Oficial: como ficou o Audi A1, maior e com painel digital

 

A Audi divulga oficialmente o A1 de segunda geração, cujas fotos vazaram na internet nesta segunda pelo site belga Autotijd.beCom desenho mais anguloso e robusto que o atual, o pequeno hatchback será produzido apenas com cinco portas. Apesar da opção de teto em cor diferente da carroceria, o A1 deixa de usar o recurso do arco sobre as janelas: agora, a larga coluna traseira é que sobressai por manter a mesma cor da parte inferior.

 

 

O interior adota quadro de instrumentos digital configurável (Virtual Cockpit), ampla tela central para áudio e navegação (de 8,8 ou 10,1 pol, conforme a versão) e um arranjo de difusores de ar à frente do passageiro. O áudio de topo é Bang & Olufsen de 560 watts. Entre as assistências estão controlador da distância à frente, monitor do risco de colisão Pre-Sense e assistente de estacionamento. O A1 passa a usar a plataforma MQB-A0 do VW Polo. O entre-eixos cresce em 9 cm para 2,56 metros e o comprimento passa a 4,03 m. O porta-malas aumenta em 65 litros para 335.

 

 

A linha de motores inclui os turbos a gasolina de 1,0 litro (a partir de 95 cv), 1,5 litro (150 cv) e 2,0 litros (200 cv). Um opção turbodiesel poderá ficar mesmo de fora, diante da queda de aceitação desses motores e a prioridade do grupo VW à propulsão elétrica para os próximos anos. A caixa de dupla embreagem S-Tronic de seis ou sete marchas é opcional. Há três versões de suspensão (normal, mais firme e com controle eletrônico de amortecedores), sempre com eixo traseiro de torção. A opção de tração integral, que o A1 anterior teve na versão esportiva S1 Quattro, ainda não se confirmou.

 

Texto da equipe – Fotos: divulgação