Mercedes Classe X de produção deixa ousadia de lado

 

A Mercedes-Benz lança a Classe X, primeira picape de uma marca premium, que terá produção na Argentina e lançamento no Brasil no próximo ano. O projeto foi compartilhado com Nissan (Frontier) e Renault (Alaskan), mas a versão da marca alemã tem desenho próprio até mesmo nas laterais. Comparada aos conceitos do ano passado, fica grande decepção pelo estilo bem menos ousado da parte dianteira (certas expectativas não deveriam ser criadas).

 

 

A Classe X será vendida na Europa a partir de novembro nas versões Pure (simples, para trabalho), Progressive e Power. Entre os recursos disponíveis estão tela de 8,4 pol para sistema de áudio, bancos com couro ou camurça sintética e ajuste elétrico, chave presencial, câmeras de 360 graus ao redor do carro, faróis de leds e sete bolsas infláveis. A tampa da caçamba pode ser aberta em até 180 graus, para baixo, a fim de melhorar o acesso da carga. A capacidade de carga é de 1,1 tonelada, e a de tração, 3,5 ton.

Apenas motores a diesel estão no catálogo inicial: de 2,3 litros com um turbo e 163 cv (versão X 220 D) e com dois turbos e 190 cv (X 250 D), como na Frontier. Mais tarde vêm a X 200 a gasolina (165 cv) e a X 350 D a diesel (V6 de 258 cv). A Classe X pode ter caixa manual de seis marchas ou automática de sete, tração traseira ou dois tipos de integral (temporária e permanente), rodas entre 17 e 19 pol e dois tipos de suspensão, com vão livre do solo de 202 ou 222 mm. O chassi, separado da carroceria, usa molas helicoidais à frente e atrás.

 

Texto da equipe – Fotos: divulgação