O carro, da paixão à ostentação

Foram-se os tempos da zelosa lavagem: hoje o automóvel
representa posição social, mas logo deixa de representá-la

 

“Brasileiro é apaixonado por carros”, diz o comercial da companhia de combustíveis. Volta e meia paro para pensar nessa noção, se é verdadeira, se corresponde à atualidade ou se ficou no passado.

É clássica a cena do zeloso proprietário que passa o sábado lavando, encerando, embelezando o “possante” como se fosse seu animal de estimação — ou mais que isso, quase um membro da família. O carro em questão não precisa ser novo, luxuoso ou potente; na verdade, sua simplicidade, os anos passados e os quilômetros acumulados no hodômetro servem justamente para tornar mais evidente quanto cuidado é dispensado em sua conservação.

Uma constatação, compartilhada com muita gente com que já conversei, sugere que o zelo dos brasileiros com a aparência de seu carro talvez não tenha similar no mundo. Seja na Europa e nos Estados Unidos — antes mesmo da crise —, seja aqui ao redor na América Latina, é comum ver circulando carros de fabricação recente com certos danos que afetam o visual, mas não a função, como raspadas e amassados. Eles não se incomodam porque se trata apenas de um meio de transporte, que não deixa de servir a seu propósito por causa de um raspão. No Brasil, isso é raro: rodar por aí com um para-choque ralado parece envergonhar mais as pessoas que andar com o sapato furado no dedão, para alegria dos “martelinhos de ouro” e funileiros em geral.

Tenho a impressão, porém, de que esse quadro está mudando.

De uns anos para cá, em grande parte pela facilidade de obter crédito e pela queda de juros, ficou mais fácil comprar um carro. Um carro novo, sobretudo, pois para os usados as condições não são tão favoráveis — o que concorre para derrubar ainda mais seu valor de mercado, mas isso é assunto para outro Editorial. Muita gente que nunca esteve perto de comprar um carro zero-quilômetro hoje pode tê-lo na garagem, mesmo que isso represente o comprometimento mensal de parcela expressiva de seu orçamento (leia mais sobre os custos associados a ter um automóvel).

Um dos efeitos dessa facilidade de compra, se minha percepção estiver correta, é que o carro — desde sempre um símbolo de posição social no Brasil, até por nunca ter sido barato —, ao mesmo tempo em que representa para mais pessoas a ascensão em termos financeiros, deixa de representá-la com mais rapidez. Sintetizando, o automóvel é desejado quando novo, mas perde seu apelo cada vez mais cedo.

 

O SUV espelha o modo de vida exagerado dos norte-americanos, mas eles têm gasolina barata e espaço abundante nas ruas, garagens e estacionamentos

 

Parece reforçar essa tese a declaração de um executivo da Fiat, alguns anos atrás, quando a marca remodelou mais uma vez a frente do Palio. A justificativa para a frequência das mudanças foi que o prazo médio de financiamento de veículos no Brasil era de 36 meses; portanto, ao fabricante interessava lançar um novo visual (mesmo que sem evoluções efetivas, eu acrescentaria) a cada três anos para estimular a troca do carro, enfim pago, por um novo. E tome carnê…

Um amigo que prefere se manter anônimo definiu bem essa tendência. “Meu Punto tomou uma chuva de granizo, ficou todo amassado e eu não estou nem aí. Nem me reconheço mais! Se fosse tempos atrás, teria consertado. E quer saber por quê? Porque daqui a dois anos eu dou um pé nele e compro um zero… Hoje, ficar consertando e lavando carro é coisa de gente que tem que fazer o carro durar décadas, porque não poderá comprar outro tão cedo”, explicou.

Se há esse desprendimento por um lado, por outro permanece viva — se não maior — a expressão do automóvel como símbolo de ascensão social. O que é curioso é que as pessoas, ou ao menos muitas delas, não precisam ver algo realmente caro para enxergar uma ostentação, um demonstrativo de situação financeira. “Eu tenho status de celebridade no meu condomínio porque tenho um Fiat 500 perolizado… Tem algo mais ridículo que isso?”, questiona outro amigo com que conversei a respeito nos últimos dias.

Sabendo que o 500 do amigo é uma simples versão Cult, a mais acessível do modelo, conclui-se que com R$ 40 mil — ou menos, se usado — já se pode passar por “celebridade”. Claro que isso depende da posição social de quem opina, mas mostra que um carro pequeno, dos menores que temos à venda no Brasil, pode ser o bastante para simbolizar que se “chegou lá”. Que o digam os donos de Mini e Audi A1, quase tão compactos quanto o Fiat, mas vendidos a preços que superam R$ 100 mil em algumas versões.

Não só a racionalidade

Se o pequeno pode ostentar, é claro que o grande o faz melhor, com mais facilidade. Acredito que isso explique até mesmo o êxito de modelos que julgamos puramente racionais, como o Chevrolet Cobalt e o Nissan Versa. Por mais que seu desenho controverso — sim, estou sendo bonzinho — dê a impressão de que são comprados apenas por atributos práticos como espaço interno, é um fato que eles são, ou parecem ser, bem maiores que os carros típicos do segmento que disputam, os sedãs compactos como Fiesta, Siena e Voyage. Pelo menos uma parcela de seus compradores está interessada não em esticar mais as pernas no banco traseiro, mas em fazer parecer que comprou um carro de segmento superior.

O que nos leva aos utilitários esporte ou SUVs, essa tendência que vem tomando conta de gordas fatias do mercado em todas as categorias, do compacto de R$ 50 mil ao superluxuoso de R$ 500 mil. Alguns podem alegar que amplo vão livre do solo, suspensão resistente e pneus grandes são importantes para eventuais escapadas ao campo, para chegar até um sítio distante ou mesmo para enfrentar o “fora de estrada urbano” no qual se transformaram nossas ruas. Mas parece que os verdadeiros fatores que motivam sua compra são outros.

O SUV espelha o modo de vida exagerado dos norte-americanos, com as diferenças de que eles têm gasolina barata, e nós não (embora a deles tenha encarecido bastante nos últimos anos), e para eles o espaço é abundante nas ruas, garagens e estacionamentos, o que não acontece aqui. Mesmo assim, cada vez mais pessoas se rendem aos apelos desse tipo de veículo.

O que acontece? O colega Juvenal Jorge, do ótimo blog Autoentusiastas, discutiu o tema algum tempo atrás. Entre outros argumentos, J.J. dizia: “No sentar mais alto, retornamos aos tempos da Monarquia, onde os tronos do rei e da rainha eram sempre altos. A maioria gosta de se sentir superior, chefe; então, compreensível gostar daquele carro alto”. E mais: “Muitos povos do planeta gostam de aparecer, e se pudessem, levariam uma vida de celebridade exibicionista: festas, recepções, aparecer na televisão, coisas desse tipo. O SUV é um pouco disso, com suas dimensões de anúncio de rua”.

Entender a mente humana não é fácil, mas alguns sinais dão uma boa noção da forma como pensa a maioria quando o assunto é automóvel. Para a minoria que pensa diferente, há uma boa compensação: encontrar a preços convidativos no mercado os bons carros, sejam novos ou usados, que muitos deixam de lado em busca de afirmação social.

Fale com o editor Editorial anterior

 

  • http://www.facebook.com/people/Ian-Aguiar/100000092590292 Ian Aguiar

    Cara isso infelizmente é uma realidade, mas as próprias pessoas ao nosso redor contribuem pra isso, eu com 24 anos comprei um Honda Civic porque sempre gostei de sedãs desde pequeno, entretanto desde então a maneira com que as pessoas passaram a me ver mudou radicalmente por esse simples fato, tanto para melhor (no trabalho) como para pior (vizinhos)

  • Douglas Silva

    O editor está certo na análise. É assim mesmo que anda nossa pobre sociedade consumista e baseada em valores materiais. Fico pensando onde vamos parar.

  • Félix

    Muitos comentam que gostam da posição alta de dirigir dos SUVs e picapes porque dá uma visão melhor do trânsito…. ora, vejo nisso só mais um sintoma do grau de falta de solidariedade no trânsito! Estar mais alto sem necessidade prática (como caminhões e ônibus) acaba por diminuir a visão dos motoristas de carros “normais”. É a velha tática de Gerson! E ainda daria enumerar outros sinais de falta de cidadania….

  • CCN1410

    Um Celta novo também pode proporcionar status ao seu dono. Tudo depende do meio em que ele vive.

  • CCN1410

    Quanto aos famigerados suves, como diz o Bob Sharp e que acatei, é difícil ver um que esteja corretamente estacionado. Todos ficam pelo menos um pouco de “ladinho” nas vagas.

    Quanto a deixar o carro brilhando e tinindo de novo, nunca foi o meu forte, porque até quem lava carro aqui em casa é a esposa, mas sou muito meticuloso com a mecânica, que deve sempre estar em dia, com balanceamento, geometria, troca de óleo de ótima qualidade, entre outros itens.

    Hoje meu carro é médio, mas estou a mudar meus conceitos. Na próxima troca, pretendo comprar o menor 1,6 ou equivalente que tiver no mercado.

    Também sou fã de carros com apenas duas portas. Não sei o porquê, mas me sinto mais confortável do que em carro com quatro portas.

