F8 Spider e 812 GTS, os novos conversíveis da Ferrari

 

A Ferrari preparou dois novos conversíveis para o Salão de Frankfurt, que abre ao público de 14 a 22 deste mês: o F8 Spider, derivado do F8 Tributo, e o 812 GTS, baseado no 812 Superfast. No F8 Spider (acima), que substitui o 488 Spider, o teto rígido retrátil recolhe-se em 14 segundos, o que pode ser comandado a até 45 km/h. O motor segue um V8 biturbo de 3,9 litros com 720 cv e torque de 78,5 m.kgf, que o leva de 0 a 100 km/h em 2,9 segundos com máxima de 340 km/h. O peso de 1.400 kg a seco, quando dotado de acabamentos opcionais de fibra de carbono, supera por pouco o do Tributo.

 

 

 

 

Por sua vez, o 812 GTS (acima) estreia com o título de conversível de série mais potente da atualidade. Com um V12 aspirado de 6,5 litros, 800 cv e 73,2 m.kgf (note que o torque perde para o do F8), ele vai de 0 a 100 em menos de 3 segundos, passa pelos 200 em 8,3 s e alcança mais de 340 km/h. Como no F8, o teto rígido recolhe-se em 14 s e a até 45 km/h.  O vidro traseiro com controle elétrico tanto pode ser mantido elevado com teto aberto, para cortar o retorno de vento, quando ser rebaixado com teto fechado para se ouvir melhor a trilha sonora do V12.

 

 

O 812 é o primeiro Ferrari aberto de produção normal com um V12 dianteiro em meio século: o último foi o 365 GTS/4 ou “Daytona” Spider em 1969. Depois dele houve apenas edições limitadas: 550 Barchetta em 2000, Superamerica (derivado do 575) em 2005, SA Aperta (baseado no 599 GTB Fiorano) em 2010 e F60 America (a partir do F12) em 2014.

Texto da equipe – Fotos: divulgação