Mercado: 2014, o ano em que o Gol perdeu o trono

Editorial

 

Além da liderança entregue ao Fiat Palio, os emplacamentos
do ano revelam quem ganhou terreno e quem se defendeu melhor

 

A perda da liderança pelo Volkswagen Gol depois de 27 anos consecutivos — de 1987 a 2013 — foi a principal notícia do ano passado para os que acompanham as vendas do mercado brasileiro, mas os dados de emplacamentos divulgados esta semana pela Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores) têm muito mais a informar.

Uma disputa acirrada entre os fabricantes marcou 2014: se apenas automóveis forem considerados, a líder Fiat ficou com 20,1% de participação, ante 19% da General Motors e 18,7% da VW. No entanto, a folgada vantagem da marca italiana entre os utilitários — chamados de comerciais leves — amplia sua vantagem no cômputo geral, com 21% contra 17,4% da norte-americana e 17,3% da alemã, que perdeu sua habitual 2ª. posição. Seguem-se Ford (9,3%), Renault, Hyundai (ambas com 7,1%), Toyota (5,8%), Honda (4,1%), Nissan (2,2%) e Mitsubishi (1,8%). A ordem de 3ª. a 9ª. foi mantida do ano anterior, mas na época a Citroën ocupava o lugar da Mitsubishi.

Fiat Palio Interlagos 01O empenho da VW em colocar Gols nas ruas trouxe-lhe a liderança de volta em dezembro, mas não evitou a entrega do título do ano ao Palio (foto) quando somadas as duas gerações de cada modelo, um critério discutível que a Fenabrave mantém. O Fiat teve 183.741 unidades emplacadas em 2014, apenas 385 a mais que as 183.356 do VW. Na sequência ficaram Chevrolet Onix, Fiat Uno (incluindo o Mille, ainda vendido nos primeiros meses), Hyundai HB20, Ford Fiesta (duas gerações), Fiat Siena e Grand Siena (somados), VW Fox (inclui Crossfox), Renault Sandero e Chevrolet Prisma.

No segmento de hatches pequenos, depois de Palio e Gol, vieram na ordem Onix, Uno, Fiesta (ambas as gerações), Fox, Sandero, VW Up, Honda Fit (duas gerações), Ford Ka (que chegou ao mercado em setembro), Chevrolet Celta, Toyota Etios, Citroën C3, Nissan March, Fiat Punto, Peugeot 208, Renault Clio, Chevrolet Agile (já fora de linha), Fiat 500, Chevrolet Sonic (deixou de ser importado), VW Polo, Chery QQ, Peugeot 207 (em trajetória de extinção, assim como o Polo), Chery Celer, os JACs J2 e J3, Kia Picanto e Chery Face. Há ainda o Mini da BMW e o Audi A1, com o Mini acima do Face e o A1 abaixo dele.

O Siena/Grand Siena manteve-se à frente entre os sedãs pequenos, embora superado em alguns meses pelo Prisma, que ficou em 2º. no ano. A lista prossegue com VW Voyage, HB20 S, os Chevrolets Classic e Cobalt, Renault Logan, Etios, Nissan Versa, os Fiestas novo e antigo (neste caso em separado; quem entende a Fenabrave?), Ka+ (lançado em outubro), Polo, Sonic, J3 Turin, 207 e Lifan 530.

Embora a Fenabrave considere o Punto um hatch médio — o que o deixaria na liderança —, essa classe teve na verdade o Ford Focus como mais vendido, à frente de Chevrolet Cruze (líder em 2013), VW Golf (ambas as gerações), Peugeot 308, Hyundai i30, Fiat Bravo, Mercedes-Benz Classe A, Audi A3, VW Fusca, Citroën C4, BMW Série 1, Volvo V40, Mercedes Classe B, Suzuki SX4, Kia Soul, Mini Countryman e Toyota Prius.

Toyota Corolla AltisA tradicional disputa entre Toyota Corolla (foto) e Honda Civic entre os sedãs médios foi vencida em 2014 pelo primeiro, que se recuperou com a completa renovação depois de ter sido 2º. colocado em 2013. Atrás do Civic vieram Honda City, Cruze, Nissan Sentra, VW Jetta, Citroën C4 Lounge, Focus, Renault Fluence, Fiat Linea, Mitsubishi Lancer, Kia Cerato, Hyundai Elantra, Peugeot 408, A3, Mercedes-Benz CLA, JAC J5, Geely EC7, BMW Série 2 e o extinto Citroën C4 Pallas.