  • Jum3nt0

    Tenho um SUV americano e sou apaixonado por este tipo de carro, e não acho exagero nenhum ter um carro com itens de conforto (ar condicionado individual, cruise control, bancos elétricos de couro, computador de bordo, motor de 205 cv, etc), ou itens de segurança (ABS, Control Track, Air Bag, freio a disco nas 4 rodas, etc), nos USA um SUV desses como meu custa hoje na faixa de US$25000,00, menos de R$50000,00. Agora não é racional comprar um carro sem itens de segurança básicos como ABS, air bags e outros, carros que são reprovados em todos os Crash Tests, verdadeiras máquinas assassinas, ditas “carros populares” que matam milhares brasileiros todos os anos justamente por não terem esses itens de segurança, e os que não morrem ficam aleijados ou enfermos por vários dias.

  • http://www.facebook.com/people/Diogo-Rengel-Santos/100000884623906 Diogo Rengel Santos

    Infelizmente muitos se submetem a comprar estes carros pois em boa parte dos casos o consumidor não quer saber de carros que requeiram uma manutenção mais criteriosa

  • http://www.facebook.com/people/Diogo-Rengel-Santos/100000884623906 Diogo Rengel Santos

    Não chego a me surpreender, pois afinal o brasileiro que outrora gastava horrores para cuidar do visual do carro, agora pode investir muito bem simplesmente trocando de carro. No fundo nós brasileiros somos vaidosos no mal sentido da palavra, queremos somente aparecer e ostentar……. E isso é perceptível em todas as classes sociais.

  • Daniel Shimomoto

    Fabricio;

    Que editorial! Parabéns! Gostaria de saber onde é o local para eu assinar embaixo.

    Carro ao mesmo tempo que tem o apelo de ascenção social, status, imagem, pode ser destruida com o curto passar do tempo e mudança de versão. O individuo de prospero pode se tornar “decadente” num julgamento simplista unicamente baseado pelo envelhecimento de seu automóvel.

    Carros de mesmo valor podem simbolizar bom gosto, decadencia, breguice, vontade de aparecer, envelhecimento, e tantas outras coisas que fica dificil enumerar.

    A Fiat é muito boa nisso. Tirando a linha Mille e Palio, a empresa lança e retira do mercado com muita facilidade seus produtos, instigando o consumo e a troca.

  • Daniel Shimomoto

    O pessoal tem mania de criticar os SUV’s como se estes fossem os “canceres” do mercado e do transito.

    O problema é o tipo de consumidor e o uso que dá no carro. SUV é legal sim e são criticados apenas pelo tamanho. Porque ter um SUV não pode e andar fazendo barulho e “pagando de milionário” de Ferrari pode?

    Mais ridiculo são os baba-ovo que ficam estimulando esses caras!

    PS: nada contra Ferrari’s. Apenas contra os donos retardados que compra o carro não para proprio prazer e sim para fazer bonito perante os outros.

  • Daniel Shimomoto

    É isso mesmo.

    Isso é particularmente visivel em cidades pequenas como a que moro: Quando comprei a Ranger que eu andava era visto como bem sucedido. Quando ando com meu Fusca 83, tem gente que finge que não me vê. E agora que realizei meu sonho de adolescente e troquei a Ranger por uma F-1000 traçada tem gente que parou de me enxergar na rua….ridiculo isso

  • Mcpimenta

    Ter um SUV significa ter falta de cidadania??? meu amigo, você precisa rever seus conceitos de cidadania urgentemente… Se for para radicalizar de forma burra e num discurso fácil, então quem tem um carro, qualquer que seja, não tem cidadania, pois deveria andar a pé, de bicicleta ou transporte público… faça-me o favor, não sejamos hipócritas….

  • CCN1410

    Se alguém não estaciona corretamente seu veículo, tem falta de cidadania.
    E normalmente quem são essas pessoas? São os proprietários de picapes e suves.

  • Daniel Pires

    Fogo é que os maiores histéricos ambientais, que nem sacola plástica usam no mercado pra “salvar o mundo” andam num troço de 2000kg pela cidade.

    Não sou contra suves, até gosto de alguns poucos. Mas cada carro tem seu uso específico. Um Mx-5 pra andar na terra ou um civic pra carregar tijolo não rola. Nem uma Hilux cabine dupla pra deixar as crianças no colégio…

  • Vamodoido

    Fabrício, você tem que ver que o “lavar o carro” deixou de ser visto como zelo para ser visto como coisa de serviçal, tal qual um chicanos lavador de carros nos EUA. Se o cara tem sua maravilha tecnológica na garagem e vai lavar, ta correndo risco de arruinar toda sua reputação. As pessoas irão dizer: “Nossa! Deu 100 mil no carro e agora não sobrou 20 conto pra mandar lavar!”

  • Renato

    Fala Daniel…..beleza!!!
    Sou o Palheta do forum 4×4….rsrsr
    Quando ando com meu fusca acontece o mesmo…..
    ABS!!!

  • Pasteque5

    Nunca gostei de andar com carro meu amassado, riscado ou batido do mesmo jeito que nunca deixei um ferimento em meu corpo visível e sem tratamento; é uma questão pessoal que, em meu caso, nada tem a ver com ostentação. Não gosto de carro sujo também: nem por fora e muito menos por dentro. Aprendi com meu pai que muitas vezes não é preciso ter um bem, especialmente se você for usá-lo só para ostentação, mas basta saber que você tem dinheiro suficiente na conta bancária para adquirí-lo se for o caso. Poderia trocar de carro a cada dois anos sem problema mas isto não significa que não preciso cuidar dele estetica e mecanicamente falando, até mesmo por uma questão de respeito ao próximo comprador/futuro proprietário.

  • Ricardo

    Um Editorial leve, interessante e inteligente…..estamos deixando de gostar de carros??? ou somos apenas parceiros das montadoras e revendedoras??? vou trabalhar muito para comprar um carro para o resto de minha vida, mas ele não vai ser o centro das atenções da Familia….

  • André

    Cidadania ou educação?

  • Jetson

    Análise perfeito! O editor não poderia ter sido mais lúcido e preciso na análise desse comportamento deslumbrado (de povo colonizado) de uma grande fatia dos brasileiros.

  • Jetson

    Ambos!

  • http://www.facebook.com/people/Sergio-Pereira/100002418544000 Sergio Pereira

    Não ando com o meu carro amassado, e nem com para-choques ralados, e riscos na pintura, ele esta sempre limpo, eu mesmo o lavo, e passo cera NXT 2.0 a cada 3 meses, esta sempre limpo e brilhante o meu Jetta 2008 preto, sempre que precise de fazer algo eu vou e já faço. Não o tenho por estatus, mas sim por que eu gosto do carro, comprei seminovo pessoal fala que carrão, mas eu estou nem ai. O que me deixa feliz é andar com ele sempre em dia e limpinho. Abraços.

  • Capitalms

    “Mecanicamente” falando,Pasquete5? Rsrsrs

  • Capitalms

    Daniel Shimomoto: na cidade que você mora ou na cidade ONDE/EM QUE vc mora?

  • beto

    Os SUV’s deveriam pagar valor diferenciado nas vagas de estacionamento. Quando não estão te espremendo lateralmente, estão ocupando a via de circulação devido ao seu comprimento.

  • Recifcars

    Existem de fato aqueles que comprar carro por kilo, pela imagem que o carro grande representa como dito no texto, entretanto eu colocaria outro fenômeno como justificador do aumento das vendas dos SUV, e o principal deles é a segurança, conheço várias pessoas, principalmente mulheres que optaram pelo SUV apenas por uma questão de sensação de segurança, muitas acham-se mais seguras no trânsito, cada vez mais violento das grandes cidades, a bordo de um carro mais robusto, e os SUV, mesmo os pequenos como o Eco Sport, satisfazem esta necessidade.

  • nassier

    Eu sempre cuido do que tenho, seja novo ou velho. Quebrou? Está fazendo barulho? Vazando lentamente? Tem que arrumar. Nada de empurrar o problema pra outro.

    Acho engraçado quem acha que comprar zero a cada 3 anos é mais barato que manter o usado. Ou mora numa cidade onde os mecânicos andam de Ferrari ou não sabem fazer conta. Acham o fim da picada pagar R$ 2.000 pra arrumar um problema mais grave mas não tem problema gastar 20 ou 40 mil pra trocar de modelo. Eu chamo isso de “vírus do carro zero”.

  • CCN1410

    Certo, Jetson. Ambos!

  • Roberto Vieira Medeiros

    Ótima análise. Bem reflete o atual contexto.

  • Hamz

    Bom posso dizer que fui até escravo do meu carro mas isso no século passado, mãos no vidro nem pensar, arranhão…………funileiro, motor, sempre afinado…etc, etc, até arrumava encrenca com as namoradas porque o veículo valia mais ,rsrsrsr, mas a vida muda , quando mudei-me para Europa a qual fiquei por 12 anos, as coisa mudaram bastante, larguei mão de tudo lógico que a parte mecânica recebia atenção, mas para que tanto já que anualmente fazia inspeção veicular, lá funciona, o carro estava sempre em bom estado, agora lavar, muitas vezes era a chuva, mesmo que por lá as facilidades de lavar um veículo é muito boa e divertida, a vida muda e os conceitos também.

