Ford EcoSport, boa entrada para ver o trânsito ”de cima”

 
Grade, logotipo no capô, molduras laterais: o EcoSport 2011 (acima o Freestyle) recebia
leves alterações visuais para se manter no mercado até a chegada da nova geração

 

“Não dá status, mas aguenta serviço”

O EcoSport tem uma característica que muitos desejam; é um carro alto. Outros pontos elogiados pelos proprietários que participaram do Teste do Leitor do Best Cars são o desempenho (sobretudo com motor 2,0-litros), o custo de manutenção básica e os itens de conveniência.

 

“A manutenção é barata e não é de quebrar: rodei até os 87.000 quilômetros fazendo praticamente só manutenção de rotina”, conta um leitor

 

Francisco Hélio Dantas Júnior, de Maceió, AL, tem um EcoSport XLT 2,0 16V automático 2011 e elogia seu carro: “É uma boa compra! Confortável e sem frescura. Não dá status, mas aguenta serviço! Rodo 2.500 quilômetros por mês, usando motor e câmbio no limite por todo tipo de estrada e, até agora, sem problemas. Além disso, o carro tem um desenho agradável, boa posição de dirigir, bom desempenho na cidade e excelente na estrada, seguro e manutenção baratos e um bom computador de bordo, além do sistema de áudio com viva-voz”.

Daniel S. Telles roda por Curitiba, PR, a bordo de um EcoSport XLS 1,6 2008 e destaca seus pontos positivos: “A posição de dirigir elevada é cativante (embora eu sinta falta de um apoio para o pé esquerdo). O câmbio é de engate suave e preciso, com o pedal da embreagem sendo um dos mais leves. Facilidade para manobrar em vagas apertadas. O sistema My Connection da Ford é ótimo, fácil de usar e muito prático, tanto com o Bluetooth quanto com o Ipod. Manutenção mecânica com valores baixos (fora da concessionária, é claro). O painel, apesar de simples, tem aparência agradável e leitura fácil”.

 

 
Computador de bordo e chave do tipo canivete vinham no Freestyle, mas o câmbio
automático estava restrito às versões XLS e XLT; a garantia passava a três anos

 

Outros elogios partem de Alcemar Sutello Júnior, de Canoas, RS, dono de um EcoSport 1,6 de versão não informada: “O carro é muito bom. Econômico, chega a fazer 14 km/l entre cidade e rodovia. Tem boa dirigibilidade, pois se fica acima dos demais carros, permitindo que se antecipe a algumas situações do trânsito. A manutenção é barata e não é de quebrar. Comprei-a zero-quilômetro e rodei até os 87.000 quilômetros fazendo apenas a troca das hastes da barras axiais da direção. No mais, foi só manutenção de rotina. Eu só tive alegrias com o carro, recomendo. O preço de revenda não é dos piores e tem boa aceitação na hora da troca”.

 

 

O EcoSport, porém, também exibe seus pontos fracos, como consumo e acabamento, que evoluiu mas ainda não se demonstrou satisfatório. O citado Daniel Telles observa: “Consumo elevadíssimo e desempenho medíocre, revelando a clara inadequação do motor 1.6 ao peso do carro. Com o ar-condicionado ligado, parece carro 1.0! Nunca consegui passar de 5 km/l de álcool ou de 6 km/l de gasolina na cidade. Acabamento de péssima qualidade, digno de carros populares, com rebarbas de plásticos até mesmo no volante! Bancos com tecido áspero. Péssimo isolamento acústico interno. A suspensão é frágil e extremamente barulhenta! Múltiplos ruídos nas portas e no console. A tampa do porta-malas tem abertura pouco prática e é pesada para fechar. Freios parecem fracos. Instabilidade acima de 120 km/h. O ar-condicionado parece fraco em dias mais quentes”.

Outras reclamações são as de Oziel Luiz de Lima, de Cabo de Santo Agostinho, PE, dono de um XLT 1,6 2008: “O consumo é ruim, a suspensão é muito dura”. Mauro Gomes da Silva tem um XLT 2,0 16V automático 2008 e também não está satisfeito: “Acabamento fraco, com rebarbas e muito plástico. O câmbio automático fica ‘bobo’ em algumas circunstâncias e não consegue identificar a marcha ideal. Falta abertura interna da tampa do reservatório de combustível”.

 

 
A versão 4WD acompanhava as renovações para 2011 e oferecia couro em dois tons 

 

Existem alguns defeitos apresentados pelo EcoSport que merecem destaque, como problemas nos módulos do controle elétrico de vidros e do alarme, infiltração de água nas portas, ruídos internos diversos (em que pese as melhorias feitas no acabamento desde o modelo 2008), problemas na boia e na bomba de combustível, ruídos e estalos nas suspensões, estes com frequência.