O Ford Fusion continuou a liderar com folga entre os carros grandes, categoria na qual incluímos para este fim modelos como BMW Série 3 (2º. colocado) e Mercedes Classe C (3º.). Na sequência aparecem Hyundai Azera, os Audis A4 e A5 (separados), VW Passat, Nissan Altima, Mercedes Classe E, BMW Série 5, Jaguar XF, Honda Accord, Kia Optima, Citroën DS5, Toyota Camry, Kia Cadenza, Volvo S60, Chevrolet Malibu, Chrysler 300C, Mercedes CLS, Lexus IS, o ES da mesma marca, Audi A6, Peugeot 508, BMW Série 6, Mercedes Classe S e Porsche Panamera. Vale notar que aqui estão sedãs, cupês, conversíveis e hatchbacks, caso deste último. Dessa vez a Fenabrave omitiu os carros esportivos de seu relatório.

 

 

Strada, maioria absoluta

Fiat StradaEm uma categoria em declínio, a Fiat Palio Weekend — depois chamada apenas de Weekend — voltou a ser líder entre as peruas, seguida por VW Spacefox/Space Cross (que tinha vencido no ano anterior), Audi A4 Avant e Volvo V60. Curiosamente ainda aparecem unidades da Renault Grand Tour (8), Peugeot 307 SW (1) e VW Jetta Variant (1), há tempos não mais vendidas. A Chevrolet Spin foi novamente a minivan mais licenciada, bem à frente de Fiat Idea, Citroën C3 Picasso/Aircross (que não é utilitário esporte), Nissan Livina/Grand Livina, JAC J6, Citroën C4 Picasso, Peugeot 3008, Kia Carnival e Chrysler Town & Country.

Líder por mais um ano, a Fiat Strada (acima) garantiu mais de metade do setor de picapes leves, deixando bem para trás VW Saveiro, Chevrolet Montana, Peugeot Hoggar e Hafei Mini, na ordem. Já entre as médias e grandes a Chevrolet S10 (vencedora também em 2013) superou por menor margem a Toyota Hilux, que é seguida por Ford Ranger, Mitsubishi L200, VW Amarok, Nissan Frontier e Ram 2500. A lista da federação inclui modelos chineses e indianos mais voltados ao trabalho, alguns deles mais vendidos que o Ram, e 20 unidades do Ford F-150 de importação não oficial — e, como curiosidade, dois Fords Ranchero!

EcoSportA Fenabrave não distingue os utilitários esporte em segmentos, o que nos leva a usar os critérios de classificação por tamanho da Eleição dos Melhores Carros. Como em 2013, o Ford Ecosport (foto) liderou entre os compactos e na classificação geral. Em sua classe de tamanho seguiram-se Renault Duster, Hyundai Tucson, o IX35 da mesma empresa, Mitsubishi Pajero (toda a linha como se fosse um só modelo, o que beneficia a marca de forma injusta), Chevrolet Tracker, Mitsubishi ASX, Kia Sportage, Range Rover Evoque, Lifan X60, VW Tiguan, Audi Q3, Chery Tiggo, Suzuki Jimny, BMW X1, Mercedes GLA, Jeep Compass e Ssangyong Korando.

Entre os modelos que consideramos médios o mais vendido foi o Toyota RAV4, seguido por Mitsubishi Outlander, Honda CR-V, Hyundai Santa Fe, Suzuki Grand Vitara, Ford Edge, Kia Sorento, Jeep Cherokee, Volvo XC60, Chevrolet Captiva, BMW X3, Land Rover Freelander, Subaru Forester, Audi Q5, Ssangyong Actyon, Porsche Macan, Ssangyong Kyron e o BMW X4, lançado tarde no ano.

Na subcategoria de utilitários grandes o Toyota Hilux SW4 repetiu a liderança de 2013 por larga margem. Vêm na sequência os clones Fiat Freemont e Dodge Journey, Chevrolet Trailblazer, Land Rover Discovery, Range Rover (sem o Evoque), Mercedes GL, BMW X5, VW Touareg, Mercedes Classe M, Dodge Durango, Porsche Cayenne, Audi Q7, Lexus RX e Kia Mohave.

O Suzuki Jimny foi o mais vendido entre os jipes, acima do Troller T4 — ambas as gerações somadas — e do Jeep Wrangler. E na classe de furgões de passageiros, sem as versões para uso comercial, o Fiat Doblò foi quase uma unanimidade: 33 vezes mais unidades vendidas que o 2º. colocado Renault Kangoo.

Editorial anterior