  • Jetson

    Concordo plenamente. É um escândalo que uma cidade apertada e entupida como são paulo tenha esses tanques de guerra grandalhões e desajeitados (com motoristas mais folgados ainda) atrapalhando o trânsito.

  • Kirk

    Análise perfeita do caos no trânsito brasileiro. SUV é para países como os EUA, Canadá ou Austrália, onde as ruas e estradas são largas e há abundância de vagas. Os estacionamentos são amplos e tem vagas de tamanho decente. Ou seja, nada a ver com o brasil, exceto pelo deslumbramento desses emergentes que usam o carro prá se afirmar socialmente já que não tem capacidade de fazê-lo profissionalmente.

  • http://www.facebook.com/joseamauri.faria Jose Amauri Faria

    Quem compra SUV no Brasil realmente quer aparecer, se mostrar, pois dificilmente o trambolho é realmente necessário. Não é uma compra racional, é caro , gastão, a manutenção então, é absurda.Num país em que se compra um carro e paga-se por dois,é um contracenso.

  • Telmoryoiti

    A compra de um SUV é questão de ordem emocional mesmo. Só o fato de se sentar em uma posição mais alta te dá poder mesmo. Status, nem se fala. E se for um lançamento, o que tem de gente olhando não é brincadeira. Mas eu sou daquela minoria que compra um carro pensando na utilidade, na minha satisfação pessoal e no custo beneficio, fatores esses que me levaram a compra de um Clio 0km, mesmo sabendo que ele vai mudar em breve. Não sou consumista e costumo ficar com um carro por 5 anos ou mais. Cheguei a ficar com um Gol G3 por 12 anos (não troquei antes por razões de ordem pessoal e profissional). Já dirigi carros que na época eram chamativos, como a Classe A nacional, da Mercedes, e confesso que fiquei incomodado com a observação dos outros (se isso não me incomodasse, teria comprado um Civic ou um SUV seminovo). Carro para mim tem que servir ao seu propósito e sempre estar bem cuidado, seja na mecânica ou na parte externa/interna (é muito desagradável, para mim, andar num carro sujo). Se eu fosse seguir a moda de comprar o carro do momento, com certeza o meu saldo bancário sempre seria zero e passaria a vida toda pagando carnê (tô fora!!!!!!!)

  • Kirk

    Concordo plenamente. Em 99,99% dos casos, é pura ostentação e exibicionismo, pois além de inseguros (instável), atrapalham o já caótico trânsito brasileiro que não tem ruas prá comportar esses tanques de guerra, ferem as vítimas em caso de acidentes ou atropelamentos.

    Deviam pagar imposto adicional pelo espaço e transtornos causados.

  • Pauloxxx

    kirk vc não entende nada de carro. o que é seguro pra vc?
    gol,uno,palio?

  • Douglasxavier Ti

    Otimo post Fabricio,desculpe mas vou lembrar de uma outra materia do “Bc”,na qual o destaque era a nova versao da “Serie 3 da BMW”,e que justamente um comentario me chamou a atençao e vem muito bem neste caso,em que o “colega”(e assim que vou chamar),dizia enfim que a nova S3 nao tinha mais o “padrao classudo da BMW”,e que tinha se tornado mais simples.Simples?Esta sempre foi a serie simples(E claro nao tao simples assim e so modo de dizer) da marca Bavara,so por nao ter um desenho em comun com as demais,so por ser “indentificavel como de entrada facilmente agora”,isto ja diz muito sobre o que de fato e,ostentaçao.Eu nao entendo esse raciocinio de trocar o carro,em vez de realmente comprar um automovel que seja prazeroso para consigo mesmo,”…cuidar de carro para o proximo comprador…”?Me desculpe mas ou vc gosta de algo ou finge que gosta.Mai uma anedota:”Uma pergunta,se vc fosse milionario,que carro vc compraria?Um belo Opala de Luxo pronto pra restaurar,passo a passo ou um Chevrolet Camaro?

  • Daniel Shimomoto

    E ai Renato tudo joia?!?!?!

    Vou te mandar um email para a gente conversar!

  • Daniel Shimomoto

    Porque as antas nao sabem manobrar.

    Faço baliza com minha F-1000 onde muita gente nao se atreve colocar nem um Ford KA

  • Rodrigo

    Comprei carro zero apenas uma vez…e me arrependi. Hoje vivo feliz com um Focus Guia 2007. Poderia trocar de carro, mas ao meu ver não seria algo inteligente de se fazer, pois teria que dar uns 20 mil a mais para ter um carro com a metade de itens e conforto. Mas esta questão é muito pessoal. Tem gente que se sente bem com um carnê e um carro zero. Eu acho o carro no Brasil caro, mas isso é a mais pura aplicação da lei da oferta e da procura. Para que baixar o preço se está vendendo??

  • Martins

    Concordo plenamnente! Numa css GM vi um Cobalt LS 0km s/ airbag e s/ ABS por 38 mil. PELO MESMO PREÇO, tinha um Vectra Elegance 09 equipado c/ os itens de segurança acima e com apenas 60 mil km. Fora que o Vectra é infinitamente mais bonito…

  • Martins

    Gostei do “(é muito desagradável, para mim, andar num carro sujo)”. Também sou assim. Lembro-me c/ saudades de quando comprei meu 1º carro c/ 20 anos, um Passat Village, e passava o sábado encerando o possante.

  • Paulo Cesar

    Status é você ter algo que não precisa com um dinheiro que você não tem, para mostrar pra alguém que você não conheçe, algo que você não é. Sendo assim o carro realmente para 80% das pessoas tem esta função. Psicologicamente falando é algo que eleva a autoestima porém não resolve já que logo após a compra, a necessidade volta a bater e outras compras ocorrerão. O capitalismo se baseia nisto: baixa autoestima como forma de manter o consumo em alta. Quanto a ter um carro caro, se você tem dinheiro, não vai fazer dividas e gosta do carro, acho que tem que comprar pelo prazer de ter. Afinal a vida é uma só, mesmo que seja um SUV. Caso contrário melhor gastar a grana com um bom psicologo, pois você evitará outros gastos futuros só para satisfazer sua solidão, sua baixo auto estima etc…

  • http://www.facebook.com/people/Emilio-Murari/100000465071677 Emilio Murari

    Cuido da aparência do carro quando tenho tempo, pois com criança pequena em casa e coisas demais pra resolver no fim de semana não dá pra pensa nestas frescuras. A manutenção está rigorosamente em dia, pois faço com alguma rotina viagens longas de 500 ou 600 km. Quando se é solteiro o carro é o templo sagrado, mas depois que a gente casa muda de figura. Tenho o carro adequado as minhas necessidades e as da minha família e pouco me importa se o vizinho da vaga do lado acha o carro feio ou não. que importa é que ele me atende e o resto é bobagem.

  • http://www.facebook.com/people/Wando-Rbo/100001693725746 Wando Rbo

    E infinitamente mais beberrão, rs…

  • http://www.facebook.com/people/Wando-Rbo/100001693725746 Wando Rbo

    Meu sonho atual é um Chevy anos 50 estilo rat rod, podrão. Não me encaixo mais na sociedade atual, a não ser pela “necessidade” de ter um carro, rs…

  • Eduardo

    Acredito que o mais seguro para esse tal de “Kirk” é o Tata Nano. De preferência sem os freios.

  • Glauco7

    Acho desnecessário o cara ir trabalhar com um BMW X5. Veiculos como este só atrapalham o trânsito, ocupam quase duas vagas nos estacionamentos e nas ruas. Sem contar que pessoas que possuem este tipo de carro geralmente gostam de humilhar que tem um simples Uno ou Gol. O que é verdade é que o Uno e o Gol para uns é uma conquista enquanto o X5 para outros é uma questão de “status”.

  • http://profile.yahoo.com/HRY2ICTUGOYGXJ5MCOJE6VGYEY Eduardo

    Fabrício,
    Parabéns pela matéria! Obviamente que devemos comprar sempre aquilo que o bolso absorve e que nos traga custo x benefício, mas há de convir que carro é sonho, realização, alegria, pelo menos pra mim é!
    Amo carros, aviões, barcos, motos e tudo isso porque tenho sangue de mecânico e coração de engenheiro, então, me maravilho com as coisas fantásticas que o homem tem a capacidade de fazer!
    Pra mim é isso!

  • fernan

    cara vc deve andar de caroça puxado por dois jumentos..só pode ser, o que atrapalha o trânsito são os maus motoristas e carros velhos que quebram a cada km rodado, agora dizer que um carro atrapalha o trânsito só porque é um pouco maior que seu fusca é muita ignorância!