No Teste do Leitor, 60,3% dos donos de EcoSport entre 2008 e 2012 declaram-se muito satisfeitos com o carro. Embora não seja tenhamos feito Guias de Compra com concorrentes diretos, servem como referência os índices obtidos por hatches médios, que têm faixa de preço semelhante: entre os 62,8% do Chevrolet Vectra e os 90,9% do Hyundai I30 de primeira geração. Portanto, o utilitário esporte ficou abaixo dos padrões do mercado. Quanto à rede de concessionárias Ford, obteve a mesma aprovação de apenas 26,4% dos proprietários, o que a deixaria em último lugar se o EcoSport fosse inserido entre os hatches (cujos índices variaram de 31,8% para o Hyundai até 58% para o Nissan Tiida).

Defeitos e limitações à parte, o EcoSport é uma interessante opção para quem deseja um carro com ampla visibilidade do trânsito, capaz de transitar em caminhos pouco mais complicados com relativo conforto, e não necessita de muito espaço pra bagagem, com a vantagem da manutenção barata e da facilidade de revenda.

Veja opiniões dos donos Opine sobre seu carro

 

Custos de manutenção

Concessionária Mercado paralelo
Disco de freio (par) R$ 315 R$ 150
Pastilhas de freio dianteiras (par) R$ 260 R$ 65
Amortecedores (jogo de 4) R$ 775 R$ 770
Pneus (Pirelli Scorpion ATR, 205/65 R 15, cada) R$ 475
Para-lama dianteiro (cada) R$ 525 R$ 175
Para-choque dianteiro R$ 1.145 R$ 360
Farol (cada) R$ 635 R$ 235
Mão de obra (hora) ND
Preços médios para EcoSport XLS 1,6 2010 obtidos pelo Sistema Audatex (concessionária) e lojas de autopeças, em pesquisa em agosto de 2013; não envolvem instalação e pintura quando cabível; ND= não disponível

 

Cotações de seguro

Custo médio Franquia média
  • EcoSport XLS 1,6 Flex 2010  
Alto risco R$ 11.025 R$ 2.885
Médio risco R$ 2.130 R$ 2.650
Baixo risco R$ 1.050 R$ 2.455
  • EcoSport XLT 2,0 16V Flex automático 2010  
Alto risco R$ 11.675 R$ 2.885
Médio risco R$ 2.230 R$ 2.650
Baixo risco R$ 1.090 R$ 2.455
Custos médios obtidos em pesquisa da Depto Corretora de Seguros em ago/13; conheça os perfis

 

Satisfação dos proprietários

Com o carro Com as concessionárias
Muito satisfeitos 60,3% 26,4%
Parcialmente satisfeitos 27,6% 43,4%
Insatisfeitos 12,1% 9,4%
Não utilizam 20,8%
Estatística obtida no Teste do Leitor com 53 proprietários até ago/13

 

Compare as versões

Versão Faixa de preço Anos-modelo disponíveis
EcoSport XL 1,6 Flex R$ 29.495 a R$ 41.100 2008 a 2012
EcoSport XLS 1,6 Flex R$ 30.555 a R$ 42.100 2008 a 2012
EcoSport XLT 1,6 Flex R$ 32.620 a R$ 42.825 2008 a 2012
EcoSport XLT 1,6 Freestyle Flex R$ 32.495 a R$ 43.215 2008 a 2012
EcoSport XLS 2,0 16V automático* R$ 32.860 a R$ 44.000 2008 a 2012
EcoSport XLT 2,0* R$ 33.645 a R$ 43.835 2008 a 2012
EcoSport XLT 2,0 automático* R$ 34.120 a R$ 45.260 2008 a 2012
EcoSport XLT 2,0 16V Freestyle* R$ 35.695 a R$ 48.215 2009 a 2012
EcoSport 4WD 2,0 16V* R$ 34.255 a R$ 47.920 2008 a 2012
Preços fornecidos pela FIPE e válidos para ago/13; *Flex de 2010 em diante
Versão Comb. Potência Torque (m.kgf) Vel. máxima 0 a 100 km/h Cons. cidade Cons. rodovia
Motor 1,6 Flex, câmbio manual gas. 105 cv 14,9 162 km/h 13,6 s 9,8 km/l 15,1 km/l
álc. 111 cv 15,8 167 km/h 13,1 s 7,9 km/l 12,1 km/l
Motor 2,0 16V, manual gas. 143 cv 19,2 180 km/h 10,3 s 11,1 km/l 13,7 km/l
Motor 2,0 16V, automático gas. 138 cv 18,4 ND 12,9 s ND ND
Motor 2,0 16V Flex, manual gas. 141 cv 19,1 ND 10,1 s 10,5 km/l 13,3 km/l
álc. 145 cv 19,5 ND 9,9 s 7 km/l 9,2 km/l
Motor 2,0 16V Flex, automático gas. 141 cv 19,1 ND 12,7 s 9,6 km/l 13 km/l
álc. 145 cv 19,5 ND 12,5 s 6,5 km/l 8,8 km/l
Motor 2,0 16V, manual, 4WD gas. 143 cv 19,2 180 km/h 10,7 s 9,6 km/l 12,9 km/l
Motor 2,0 16V Flex, manual, 4WD  gas. 141 cv 19,1 ND ND 9,7 km/l 13 km/l
álc. 145 cv 19,5 ND ND 6,5 km/l 8,5 km/l
Dados do fabricante. ND = não disponível