Fiat Mobi GSR: o que mudou na caixa automatizada

 

Assim que a Fiat anunciou ontem (29) a transmissão automatizada GSR-Comfort para o Mobi Drive, a dúvida apareceu: por que a nova denominação e não a habitual Dualogic, em uso para esse tipo de caixa desde o Stilo de 2008?

Questionada pelo Best Cars, a Fiat explicou que se trata basicamente do mesmo sistema de automatização das mudanças de marcha, mas com aprimoramentos que justificam o novo codinome. E que também no Uno 1,35-litro a caixa passa a se chamar GSR-Comfort, enquanto modelos com outros motores mantêm o nome Dualogic.

O que diferencia, então, a caixa do Mobi? Em resumo, o que se segue:

 

 

1) Estabilização de marcha: a caixa inibe uma troca automática para cima quando a considera desnecessária, o que reduz o número de trocas em um período.

2) Classificação de marcha: houve redução da inércia do atuador de engate durante a sincronização de marcha, a fim de reduzir o ruído característico da transmissão nas mudanças.

3) Aumento da rotação de marcha-lenta em saídas em aclive. Como o Mobi não dispõe de assistente de saída em rampa, de série no Uno automatizado, foi prevista uma estratégia para facilitar as arrancadas em aclive. A central eletrônica recebe a informação de inclinação e eleva a rotação de marcha-lenta a até 1.580 rpm, se necessário. Isso ocorre apenas quando o motorista começa a liberar o pedal de freio: enquanto o pedal está pressionado, a rotação permanece normal.

4) Calibração da reserva de torque durante a troca de marchas: no caso de mudança para cima, há uma pequena elevação de rotação antes do engate da próxima marcha, o que aumenta o conforto e evita o “efeito soluço” conhecido dos automatizados.

 

 

Texto: Fabrício Samahá – Fotos: divulgação