La Ferrari soma motores V12 e elétrico para 963 cv

 

Surge o sucessor da linhagem de supercarros mais especiais da Ferrari, que conta com modelos inesquecíveis como o 250 GTO dos anos 60, o 288 GTO e o F40 dos 80, o F50 dos 90 e o Enzo da década passada. Chama-se simplesmente La Ferrari, ou “a Ferrari”, como que resumindo o que a própria marca expressa em tecnologia, desempenho e carisma.

 

 

O La Ferrari (sim, aqui no Best Cars carros são masculinos, Ferraris incluídos) é o primeiro modelo da marca de Maranello a adotar o sistema Hy-Kers, uma propulsão híbrida inspirada no Kers da Fórmula 1, que faz o motor elétrico auxiliar a unidade a gasolina. O motor V12 de 6.262 cm³ desenvolve a potência de 800 cv a 9.000 rpm (potência específica de nada menos que 128 cv por litro, sem usar turbo ou compressor!) e o torque de 71,4 m.kgf a 6.750 rpm; pode atingir 9.250 rpm. Somado o motor elétrico de 163 cv, são 963 cv e 92 m.kgf. Outra unidade elétrica aciona acessórios.

Quanto anda o novo supercarro? Muito: acelera de 0 a 100 km/h em menos de 3 segundos, chega a 200 em 7 s, passa pelos 300 km/h em 15 s, atinge mais de 350 km/h e completa a volta no circuito de Fiorano em 1 min 20 s, ou seja, 5 s mais rápido que o Enzo e em 3 s a menos que o F12 Berlinetta.

 

 

A bateria, fixada ao chassi em posição central para contribuir com a distribuição de massas entre os eixos, recebe energia tanto nas desacelerações quanto nas acelerações, caso o V12 produza maior torque que o adequado para tracionar as rodas. Não foi prevista rodagem apenas com eletricidade, mas a Ferrari anuncia ter esse objetivo em uma futura evolução.

O chassi usa quatro tipos de fibra de carbono. Na carroceria ou mesmo abaixo dela, os anexos aerodinâmicos assumem diversas posições para produzir sustentação negativa apenas quando necessária, sem prejudicar todo o tempo a aerodinâmica. No interior, o banco do motorista-piloto é fixo e adequado a suas medidas, enquanto pedais e volante podem ser ajustados.

Câmbio automatizado de dupla embreagem com sete marchas, suspensão (por braços sobrepostos na dianteira e multibraço na traseira) com carga ajustável de amortecedores, pneus Pirelli P-Zero (265/30 R 19 na frente e 345/30 R 20 atrás) e freios Brembo com discos de carbono-cerâmica, de composição inédita, também estão presentes no La Ferrari.

 

Texto: Fabrício Samahá – Fotos: divulgação