Ford Focus: o que ele traz de novo na quarta geração

 

O Ford Focus chega à quarta geração na Europa, 20 anos depois que o primeiro apareceu no Salão de Genebra de 1998. O médio da marca do oval evoluiu em segurança, assistências ao motorista e eficiência, como tem sido regra nos lançamentos europeus.

O desenho do cinco-portas e da perua, os únicos mostrados por enquanto, ganham mais vincos e abandonam algumas tradições. Pela primeira vez as janelas laterais do hatch terminam nas portas, sem uma fixa na extremidade traseira, e as lanternas adotam formato horizontal, lembrando as do novo Fiesta europeu. O entre-eixos aumentou em 53 mm. A linha agora inclui a versão “aventureira” Active (com maior altura de rodagem) e a luxuosa Vignale, como no “irmão menor”, ao lado de Trend, Titanium e ST-Line.

 

 

No interior, a tela central de 8 pol do sistema Sync 3 segue o padrão flutuante já visto no Ecosport e no Fiesta de lá, a alavanca de transmissão automática dá lugar a um botão giratório (como no Fusion) e o freio de estacionamento passa a ser elétrico em algumas versões. Projeção de informações em uma lâmina perto do para-brisa, seletor de modos de condução, roteamento de internet para até 10 dispositivos e carregamento de celular por indução são inéditos no modelo e há o aplicativo Ford Pass para diversas funções.

 

 

Recursos para ajudar o motorista incluem controlador de distância com função para-anda, assistente para manter a faixa da via, auxílio de direção para desviar de carro muito lento ou parado (mesmo em rodovia) e leitura de placas da via. Esta última é usada até mesmo para antecipar a função autodirecional dos faróis. O assistente para estacionar evoluiu e agora dispensa mudanças de marcha.

Os motores iniciais a gasolina são os de 1,0 litro (85, 100 e 125 cv) e 1,5 litro (150 e 182 cv) da série Ecoboost, com três cilindros, turbo e injeção direta; opções turbodiesel são de 1,5 litro (95 e 120 cv) e 2,0 litros (150 cv com torque de 37,7 m.kgf). Em vez da caixa automatizada de dupla embreagem e seis marchas (antes chamada de Powershift), o Focus recebe uma automática de oito com conversor de torque.

Com a nova plataforma C2 da Ford e estrutura 20% mais resistente à torção, o modelo oferece pela primeira vez controle eletrônico de amortecimento. A suspensão traseira segue o conceito de braços sobrepostos e usa subchassi com isolamento de vibrações, mas apenas para as versões mais potentes; a 1,0 a gasolina e a 1,5 diesel passam a ter eixo de torção.

 

Texto da equipe – Fotos: divulgação