BMW remodela Série 7; motores vão de 265 a 585 cv

 

O BMW Série 7 chega remodelado à linha 2020, ainda dentro da geração G11/G12 que está no mercado desde 2015. Frente e traseira foram redesenhadas, com elevação de 5 cm da extremidade dianteira e aumento de 40% da grade dupla, medidas que explicam o aspecto mais imponente — e, a nosso ver, menos elegante. Continuam disponíveis duas medidas entre eixos, uma delas 14 cm maior, com comprimentos de 5,12 e 5,26 metros.

 

 

No interior a empresa de Munique redesenhou o volante, adotou quadro de instrumentos digital de 12,3 pol e tela de 10,25 pol para a central de áudio. Outras duas telas, de 10 pol cada, exibem vídeos aos passageiros de trás. Eles se beneficiam também de vidros laterais mais espessos para melhor isolamento acústico.

 

 

O motor V8 de 4,4 litros com dois turbos do 750i/750Li é da nova fase lançada no Série 8, com 530 cv e torque de 76,5 m.kgf. O topo de linha M 760Li XDrive vem com o V12 biturbo de 6,6 litros, 585 cv e 86,7 m.kgf, apto a acelerar de 0 a 100 km/h em 3,8 segundos com máxima de 305 km/h. A opção híbrida 745E tem um seis-cilindros em linha com auxílio elétrico para 388 cv e 61,2 m.kgf, podendo rodar mais de 50 km com eletricidade. Existem ainda versões turbodiesel: 730D, de 3,0 litros com um turbo, 265 cv e 63,4 m.kgf; 740D, com dois turbos, 320 cv e 69,4 m.kgf; e 750D, com três turbos, 400 cv e 77,5 m.kgf.

 

Texto da equipe – Fotos: divulgação