Etios: os detalhes do novo pequeno da Toyota

 

A Toyota inaugurou hoje (3) em São Paulo a primeira exposição da Etios Connection, evento que apresenta ao público seu próximo lançamento (esperado para setembro), dá início aos “pré-pedidos” do carro e serve para coletar impressões para possíveis acertos de última hora. O Best Cars esteve lá para trazer mais detalhes do modelo, já que apenas algumas mídias tiveram acesso prévio a ele em um evento no Japão.

Como anunciamos há dois dias, os preços do Etios ficarão entre R$ 35 mil e R$ 48 mil, faixa que compreende duas versões do hatch de cinco portas (XS, com motor de 1,35 litro, e XLS com o de 1,5 litro) e uma do sedã de quatro portas (XLS 1,5), sempre com câmbio manual — um automático pode vir no futuro, segundo a empresa. O nome Liva, usado no hatch em outros mercados, foi abolido aqui.

O primeiro motor, de 1.329 cm³, desenvolve potência de 84 cv a 5.600 rpm e torque de 11,9 m.kgf a 3.100 rpm, com gasolina, ou 90 cv e 12,8 m.kgf aos mesmos regimes com álcool. O outro, de 1.496 cm³, é pouco mais potente: 92 e 96,5 cv a 5.600 rpm e o mesmo torque de 13,9 m.kgf a 3.100 rpm com qualquer combustível. Vale notar que os índices não foram divulgados pelo fabricante, mas constavam do manual presente no carro exposto. Algumas mídias devem endossar o erro de impressão do livreto, que indicava potência a 3.600 rpm para o motor de 1,5 litro. Não acredite.

 

 

E como são os Etios por dentro? O primeiro ponto a chamar atenção é o painel com quadro de instrumentos em posição central, com grandes velocímetro e conta-giros em forma de arco e um marcador de combustível digital, bastante pequeno. O quadro vem ali para dispensar alterações entre as versões do carro vendidas em diferentes mercados, com volante à esquerda ou à direita. Outras soluções algo estranhas são os difusores de ar centrais deslocados à direita, posição compensada pelo sistema de ajuste muito prático, e a imensa tampa do porta-luvas que toma toda a seção do painel adiante do passageiro. Fica para ser julgada adiante a eficácia do único braço do limpador de para-brisa.

O motorista senta-se bem no Etios, mas não há ajuste de altura para o banco (para o volante, sim). O acabamento é simples como habitual na categoria, com plásticos rígidos e de textura áspera, enquanto uma boa qualidade de montagem, sem rebarbas ou encaixes defasados, mostra que a Toyota buscou preservar sua imagem mesmo nesse modelo de entrada. Entre os detalhes convenientes estão entrada USB no aparelho de rádio, bons espaços para objetos e comando interno das tampas do tanque de combustível e do porta-malas. O Etios vem ainda com repetidores laterais de luzes de direção e pneus em medida 185/60 R 15 (Bridgestone Turanza no apresentado).

 

 

Espaço interno é um ponto de destaque do modelo, que mede 4,26 metros de comprimento e 2,55 m de distância entre eixos no sedã (3,77 e 2,46 m no hatch), com largura de 1,69 m em ambos. Atrás de um motorista de média estatura colocamos um passageiro alto, de 1,86 m, que relatou posição confortável para pernas e cabeça e um espaço lateral bem aproveitado. O excelente porta-malas do sedã leva 595 litros; o do hatch, apenas regular, acomoda 251 litros. Pequeno é o tanque de combustível de 45 litros, possível fonte de críticas para usuários que rodarem com álcool. Dados no exterior apontam peso ao redor de 900 kg.

Como pontos negativos, há encosto de cabeça apenas para dois dos passageiros de trás (idem para cinto de três pontos), as janelas laterais traseiras descem bem menos que o usual (cerca de 60% do vão), o banco não é bipartido e, no sedã, o vão de comunicação entre cabine e porta-malas fica prejudicado por chapas de reforço estrutural. Sob o compartimento de bagagem, por dentro, vem o estepe em tamanho integral — mas não o macaco, que alguém decidiu colocar em local inusitado, sob o banco do motorista.

Confira muito mais imagens do Etios

Texto: Fabrício Samahá e Paulo de Araújo – Fotos: divulgação