  • Dragon®

    QUAL O STATUS de se manter um veículo na garagem com 60, 72 prestações absurdas no carnê recem retirado da concessionária e pagar o valor de 5, 6 veículos idênticos e geralmente por mediocridades como 1.0 e ganhar o incrível brinde de tapetes de borracha e um urso de pelúcia fedorento e cheio de pó? “Ahh, mas é novo..”. Não imbecil…Novo é só na concessionária,..Rodou 1 metro, já é semi-novo. “Ahh, mas o seu carro tem 10, 20 anos de uso…”. Sim, e eu tenho dinheiro no bolso para sair, me divertir e fazer o que bem entender e não ter um carro na garagem para fazer “bonito” e comer coxinha do dia anterior no boteco pq não tem $$$ nem para ir a um Shopping. “Ahh, mas seu carro é velho…” Velho é seu conceito. Carro antigo é uma coisa. Canso de ver porcarias 2012 velhos, caindo aos pedaços, podres. Porém no meu, vc penteia o cabelo no brilho da lataria. Quem é velho agora??? “Ahh, mas carro novo não dá manutenção”. Então faça um busca aqui no BestCars e veja a quantidade absurda de defeitos de fábrica, de recall´s, etc. Em compensação o meu eu mantenho com manutenção preventiva e NÃO DÁ DOR DE CABEÇA. “Ahh, mas meu carro é atual, grande, imponente (SUV´s entre as Porcarias com suspensão elevada)…”. Sim, e por isto que as ruas estão um caos. Não consegue guiar um Fiat Uno sem “comer faixa” e me compra um veículo enorme, para mostrar a todos sua falta de habilidade ao volante. Devem estar se perguntando…Afinal, que carro eu possuo? Dois! Um Vectra CD Ecotec DOHC 2.0 16V Preparação Aspirada, 170cv´s 97 e um Kadett GSi FII 2.0 8V Preparação Turbo com 320 cv´s 93. Um com 15 anos e outro com quase 20 aninhos. Possuo o VCD a 12 anos e o GSi a 4 anos. Quando os venderei? NUNCA. Pq? Pq tenho tudo o que preciso. Potência, status, esportividade VERDADEIRA (e não estes esportivos cretinos atuais), design (ou por acaso são bonitos muitos carros novos como o Uno por exemplo???), consumo, (sim, enquanto tem nego fazendo 10 a 12 km/l na gasolina em carro 1.0 pelado, eu faço 15,7 km/l a 110/120 km/h no VCD com conforto infinitamente melhor), conforto (sim, tenho direção hidráulica, trio-elétrico, p-malas elétrico, ar-condicionado e quente, alarmes com interface inteligente, função 1 toque para subida e descida + anti-esmagamento em todos os vidros, ABS / EBD/ TC, freios a disco nas 4 rodas (originais de fábrica em ambos) e até aquecimento da lente dos retrovisores externos). Enfim, cada um RASGA o seu dinheiro como quiser. Só não me venha dizer que é esperto, pq este tipo de esperteza para minha pessoa tem um nome: BURRICE! Não é a toa que o Brasil persiste vendendo verdadeiros LIXOS ambulantes para os TROUXAS que correm nas concessionárias a todo instante. Acha que estou mentindo? Então alguém me EXPLIQUE pq um Camaro 1LS com motor 3.6L V6 movido à gasolina e câmbio manual de seis marchas custa US$ 23.280 nos EUA e um Palio Weekend com motor 1.8 16V flex com câmbio manual de cinco marchas US$ 25.121,95 no País dos Tolos?? Sem aquela explicação (que tem certa lógica) de impostos e blá, blá, blá. O fato é que brasileiro é TONTO (sem generalizar) e paga peso de ouro por bijuteria. Se pagam, as fábricas continuam a vender e as bestas continuam a comprar. Parabéns! Graças aos espertos de plantão, pelo visto nunca teremos um veículo que “valha” a pena por um preço justo.

  • Convidado

    Pessoal, é óbvio que um SUV é menos seguro que um sedão de preço equivalente… Não tem ser diferente, com um centro de gravidade lá em cima.

  • Luis Ferreirinha

    Sigo uma corrente contrária: Carro sujo, amassado, ou arranhado, na minha opinião, é relaxamento. É o tipo de pessoa que compra, mas não consegue mantê-lo.
    Troco de carro a cada dois anos e o lavo todos os finais de semana, com exceção, é claro, de dias chuvosos. Tenho isto como um “hobby”. Quando estou cansado e ele está muito sujo (eu o uso todos os dias), deixo-o no lava jato da minha rua. Mas sempre termino o trabalho em casa, pois não fica a mesma coisa. Tenho também um carro antigo. Este então, ninguém bota a mão. Fora o arsenal de produtos que o embelezam, inclusive importados.
    Não to nem ai pra quem pensa que eu comprei um carro de quase R$ 50.000 e não possuo dinheiro para lavá-lo. Quando morava em apto, lavava-o na casa da minha mãe, em outro bairro.

  • Kirk

    Fernan, Pauloxx e Eduardo: Fala verdade vai, vcs dois têm jeito de ser compradores daqueles SUVs coreanos breguíssimos, sempre preto e prata (tipo Santa Fé, Tucson, ix35, Pajero etc) financiados em 168 parcelas. Daí, depois de filmarem os vidros e instalar aqueles engates bregas na traseira (que só servem prá arranhar os carros de trás ao estacionar) saem por aí dirigindo e fazendo curvas acima dos limites, fazendo conversões sem dar sinal de pisca, mudando de faixa repentinamente, ocupando 2 vagas nos estacionamentos (ou então parando na vaga dos idosos) só prá que ninguém risque a porta dos seus SUVs bregas. E nos fins de semana, passam o tempo lavando e polindo seus SUVs bregas, passando aqueles pretinhos também bregas nos pneus e depois, como a cereja do bolo, borrifam aroma floral (daqueles bem enjoativos) no interior do carro deixando aquele agradável aroma de couro com tuti fruti.

  • Kirk

    Fernan, Pauloxx e Eduardo: Fala verdade vai, vcs dois têm jeito de ser compradores daqueles SUVs coreanos breguíssimos, sempre preto e prata (tipo Santa Fé, Tucson, ix35, Pajero etc) financiados em 168 parcelas. Daí, depois de filmarem os vidros e instalar aqueles engates bregas na traseira (que só servem prá arranhar os carros de trás ao estacionar) saem por aí dirigindo e fazendo curvas acima dos limites, fazendo conversões sem dar sinal de pisca, mudando de faixa repentinamente, ocupando 2 vagas nos estacionamentos (ou então parando na vaga dos idosos) só prá que ninguém risque a porta dos seus SUVs bregas. E nos fins de semana, passam o tempo lavando e polindo seus SUVs bregas, passando aqueles pretinhos também bregas nos pneus e depois, como a cereja do bolo, borrifam aroma floral (daqueles bem enjoativos) no interior do carro deixando aquele agradável aroma de couro com tuti fruti.

  • http://twitter.com/ElizandroRarvor Elizandro Rarvor

    Com toda certeza, tenho um amigo que comprou um Land Rover Discovery e ele tem apenas uma filha pequena. O cara usa o trambolhão para 7 pessoas no dia a dia e já reclamou que é difícil para estacionar e pouco ágil no trânsito, mas conseguiu a proeza de gastar 320.000 reais.

    Se era para ter um SUV, compre um Tiguan eu comentei, anda mais, bebe menos é ágil e estaciona sozinho.

    SUV grande é só para madame passear achando que é “seguro”, vai no shopping no salão mas esquece que a segurança está também em não aparecer para os bandidos.

  • http://twitter.com/ElizandroRarvor Elizandro Rarvor

    O texto e o tema estão ótimos, eu sou um usuário de carros, viajo de 5 a 10 mil km por mês. Sou daqueles que só paro o carro para a manutenção na concessionária e mando fazer tudo lá, cuido para que o carro chegue ao final do meu uso, por volta de 80 a 100 mil km com o máximo de segurança e cuidado com a manutenção. Mas não ligo nem um pouco para aparência ou o que vão dizer ou dizem de mim.

    Não procuro status, não vivo a vida dos outros, vivo a minha, goste de mim ou me odeie, mas eu não ligo para a sua opinião, digo, a opinião dos outros.

    A sociedade é violentamente coerciva, sempre querendo dizer o que vc deve comprar, comer. Eu mandou um dedo do meio para a sociedade, compro o que eu quero e o que eu gosto, troco de marca de carro a todo instante e não me apego a bens materiais, ainda mais carro.

  • Gilberto CF

    É verdade, moro num condomínio popular e estou juntando um montante para me mudar para um lugar melhor e fico assustado com a quantidade de inadimplentes a maioria de carro novo, tem até uns i30 vários Corollas e New Civic, Pajero… e o condominio caindo por falta de manutenção e o povão esperto olha com desdem para o meu Fiestinha 2005 ! quando eu me mudar e daqui a uns anos o condomínio desabar na cabeça dos “novos ricos” vamos ver quem vai rir !!

  • Cleiton

    “O capitalismo se baseia nisto: baixa autoestima como forma de manter o consumo em alta.” Que psicologia marxista de botequim é essa? Isso nada tem haver com capitalismo, é algo cultural do brasileiro que compra carro pra se mostrar.

  • Guilherme

    Falou tudo. Com um Vectra CD 97 eu também não me importaria em ter um carro mais novo, pois conheço a qualidade do modelo porque já tivemos um GL 98 e um GLS 2000 em casa. Enfim, meu carro atual é um popular com cinco anos de uso. Nunca me deu problemas porque faço a manutenção preventiva e o abasteço sempre com gasolina de boa qualidade. Já pensei em trocá-lo algumas vezes, mas ainda não fiz porque o carrinho tem se saído bem no seu papel de me levar ao trabalho e fazer viagens carregando pouca bagagem (afinal viajamos apenas eu, a namorada e o cachorro). As pessoas me questionam porque ainda não o troquei e respondo que não quero pagar o dobro do valor do meu carro por um semelhante. Muita gente se surpreende com o estado de conservação mantido com lavagens, polimento e zelo. Prefiro continuar assim e com uma graninha extra para aproveitar com os bons momentos da vida, porque no final das contas o carro é só um meio de transporte. Daqui um tempo espero trocá-lo por um carro que atenda as minhas necessidades com um pouco mais de conforto e segurança, mas não tenho pressa como os meus vizinhos que compram carro para exibi-lo à vizinhança.

