Na Estrada – colunas anteriores

Por Marco Antônio Oliveira

 O que o cliente Fiat ganha e perde com os motores Chevrolet

 O rodízio de veículos traz poucos ganhos, mas muitos inconvenientes

 A Mercedes fabricando “Ferraris” na Alemanha e a Audi fazendo “Porsches” na Itália

 Uma análise sobre a validade da regra de que “beleza é fundamental”

 Andando devagar com carros potentes, percebem-se os inconvenientes dos muscle-cars

 Quem disse que um motor potente é necessário para um carro divertido?

 Com marcas em excesso, GM apóia-se no Corvette e nos utilitários

 Já que temos de usar motores 1.000, por que não expandir sua utilização?

 Saudades de quando o automobilismo era feito apenas de aficionados

 Lembranças de Ayrton Senna ao volante do fantástico Honda NSX

 Mesmo tão feio, o Porsche Cayenne tem tudo para ser um grande carro

 Aposentado até nas pistas, o motor a dois tempos aguarda a chegada do fim

 Motor e tração dianteiros não são a única configuração viável

 Limites de velocidade muitas vezes passam longe do bom-senso

 A lista dos 10 melhores fabricantes de motores para automóveis

 Caminhamos na contramão da globalização. Como ficam nossos carros?

 Saab ilustra bem como os carros é que fazem o prestígio de uma marca

 Uso do câmbio automático na Fórmula 1 inspira os motoristas de rua

 Histórias curiosas envolvem o McLaren F1, o carro mais veloz do século XX

 A Chevrolet perde o prestígio que tinha nos anos 60 e 70, mas pode reverter isso

 Por que alguns dos grandes automóveis são desprezados pelo público

 A cada plataforma comum, mais os carros perdem personalidade

 O feio Bristol mostra como o foco do projeto deve ser levado a sério

 A importância do peso do carro e uma reflexão sobre segurança

 Yamaha precisa se mexer contra o domínio da Honda. Temos sugestões

 Teoria de Bob Lutz diz que o cliente nem sempre tem razão

SEM COMENTÁRIOS