Lotus Evija usa quatro motores elétricos para 2.000 cv

 

O motor a combustão começa a entrar para a história na Lotus. A marca inglesa apresenta o Evija, primeiro supercarro elétrico britânico, que estreia com 2.000 cv para ser o carro de série mais potente do mundo. O desempenho não corresponde a tanta potência, mas impressiona mesmo assim, com menos de 3 segundos para acelerar de 0 a 100 km/h e máxima acima de 320 km/h. De 100 a 200 bastam 3 segundos, e de 200 para 300 km/h, só mais 4 s. O torque chega a 173,5 m.kgf.

 

 

 

O Evija (nome que significa o primeiro em existência) usa um monocoque de fibra de carbono em peça única e pesa 1.680 kg, pouco para um supercarro elétrico, que precisa de muitas baterias para dar conta de seu desempenho. As baterias de íons de lítio de 70 kWh ficam em posição central, como muitos motores da Lotus, e a autonomia chega a 400 km. A recarga pode ser de até 800 kW, mas com os carregadores atuais de 350 kW bastam 12 minutos para obter 80% da carga.

 

 

Ele usa quatro motores elétricos, próximos a cada roda, que promovem vetorização de torque para melhor estabilidade. A carroceria tem aerofólio traseiro ativo, faróis de laser para ambos os fachos (uma primazia mundial) e câmeras em vez de retrovisores. No interior, os bancos são de fibra de carbono e o volante lembra o de carros de Fórmula 1. O carro ganha as ruas em 2020 com produção limitada a 130 unidades e preço unitário de 1,7 milhão de libras esterlinas (quase R$ 8 milhões) mais impostos.

 

Texto da equipe – Fotos: divulgação