  • Guilherme

    Ignorância é comprar um SUV para realizar as tarefas cotidianas sozinho.

  • Gbuh

    Cavalo que corre come bastante.

  • Gbuh

    Boa! Já vi isso no condomínio que a amiga da família mora. Uma enorme lista de inadimplentes e nego chegando de Land Rover Discovery. haha

  • http://www.facebook.com/profile.php?id=100001513840083 Lamark Dos Reis

    Conforme citado nas entrelinhas (ou até em alguns trechos claramente) a força econômica automobilística que o Brasil se fez refém dita modas e recebe incentivos, de tal maneira que o público também é refém desse sistema que é retroalimentado.

  • Knight

    Mas não se esqueça, para você comprar seu Vectra e seu Kadett, alguém teve de compra-los 0 KM. Daqui a alguns anos escutaremos o mesmo papo, com um Honda Civic, um Corolla ou um Punto T-jet no lugar dos seus. Carros que estão sendo comprados hoje pelos “bobos”.

  • Fernando

    A exemplo dos USA, vivemos o auge da sociedade de consumo, marcada pelo individualismo, pela necessidade de SER e TER como alicerces para se consagrar feliz. TER significa superar os outros, ser melhor, mais capaz (e portanto mais feliz). Não ha nada que possa ainda substituir o carro como o principal representante do TER no nosso pais. Quando a sociedade inteira funciona dessa forma, fica dificil voce tentar escapar disso, porque se a sociedade valoriza quem TEM, como voce espera ser feliz sem ser valorizado pela sociedade ? A resposta seria : não esperar ser valorizado pela sociedade…o que é um desafio bem maior doque poderia parecer para uma simples decisão de trocar ou não de carro, comprar o carrão ou não…

  • http://www.facebook.com/leocontesini Leo Contesini

    Fabrício
    Noto essa sensação de status quando faço as longas viagens entre SC e Taubaté. Motoristas de SUV têm um carro maior (e maior é melhor, mais caro, coisa de rico, e dinheiro é poder) e simplesmente não podem esperar ninguém terminar uma ultrapassagem. Chegam colando, e saem em disparada.

  • Evelyna-krause

    Sou mulher….e adoro carros….adoro…
    Meu primeiro carro foi um Palio usado, duas portas, sem ar condicionado e com motor fraquinho…rsrs..Mas eu me sentia no céu..
    Dez anos depois ando de SUV e adoro…adoro carros altos..
    Não tenho esse carro absurdamente caro e grande pra me exibir. Tenho pq GOSTO…Porque posso comprar e me dar ao luxo…
    Tenho pq adoro conforto, um banco de couro e motor potente.
    Não acho que seja questão de alta ou baixa estima.
    Meu Deus..dirigir é uma delícia…não concordam comigo?
    E eu estou cada vez mais exigente, o próximo será um Audi…rsrs…
    Me considero uma pessoa muito simples, compro os meus carros à vista, assim como quase tudo que compro.
    As pessoas têm que comprar o que podem e eu vou sonhando, estudando e trabalhando pra ter uma vida tranquila, sem percalços e andando de Audi…
    Bjs a todos!

  • Jetson

    Concordo desde que vc não se enquadre no perfil psicológico descrito logo abaixo pelo Fernando e pelo Kirk.

  • Filipe_GTS

    Deixar de lavar o carro já é porquisse… Vai entrar no carro esbarra a calça na soleira já suja, maçaneta fica suja, dentro então, nem se fala.

  • Filipe_GTS

    Muito bem lançada esse analogia entre o ter e o ser. Parabéns

  • Chrisgovastki

    Muito pior é um carro pequeno parado atravessado na vaga, quando não raras as vezes ocupando mais do que uma vaga do que uma SUV ou picape que ocupa duas vagas simplesmente porque quem fez a demarcação não tem noção do espaço que um carro deste porte ocupa.

  • Chrisgovastki

    Simples, coloca todos os inadimplentes no SERASA/SPC que ai não vão poder comprar suas “maravilhas modernosas”. No meu condomínio a inadimplência caiu vertiginosamente com esta simples medida.

  • Nova

    SUV não presta para nada. Não é bruta como uma caminhonete, por ex: e nem anda como um esportivo. Se o cara pode ter dois carros porque comprar um que não faz nada direito???…Sé é boa para blindar.

  • Nova

    Vc esqueceu, ou não sabe, que SUV é boa para blindar. Muito melhor que um sedan, por exemplo.

  • Nova

    Ande numa Discovery blindada e depois numa Tiguan blindada e poste o que achou. Não tem comparação entre as duas. Na Discovery vc nem percebe a blindagem…..

  • Nova

    Vc disse tudo……AUDI……esse é o perfil de quem tem um AUDI….UM baiano que ganhou um pouquinho de dinheiro…..kkkkk

  • Mildred

    Engano seu meu amigo. Os ultimos Vectras (c/ motor de 140CV) tinham o mesmo consumo do 1.4 do Cobalt, principalmente consumo rodoviário. E melhores que o 1.6 do Sonic.

  • Mildred

    Certissimo. Tenho um carro de 10 anos (comprado zero) que tem todos os itens de segurança e conforto necessários, espaço, ergonomia (o carro me “veste”). Com mais de 200.000km, nunca me deixou na mão, só abro o capô para completar o lavador do para-brisa (manutenção preventiva em dia). Não ligo para a aparência e limpeza externas, afinal o vizinho não paga minhas contas. Porém, manutenção e limpeza interna são impecáveis. Trocar de carro ? Pra que ? Usarei ele até ele acabar, mas tá difícil… (quem mandou comprar um Honda, kkkkkkk).

  • Yuri_ycsl177

    Fabrício, vejo também (numa prespectiva de teoria da conspiração) que a sociedade nos impõe esse estilo de “maus tratos” aos carros.
    Por exemplo, quase todas as obras de condomínios fechados ultimamente são apresentadas com “garagem” ao ar livre.
    Seu carro fica lá tomando sol, chuva e sereno, cozinhando e estragando a pintura rapidamente. Fora que os estacionamentos geralmente são distantes dos apartamentos. Desta forma, a relação carro-dono fica cada vez mais distante.

  • T_101

    Cara, não consegui ler seu comentário inteiro. Mas deu para perceber que vc caiu na choradeira de sempre.
    Olha só vamos pensar um pouco. O que vc prefere passar mais de 2 horas ida e mais de duas 2 horas na volta do trabalho espremido no transporte público. OUUU comprar um Classic (o carro de tonto, trouxa, lixo, burro, etc..) que aceita 72 prestações sem entrada (lembrando q as financeiras NÃO aceitão esses tipos financiamentos para carros usados, sim, um absudo, cartel, etc…).
    E vamos pegar + de 2 horas de ida e + de 2 horas de volta no transito, sozinho com muuuiiittoo mais conforto dentro do meu classic de 72 prestações.
    Isso é o que acontece em SP que deve ter mais de 60% do mercado para esses tipos de carros.
    Tempo tenho um Prisma 1.4 maxx de 72 prestações, sim eu sou tonto, burro, tolo, etc.. mas fazer o que estou dançando conforme a música.
    E não é só no mercado automotivo que isso acontece, e não adianta chorar, então só consigo ver uma solução, sair do Brasil.

  • Evandro_es

    Comprei uma Spin LT automática como carro de família. Minha esposa usa durante a semana para trabalhar e compartilhamos no final de semana. Talvez comprasse outro carro se tivesse muito mais dinheiro, mas fico pensando: do que as madames precisam mais? O carro é completo, é alto, é automático, o motor responde bem (principalmente na cidade), é muito espaçoso, etc. Enfim, cumpre tudo que uma Hilux SW4 ou Santa Fé podem fazer na cidade, por um valor módico. Um meio de transporte muito eficaz, confiável e confortável.
    Também é linda (azul e com rodas de liga), mas não ficarei obcedado por mantê-la impecável pelos pequenos acidentes do dia a dia.

  • Anderson Santos

    Tens toda a razão amigo, tenho um Corsa 1.0 98, é velho? SIM! É pelado? SIM, é mil? SIM, mas é meu, está pago, anda bem, é econômico e está com as manutenções em dias. Supre muito bem as minhas necessidades, e eu adoro o carro pois além de tudo é bem acabado (coisa difícil de se ver até em modelos de categorias superiores atuais).

  • Anderson Santos

    Sem dúvidas, ontem pude comprovar isso, estava tentando estacionar em alguma vaga nas ruas próximas ao Pq. Ibirapuera, a quantidade de SUVs estacionados tomando um espaço monstruoso é imensa, fora que a grande maioria “mata” duas vagas, pois deixam um espaço enorme pro carro da frente e pro de trás, pois é praticamente impossível manobrar um mamute daqueles em vagas apertadas.

