Mercedes-AMG adota V8 de até 510 cv no GLC 63

 

O V8 está vivo, como tem provado a Mercedes-AMG ao aplicá-lo a tantos modelos quanto possível. O mais novo a receber um é o GLC, utilitário esporte médio que sucedeu ao GLK: no Salão de Nova York aparecem as versões AMG GLC 63 (mostrada em cinza) e AMG GLC 63 Coupe (branco), ambas com a unidade biturbo de 4,0 litros. A configuração básica produz potência de 476 cv e torque de 66,3 m.kgf, que passam a 510 cv e 71,4 m.kgf com a adição da letra S aos nomes.

 

 

Esses adversários a Audi SQ5, Porsche Macan Turbo e ao provável BMW X3 M aceleram de 0 a 100 km/h em 4,0 segundos nas versões 63 e em 3,8 s na 63 S, sempre com máxima limitada a 250 km/h. Todos usam tração integral permanente, caixa automática de nove marchas (com embreagem em vez de conversor de torque), suspensão a ar com controle eletrônico e grandes rodas (de 19 pol nos 63 e de 20 pol nos 63 S). O seletor de modos de condução inclui o programa Race (corrida) no caso do GLC Coupe.

 

Texto da equipe – Fotos: divulgação