Land Rover Defender ressurge com recursos atualizados

 

O Land Rover Defender, modelo mais icônico da marca inglesa, volta ao mercado no Salão de Frankfurt com projeto atualizado e conveniências que o modelo original nunca imaginou ter. O jipe de três ou cinco portas lembra tanto o Defender clássico, que saiu de linha em 2016, quanto outros Land Rovers (caso do primeiro Discovery de 1989) no estilo. A versão mais curta é chamada de 90 e a maior de 110, como no passado. Há opção de dois lugares de emergência, em total de sete, para a 110.

 

 

 

O Defender baseia-se em um monobloco de alumínio, a carroceria mais resistente que a Land Rover já produziu, com suspensão totalmente independente. Entre os recursos do novo 4×4 sobressaem, claro, os voltados ao uso fora de estrada. O sistema Terrain Response 2 ajusta vários parâmetros ao tipo de terreno, podendo ser configurado pelo motorista. A suspensão pode ter molas a ar, controle eletrônico e ajuste automático de altura com elevação em até 145 mm.

 

 

A tecnologia Clear Sight Ground View simula um capô transparente, ao mostrar na tela central as áreas normalmente escondidas pelo capô logo à frente das rodas. Outra tecnologia é a Software Over The Air, com 14 módulos individuais capazes de receber atualizações remotas, sem ir à concessionária.  O sistema de áudio Pivi Pro exige menos ações para as tarefas frequentes. O mapa de navegação em 3D pode aparecer no quadro de instrumentos. Pelo sistema Land Rover’s Remote pode-se controlar a temperatura do interior, nível de combustível e localização a distância. Há ainda projeção de informações no para-brisa, controlador de distância à frente e teto de tecido dobrável opcional para os passageiros da segunda fila.

 

 

A linha compreende as versões S, SE, HSE, First Edition e X. São quatro opções de motores, duas a diesel e duas a gasolina. O destaque é o P400, híbrido com recarga externa, que combina motores a gasolina (turbo de 3,0 litros e seis cilindros) e elétrico para 400 cv e 57,2 m.kgf combinados, mas não está disponível na fase inicial. O P300 usa um turbo de 2,0 litros e 300 cv. As opções a diesel são de 2,0 litros com dois turbos, uma com 200 cv e outra com 240 cv. Toda a linha usa transmissão ZF automática de oito marchas com redução e, claro, tração integral.

O lançamento para o Brasil está marcado para 2020, ainda sem preços e especificações de versões.

Mais novidades do Salão de Frankfurt 2019

Texto da equipe – Fotos: divulgação