  • Anderson Santos

    Sabe quanto eu gastei pra arrumar o meu Corsinha 97 e deixá-lo em estado e conforto de carro zero, pronto pra viagens e pra qualquer lugar? 4 mil reais. Sabe quanto eu gastaria pra pegar um carro zero e quem sabe der sorte de não pegá-lo com um problema grave ou necessidade de recall? No mínimo mais 15 mil, pois ofereceram 7 mil na compra do meu usadinho. Tá aí pra mostrar que algumas pessoas não sabem fazer contas, ou dão desculpinha de que troca de carro pra não gastar com manutenção… Kkkkkkk

  • Generalizacao Besta

    Comprei um Honda CRV, eh um SUV compacto, 6,5cms mais largo que o meu carro anterior, um civic. Preciso do espaco para viagens com a minha familia recem aumentada com a chegada da minha filha. Comprei o carro a vista.

  • Wagner Luiz F. Bonfim e Silva

    Vejo na internet discussões recorrentes com críticas ao Cobalt (que não me parece tão feio assim), Versa (feio mesmo), SUV´s grandalhões ou não, carros antigos e conservados superiores aos carros novos (com suas prestações a perder de vista) … infelizmente o brasileiro quer que somente sua opinião seja a válida! Cada um que gaste seu dinheiro da forma que achar melhor, sem ser ridicularizado por isso.

  • Xicosantos

    Acho que as picapes atrapalham mais o transito. Carro de trabalho (caminhao) para atrapalhar’ nao passear nas ruas. Cafonas e sem sentido. Onde moro tem uma tunada, rodas enormes, pneus de perfil baixo e guincho “MMA”. Adoro meu carro antigo e a vontade de invejar alguem com carro novo passa longe de mim.

  • Omlap

    Esta materia esta coberta de razão. Já não vivo mais no Brasil, estou no Chile, e por aqui como a concorrencia é feroz, este tal de Duster não esta vendendo nada, e sabe por que? Porque aqui no Chile este é mais um SUV e eles sabem que o projeto deste carro é um projeto velho de uma empresa Romena que foi criado para mercados emergentes na decada de 90. Isso é simples, porém no Brasil como as pessoas querem ostentar, e dizer que comprou uma Ecosport já não tem mais tanta novidade assim, eles preferem pagar mais e levar menos, pelo menos quando dizem respeito a tecnologia e designer, pois o tal do Duster é feio que doi!!! Gostaria muito de ver um chines (Empresa Great Wall) que vendem por aqui que tem o nome de Haval 3 ou 5, só muda a motorização (2.0 e 2.4), aí no Brasil, pois se deixassem os camaradas trabalharem os preços que eles gostariam de praticar, aí sim iriamos ver empresas nacionais com as calças na mão!

  • Omlap

    Pensar racionalmente como voce não é facil. Siga com este espirito que voce esta no caminho correto. Pelo menos para mim, porém muitas vezes eu não consigo fazer isso, tendo sempre a me curvar a um modelo novo!

  • Omlap

    Yuri, hoje em dia as pinturas dos autos suportam anos e anos tomando sol, garoa, chuva e todo o tipo de clima (sem ser granizo) na lomba, e sabe que não vai desgastar tão rápido.

  • GFonseca

    Concordo. Não sou partidário das SUVs, mas está faltando noção na demarcação das vagas em alguns locais, até carro médio fica espremido na demarcação das vagas.

    E falta de educação independe do porte do veículo.

  • Dragon®

    Engraçado…Vc não leu o comentário por completo, mas opinou sobre ele? Opina pelo resumo e não pela “obra” como um todo? Ai, ai….se fizer isto ao votar no dia da eleição estamos perdidos. Afinal, é sempre assim…população (sem generalizar) tem a memória curtinha, curtinha…Depois conta “quanto” vc vai pagar pelo seu Classic em 72 prestações. Daqui a 72 meses quanto seu carro valerá. Matemática amigo, é uma ciência exata. Não tem meio termo. Aliás, conforto em um Classic só pode ser piada…Pois graças a milhões que se afogam em prestações como vc, vivem no seu falso conforto, PARADOS NOS CONGESTIONAMENTOS E POLUINDO! Mas não tenho nada contra vc pessoalmente. E sim, graças a pessoas como vcs as fábricas vendem estes Lixos como o Classic cada vez mais a preço de BMW lá fora. Pq as fábricas vem aqui, colocam estas porcarias a venda e daí fazem até fila de espera. E vem a pergunta…as montadoras vão se mobilizar para trazer algo melhor e com menor preço se obtém lucros exorbitantes vendendo um CARRO PODRE POR UMA FORTUNA para o Brasileiro que se diz tão esperto????
    Um teste? Veja bem…Imagine (pq só imaginando mesmo) que todos os fanáticos compradores de carroças simplesmente parassem de comprar. PARASSEM MESMO. Tente imaginar a quantidade de veículos novos encalhando, pátios cheios, montadoras parando a linha de produção por falta de lugar para guardar a produção…e como já produziram já tiveram gastos e sem vender nada, visualize o prejuízo GERAL. Imagine este simples ato por um minimo de apenas 6 meses (será que alguém morreria se não comprasse um carro por 6 meses???). EU DUVIDO que as montadoras não jogariam o preço de seus proutos para baixo ou que não começariam a trazer carros modernos a preços baixos pela REJEIÇÃO GERAL DA POPULAÇÃO. Milagre? Não..é justamente assim que acontece lá fora. Produto ruim, NÃO VENDE. E se for caro, encalha! Afinal, é a lei do comérico. A lei do consumo. Se eu produzo e não vendo, EU QUEBRO! Ou seja, o poder de mudança está na mão de milhões de cidadãos que não conseguem ter 5 minutos de inteligência para tomar uma atitude que mudaria o rumo desta baixaria que é hoje em dia. E por culpa dos pecadores, os justos pagam este caos. Realmente lamentável…

  • RoadV8Runner

    Brilhante seu comentário! Meu carro (que não vale nem de perto R$100 mil…) vive meio sujinho de vez em quando justamente porque não gosto nem um pouco de mandar lavar. Mil vezes eu mesmo dar um trato no carro e passar a imagem de serviçal!

  • RoadV8Runner

    Sempre achei uma estupidez sem tamanho escolher carro pelo status que o modelo proporciona (isso só pode ser necessidade de auto-afirmação…) Sempre compro carro que me dê prazer ao dirigir, não importa se é o modelo “na moda” ou um “mico” perante os orelhudos de plantão. Crio uma ligação mais profunda com cada carro que possuo, jamais os encaro como simples meios de transporte.

    Interessante como as prioridades mudam e, junto com elas, o nosso gosto por carros. Antes, comprava modelos praticamente baseados na emoção. Hoje, junto à emoção, somam-se algumas racionalidades, que antes sequer pensaria a respeito. Também passava muito mais tempo cuidando da estética do carro (limpeza e conservação, nunca gostei de “equipar” o carro). Hoje, faço apenas o básico, mas dou atenção especial ao funcionamento do carro como um todo, que deve estar sempre perfeito. Gambiarras, jamais!!!

  • Nascimento7

    interessante o episódio do cinquecento.

    porém, acredito q o dito “status” esteja mais relacionado ao estilo “descolado” do pequeno fiat do q com o seu preço em si. nesse caso, o preço surgiria como uma “consequência” (do estilo distinto do veículo) e não como “causa”.

    em aspectos estéticos, realmente, é um carro q chama atenção e até transmite algum “prestígio” por ser diferente, excêntrico.

    tanto é q…nesse quesito, o cinquecento não foi pioneiro. basta olharmos 15 anos atrás:

    qdo o ford ka foi lançado por aqui, ocorreu furor semelhante. um estilo q dividia opiniões, é verdade. porém, era justamente o design diferenciado q levava ao espectador acreditar q o seu proprietário era alguém tão descolado, tão “hipster” qto sugeria o modelo recém-lançado. isso transmitia alguma evidência, alguma jovialidade em relação dos modelos até então produzidos, tão “mainstrean”. e na época, o ka custava o equivalente a 1/3 do q o cinquecento custa hoje…

    e tem mais: a tática descrita pelo executivo da fiat tb não é novidade. a própria montadora italiana “roubou” tal estratégia dos japoneses, os pioneiros a remodelarem seus veículos a cada 04 anos, numa época em q um carro brasileiro – como o monza – só recebia uma reestilização profunda com no mínimo o dobro de tempo.

