de 2006, mas outro projeto seria lançado apenas em 2011 sob o código L1, pois a crise mundial de 2008 pôs um freio no rápido desenvolvimento das esportivas japonesas. A L1 trazia novo estilo, freios dianteiros Brembo (um reconhecimento da qualidade do fornecedor italiano), redução de peso em 9 kg e motor revisto para 150 cv. O atual modelo 2015 é designado como L5.

 

Texto: Fabrício Samahá – Fotos: divulgação