Mercedes-Maybach Classe S retoma a marca de luxo

Mercedes-Maybach S600 07

 

Em um salão com tantos carros de luxo como o de Los Angeles não poderia faltar um importante lançamento vindo da Alemanha: a história dos veículos de prestígio vindos da Daimler-Benz remonta aos primeiros dias do automóvel. Agora dá-se inicio a um novo capítulo com o Mercedes-Maybach Classe S, vindo ao mundo como o topo de linha do sedã. Seguindo o que já houve com a Mercedes-AMG, o nome Maybach deixa de ser uma marca isolada, como até 2012, para se tornar o máximo que a marca da estrela pode oferecer dentro de sua gama (a nosso ver, uma pena a omissão do sobrenome do pioneiro Karl Benz).

 

 

Visando ao máximo de bem estar, conforto e descanso para os dois ocupantes dos bancos traseiros, o Maybach traz mais espaço, acabamento feito à mão, detalhes nos painéis das portas em madeira e couro na altura dos ombros, grades cromadas para os tweeters do sistema de áudio (que podem ser rebatidos em um movimento espiral), cabos de fibra ótica para a iluminação ambiente e nível de ruído interno reduzido ao ponto que, segundo a marca, tornou este o mais silencioso sedã em produção no mundo.

 

Mercedes-Maybach S600 12

 

Com aparência de primeira classe de avião, os passageiros são envolvidos em detalhes de modernidade e luxo, com um ambiente claro, apoios de braços, revestimento em couro de alto padrão, mesas retráteis e almofadas. No painel encontra-se um relógio da marca IWC. Por fora a mudança mais marcante está na coluna traseira, que recebeu uma pequena janela e o logotipo da Maybach. Apesar do maior comprimento (ganho de 20 cm), o estilo foi bem trabalhado nas proporções, com teto levemente mais alto e mantendo a linha de cintura em forma de arco. Curiosamente, a porta traseira foi encurtada (em 6,6 cm) em relação à do Classe S alongado.

Para quem preferir estar no comando, estão disponíveis 530 cv oriundos do motor V12 de 6,0 litros e um abundante torque de 84,6 m.kgf. Há ainda a opção pelo Maybach S 500, com motor V8 biturbo de 455 cv e 71,4 m.kgf. Em ambos a velocidade máxima é limitada a 250 km/h. Com a nova estratégia, a Mercedes espera conquistar clientes da Rolls-Royce, uma das marcas da arquirrival BMW.

 

Texto: Jonathan Machado – Fotos: divulgação