  • Nascimento7

    agora, em relação ao título do editorial em si, acredito q, entre os consumidores brasileiros EM GERAL, em se tratando de automóvel, SEMPRE houve ostentação.

    infelizmente, os raros entusiastas automobilísticos brasileiros que existem são vistos com desdém, ou mesmo, com pena…como se o ato de gostar de carros fosse uma doença.

    e digo mais: o brasileiro médio gosta é de futebol e de mulher…e o carro apenas como instrumento de conquista desta. a “paixão” reside pelo o q ele representa, não pelo q ele é.

    uma das formas de analisarmos o quão apreciadora de carros é uma nação é contabilizarmos a quantidade de museus, de feiras e de salões temáticos q existem e ocorrem nela.

    nesse sentido, a devoção do brasil pelos automóveis não chega nem aos pés do culto existente nos países da europa e, principalmente, nos estados unidos. as pessoas desses locais podem não ter disposição para lavarem os seus carros com as próprias mãos, mas detém um conhecimento técnico bem superior à média brasileira.

    talvez aí resida um dos grandes problemas do nosso país: uma pessoa ignorante do q quer adquirir é mais fácil de ser ludibriada pelos vendedores. nesse sentido, montadoras, concessionárias e oficinas “fazem a festa” com a leiguice do povo.

    talvez se o brasileiro médio desse mais valor, conhecesse mais os produtos q compra e usa (não somente automóveis) seria menos preterido e teria mais argumento para exigir melhorias e preço justo.

    infelizmente, por eqto, brasileiros q amam carros são poucos: são aqueles q se atualizam frequentemente através da imprensa especializada (como o best cars), que respiram automobilismo pelo menos em 3/4 do dia.

    e pronto.

  • Yuri_ycsl177

    Mesmo assim, o carro não suporta 100% ficar exposto ao sol quente durante tanto tempo, exemplo disso são os carros que vemos na rua com película escura nos vidros. Quando estes estão abaixados, percebe-se uma borda escura no vidro enquanto o restante está claro. Marca da exposição solar. Fora os carros com bancos de tecido cujos encostos de cabeça (principalmente os traseiros) desbotam.

    Fora a questão do sol, esses estacionamentos de condomínio distanciam o dono do carro, pois voce não tem mais como lavá-lo num fim de semana, tira até a motivação para isso, porque, no outro dia, o carro já vai estar sujo e manchado de sereno.

  • Fernando

    Alguns vão pra igreja ver o valdomiro curar, outros vão ver a arvore de natal do ibirapuera ser montada, outros vão comprar carro com dinheiro que não tem, outros vão acordar as 4h da manha pra ir trabalhar pesado, alguns vão pra praia grande no fds…..fazer oq,..se o que nos faz feliz é isso, …cada um que resolva a sua vida do jeito que melhor lhe convier, só não adianta reclamarmos dos outros , nem do governo, nem das montadoras, …se nos queremos comprar o nosso super carro barato (como em outros paises) pra sermos felizes, …ja estamos no “esquema” e vamos pagar o preço do esquema, que é dado porque como vc , muitos tambem querem ser felizes comprando carro e mais carro….entao o esquema simplesmente é caro….quem não esta no “esquema” é quem não gosta muito de trocar de carro, mesmo tendo dinheiro,….são poucos

  • T_101

    Repito a única solução é sair do Brasil.
    Cara eu pensava igual vc, mas resolvi tentar descifrar pq no Brasil sempre pagamos muito mais. E no mercado automotivo é EXATAMENTE isso que acontence aqui em sp.
    Conforto em um Classic só pode ser piada. Sim uma GRANDE piada. Conforto no CLASSIC é INFINITAMENTE maior que o no TRANSPORTE PÚBLICO. (experimente o trajeto, extremo leste com ônibus, até a linha vermelha do metro e um ônibus até o centro, vc vai ver que conforto.)
    Ok Vamos todos parar de comprar carros, isso sim é uma piada, muito boa alias, esquece isso NUNCA vai acontecer.
    Ok O gorverno vai melhor o Transporte Público, outra boa piada, esquece isso NUNCA vai acontecer.
    Ok se fizer isto ao votar no dia da eleição estamos perdidos, sim temos excelentes pólicos, outra excelente piada, esquece isso NUNCA vai acontecer (Russomanno, Serra, Haddad, etc..)
    Reitero a única solução é sair do Brasil.
    A sim e se vc acha que no mercado automotivo tem preços exorbitantes até 3x mais, experimente o mercado de tecnologia até 5x mais.

  • Zé do Biu

    Parabéns!!!!!!!!! Falou tudo!

  • Julho Cezar

    A questão é bem mais simples. Planejamento.
    Se a pessoa tem condição de pagar 72 Parcelas, ela pode muito bem economizar esse dinheiro e andar de onibus por mais um tempo até poder dar uma boa entrada em um carro usado, ou até pagar um Avista. Meu pai tem uma Ecosport 2010 (Quitada) e minha mãe tem um Focus 2010 (Quitado), e quando eu fiz 18 anos não ganhei carro, fui para os EUA trabalhar de housekeeping, voltei e paguei a minha viagem, o que sobrou eu dei de entrada em um Daihatsu Cuore 95 e paguei o resto em 24x de R$231,00, fiquei 2 anos com o carro, graças a ele pude arrumar um trabalho e assim fui crescendo. A cultura no BR é pobre e mediocre, carro é sinomimo de status e por isso as pessoas se endividam. Lembramos que o carro é um custo igual ou maior que um filho, seja novo ou usado, e o planejamento vai fazer diferença para as familias.

  • Vamodoido

    Só de não ter que pegar ônibus e ouvir os funks daqueles projetos de meliantes já é um alívio. E outra, experimente o CARNAMETRÔ da Sé no fim da tarde pra ver quanto um Classic fica confortável. E temos que ver a condição do nosso país em que pagar prestação de um Classic zero é melhor que gastar na manutenção de um Corsa 94, que é quase uma mensalidade e se bobear supera o valor do carro fácil fácil.

  • Alexbertuol

    Vou citar aqui os carros que já tive: Fiat 147 1980, Peugeot 205 1997, Pointer GTi 1994, Corsa GL 1997 e um Astra 1999. Todos carros pequenos, alguns bastante econômicos e comprados sempre à vista e na base da troca. Só que cansei de colocar quatro pessoas dentro do carro e carimbar todas as lombadas (lembrando que todos os carros eram originais, nada de rodas maiores ou rebaixados). E como gosto de passear muito, cansei de andar em estradas de terra e voltar com o carro todo frouxo. Então economizei o que podia e consegui comprar um Pajero 1997. Ando sem problemas pelas estradas de terra fazendo o meu turismo, não corto mais o cabo do freio-de-mão ou a mangueira do combustível nas lombadas. E me prestei a ler todos os comentários sobre essa matéria e cheguei a seguinte conclusão: simplesmente por ter um veículo que julgo adequado ao meu dia-a-dia, sou tachado quase como um Anti-Cristo, porque meu carro bebe muito e ocupa duas vagas de garagem. Estranho… ele é mais curto e mais estreito que um Omega. É dez centímetros mais comprido que um Vectra. E os donos desses carros não tem problema. Aquela antiga frase que o Casseta e Planeta dizia (na época que o humor deles ainda era inteligente) tem razão: “Brasil, ô povinho bunda!”.

  • VAISEFUDER

    VÃO SE FUDER.

  • Dragon®

    A úncia solução é sair do Brasil. Outra excelente PIADA, esquece, isto nunca vai acontecer, pq existem milhares de pessoas como vc que falam a mesma coisa e CONTINUAM POR AQUI! E comprando bijuteria a preço de ouro. Se achou a solução? VAZA! Não fica falando se é um dos que ficam aqui gastando rios de dinheiro com porcarias de carro, dizendo que o Brasil não tem jeito e CONTINUANDO por aqui. Rala e seja feliz, pq realmente o que este país não precisa é de FALSOS BRASILEIROS acomodados no sofá da sala (ou no Banco de carros medíocres como Classic a preço de BMW) e criticando a forma de governar sem NADA fazer para melhorar.
    Outro ponto é trabalhar a km´s e mais km´s de casa…SP não é uma cidadezinha onde ir da zona leste ao centro demora apenas alguns minutos. Tenta ir do extremo leste ao extremo sul. UMA VIAGEM! O negócio é arranjar emprego justamente próximo onde trabalha, mas daí vem aquela coisa. Precisamos trabalhar. E se o que me aceita é longe eu vou. Daí é fato. Ninguém se importa e nada muda. Muitos reclamam que o salário, digmos, “padrão” para muitas profissões são baixos, mas quando há uma vaga nestes moldes é fila e mais fila. Todo mundo aceita. Daí é como os carros. Se eles tem venda (seja de emprego ou de carros) com o lixo que nos oferecem, para quê melhorar? E vem também aí a baixa instrução do brasileiro e não é pq o ensino é um lixo. Eu estudei, no modelo antigo, desde a 1ª série até o 3º colegial em escola pública (colégio que existe até hoje no bairro que resido). Fiz vestibular e passei em 3 Universidades, escolhi uma, estudei, me esforcei, me formei Bacharel, hoje curso MBA. Minha Base? Escola Pública. Muitas são ruins? São. Mas a vontade de grande parte do povo é ser BURRO MESMO. Pq não se empenha…Abandona a escola. Da mesma forma que desiste e resolve comprar carros medíocres em 72 x, pagando 5 carros ou mais por um lixo que SÓ VENDE E EXISTE NO PAÍS DOS ESPERTOS. E ainda tem gente que pergunta…Pq aquele tal carro não vende no Brasil? Pq aqui se tem mais lucro financiando porcaria aos espertos e que tem menor “gasto de produção”. MOTIVO? O BRASILEIRO ACEITA E COMPRA. Vc tem um classic (vulgo corsa). Garanto que um Monza 90 (carroceria antiga ainda) SL/E 2.0 no Álcool Carburado gasta menos que este Lixo Flex (Flex? Gambiarra nos VHC com taxa de compressão medíocre), tem mais conforto, agilidade e te leva nos mesmos lugares de 4 a 6 mil. Daí entra o título da matéria: OSTENTAÇÃO. Carro Zero (só dentro da concessionária), plastiquinho no banco (tem gente que deixa para mostrar que é novo) e blá, blá, blá…Se a desculpa é o transporte público, muitos carros antigos (não velhos) lhe dariam mais conforto e agilidade para se deslocar (além de segurança, pois experimenta bater o seu Classic a 80Km/h e depois me conta o que sobra da Lataria “Folha de Sulfite) e a preço infinitamente inferior. Como disse: DESCULPA ESFARRAPADA para comprar o LixoMóvel. E também, já foi a época de falar que carro antigo dá problema e outras balelas. Canso de ver carro com menos de 5.000 km´s jogados em concessionárias e oficinas. Ué? Não era novo?? Pq quebrou? Bateu carrinho novo e fica meses na concessionária por falta de peças…Mas não é novo? Pq não tem peças? Reclama que o carro é gastão e não anda, mas PQ comprou um Zero Pelado com Pneus de Bicicleta e o incrível motor 1.0, 1.4? Já que era para comprar novo em 72x, pq não comprou um Camaro? (milhões de vezes mais seguro, confortável, etc.). Tá caro né? 200.000 reais é grana. Mas veja quanto vai sair o seu 1.nada em 72x..garanto que não muito longe disto. E no final, muitos continuam usando estes lixos e pagando por carros MUITO, mas MUITO melhores. Ser rico no Brasil é fácil. Basta fazer parte de uma montadora de veículos ou montar uma Igreja dos Milagres (IURD, Mundial, etc.). É tanta gente incrivelmente sem noção que vc enriquece fácil e sem esforço. E o melhor…O Governo deixa e para variar a Marionete do Edir Macedo (Celso Russomano) é lider de pesquisas desde praticamente o início das eleições. É só o que me faltava, depois do povo esperto colocar Tiririca em Brasília. Aliás, aos mais de 1 milhão de “espertos” que votaram nele..O QUE ELE FEZ ATÉ AGORA, além de ficar cada vez mais rico? Parabéns. Nada. Igual as montadoras, que vcs pagam rios de dinheiro por carros medíocres. O que eles fazem para vcs? NADA! E viva o brasileiro…A TETA DO MUNDO!

