Audi A4 faz 25 anos: relembre sua história em 40 fotos

 

O Audi A4 comemora seu aniversário de 25 anos de produção: foi em maio de 1994 que o sucessor do modelo 80 saiu pela primeira vez da linha de montagem em Ingolstadt, na Alemanha. Desde então, mais de 7,5 milhões de unidades foram fabricadas em quatro gerações do A4. Ele hoje é o modelo Audi mais popular do mundo, com cerca de 20% da produção da marca. É feito nas unidades alemãs de Ingolstadt e Neckarsulm e, para os mercados asiáticos, também em Changchun, na China, e em Aurangabad, na Índia.

Relembre a trajetória do modelo.

 

O primeiro Audi A4 (plataforma B5) assumia a nova regra de nomenclatura da marca. As belas linhas eram inspiradas no conceito Avus, com cantos arredondados, para-choques “limpos” (sem a então tradicional seção de luzes), teto em forma de arco, leve descida da coluna traseira e tampa do porta-malas simulando um defletor. Na mecânica a maior novidade estava em motores com cinco válvulas por cilindro, um deles o turbo de 1,8 litro que equiparia os nacionais Audi A3 e VW Golf GTI. O V6 de 2,8 litros e 30 válvulas rendia 180 cv. A tração era dianteira com opção pela integral Quattro; depois surgiu a carroceria perua Avant.

 

 

Na linha 1998 vinha a primeira reestilização: faróis, lanternas e para-choques. Surgiam o esportivo S4, com motor V6 biturbo de 2,7 litros e 30 válvulas com 265 cv, e a perua RS4 Avant, com 380 cv a partir da mesma unidade. Ficavam para trás os 315 cv da perua RS2 da linha 80, cujo motor fora desenvolvido em parceria com a Porsche.

 

No modelo 2001 o A4 mudava de geração, passando para a plataforma B6. A maior ruptura no desenho ficava na tampa do porta-malas, com uma queda suave. As linhas e o interior foram inspirados nos do A6 e havia opção pela transmissão de variação contínua (CVT) Multitronic. Também surgia o A4 Cabriolet. Em 2002 o motor 1,8 passava a até 190 cv. Um ano mais tarde o S4 era renovado, agora com V8 de 4,2 litros e 344 cv.

 

O A4 era revisado para a linha 2005 com mais segurança. No RS4 o motor V8 de 4,2 litros passava a 420 cv, tornando o sedã capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em 4,8 segundos. O S4 era mantido com 344 cv.

 

 

Em agosto de 2007 o A4 passava para a plataforma B8, recebendo a variação cupê A5. A distância entre-eixos estava 16 cm maior. A perua ganhava a versão Allroad Quattro, com tração integral permanente, maior altura em relação ao solo e adereços “aventureiros”.

 

Mudanças na frente e na traseira vinham no modelo 2013. A esportiva RS4 Avant extraía 450 cv do motor V8 de 4,2 litros para 0-100 em 4,7 s.

 

A quarta geração (B9) aparecia em junho de 2015 com maiores dimensões, mas peso reduzido em 120 kg na versão de entrada, com emprego de alumínio em parte da carroceria. O coeficiente aerodinâmico (Cx) do sedã, 0,23, era outro destaque. Havia recursos como faróis Matrix Led, quadro de instrumentos em tela configurável, projeção de informações no para-brisa, recarga de telefone celular por indução e assistente para seguir o trânsito a até 65 km/h. Os motores eram turbo a gasolina de até 252 cv ou turbodiesel de até 272 cv. Uma versão alongada foi desenvolvida para a China.

 

No novo S4, o motor V6 de 3,0 litros com turbo chegava a 354 cv para 0-100 em 4,7 segundos. Ainda mais potente era a RS4 Avant, de 2017: com um V6 biturbo de 2,9 litros e 450 cv, era capaz de 0-100 em 4,1 s e máxima de 280 km/h. Os adeptos do fora de estrada contavam com a nova Allroad.

Texto: Fabrício Samahá e Jonathan Machado – Fotos: divulgação