  • FTR

    a situação é complicada vc é um duro e precisa de um meio de transporte , mas usado o financiamento tem juros elevados vc tem pouco tempo para tratar do carro não tem um mecanico de confiança , não intende muito de carro e precisa apenas de um serviço e não de um bem vc precisa se locomover com segurança e conforto (qualquer carro é mais confortavel e seguro que um onibus lotado) vc vai e compra um carro zero km pagando menos de um salario minimo por mês e não vai ter que levar o carro no eletrecista no alinhador , comprar pneu , bateria trocar as correias etc etc …. tempo é dinheiro então racionalmente falando vc “aluga” um carro por 72 meses depois ganha ele de brinde vende a carcaça de 6 anos pra um cara esperto que intende de carros e gosta de ter intimidade com mecanicos e afins , dai vc leva outro zero pra casa e continua pagando o aluguel e não morre de raiva com mecanicos e afins….. e antes que digam que carro zero tb da problema eu digo sim da e muito mas é muito mais simples concertar algo novo que algo velho ou vc fica mais 2 anos juntando dinheiro e morrendo de raiva do busão , faz um curso de mecanica , eletrica , entra para uma boa igreja (sim vc vai precisar de orações)e compra seu usado em estado de 0 unico dono carro de mulher etc etc … cada um na sua , se vc quer comprar zero em 72 meses parabens mas se vc prefere um seminovo de 72 meses parabens tb , um vectra 97 pode sim ser um excelente automovel , mas um classic 2010 pode trazer tanta felicidade quanto um bmw o negócio e ser feliz …relaxem …. e deeem uma olhada pros nossos hermanos…. e paises africanos … os tornados nos EUA os tsunamis no japão …..vamos ficar quetos e em paz aqui , somos todos irmãos

  • T_101

    Vou ficando por aqui, resumindo, chega de CHORADEIRA nas redes, não vamos mudar nada comentando furiosamente na net.
    Vou estudar para criar minha Montadora..

  • T_101

    You’ve got a point. Mas o ponto é a Choradeira nas redes por causa dos carros made in brazilis.

  • Dragon®

    Sua última resposta: ” Vou ficando por aqui, resumindo, chega de CHORADEIRA nas redes, não vamos mudar nada comentando furiosamente na net.
    Vou estudar para criar minha Montadora..”…O que foi…? Não disse que a ÚNICA, REPITO, ÚNICA solução era sair do Brasil? Já mudou de idéia? Vaza amigo…Vai para fora. E aproveita e tenta achar um Classic lá. E se por sorte achar um, depois conte como é bem mais equipado, qual o motor (ao invés do 1.nada) e qual o valor que iria pagar. Pq se o que falo é choradeira e te incomoda, igualmente nos incomoda, como disse os Falsos Brasileiros que ficam de Blá, Blá, Blá que vão embora e continuam aqui rasgando dinheiro em 72x com Classic. Por mim tanto faz..o dinheiro é seu. O problema é que graças a milhares como vcs, nunca teremos um carro decente a custo equivalente. Parabéns….

  • Rfa1256

    escreva em português, estamos no Brasil.

  • http://www.facebook.com/fernando.batistadeoliveira.14 Fernando Batista de Oliveira

    CARRO BOM É CARRO QUITADO.

  • http://www.facebook.com/people/Anaximandro-Oliveira/1153013503 Anaximandro Oliveira

    Na minha opinião,vale a pena esperar um pouco,dar uma entrada maior e pegar um novo ou então semi-novo,com no máximo umas 24 prestações se usado e talvez 36 se novo…E depois disso,rodar anos com o carro(uns 6 anos no mínimo).Aqui temos uma pressa em trocar,pelo medo da “desvalorização”.Pessoal não entendeu que carro desvaloriza no mundo inteiro,aqui não poderia ser diferente.

  • Eduardo Stremel

    Vc acabou concordando com a matéria sem querer. Como você dá a destinação certa para o seu carro ele se torna útil. Aplaudo sua posição em comprar uma Pajero por NECESSIDADE. O argumento de demoniza possuidores de SUV é de pessoas que compram essa categoria de veículo simplesmente por estatus. Já cansei de ver SUV gigante que nunca encarou um mísero metro de estrada de chão.

  • Miquelangelo – MG

    PARABÉNS CARA! FALOU TUDO!!!!

  • Pkorn

    Digo sem hipocrisia que comprei um carro com quase duas toneladas, rodeado de air bags, projeto de suspensão moderno e motor potente para que eu e minha família tenhamos mais chances de sair ilesos de uma colisão com um típico veículo “nacional”. Rodo em uma grande cidade e pego estrada todo dia, dividindo espaço com todo tipo de barbaridade, negligência e tolerância. Paguei caro, muito mais caro que o carro vale, para alguns pode parecer ostentação, mas em última análise é auto-defesa.

  • Laquino

    Como o dinheiro é nosso, cada um pode tomar a decisão que melhor lhe convém com relação à compra de carros, no entanto, em uma economia de mercado, a peça mais importante do sistema é o consumidor e os preços só caem se o CONSUMIDOR exercer seu papel se recusando a pagar preços abusivos pelo produto. Os americanos ganham bem mais do que os brasileiros e pagam menos da metade pelos mesmos carros. Quem hoje compra carros 1.0 de R$30mil no Brasil, poderia, por exemplo, levar um Toyota Corolla pelo mesmo preço. Aqui temos impostos abusivos, margens de lucro absurdas e as maiores taxas de financiamento do mundo. Pior, nesse cenário caótico, temos record de vendas de carros zero km. Sinceramente, é ótimo ver as pessoas melhorando de vida e podendo comprar o que precisam, mas é péssimo ver o quanto o brasileiro não valoriza o dinheiro que ganha com trabalho tão suado. Parem de comprar carro zero por um tempo, não financiem e vejam o que acontece. No mínimo, os preços caem pela metade, afinal, em todo o mundo civilizado é assim. O BRASILEIRO AINDA NÃO SABE A FORÇA QUE TEM O CONSUMIDOR NA ECONOMIA DE MERCADO.

  • Ferrari

    Acho que a ostentação aparece quando o indivíduo prefere se enforcar em grandes prestações para andar num carrão e continuar morando na sua gaiola de 50m², ou na sua antiga casa num bairro periférico da cidade, que tem grandes congestionamentos para conseguir se locomover até a parte nobre da cidade (onde a grande maioria das pessoas trabalham).

    Não tenho nenhum “carrão”, pelo contrário, tenho uma saveiro trend, que me atende muito bem no quesito economia, desempenho e certo conforto, mas não moro em zona periférica. Prefiro continuar assim do que andar num carro de 100mil reais e morar “do outro lado da ponte” onde tem um transito muito mais intenso do que no meu bairro. Até parece que as pessoas lá estão melhores de vida do que quem está do lado de cá.

    Desculpem se eu comentário parece um pouco preconceituoso, não é a intenção, mas, se eu morasse em um local ruim e tivesse a possibilidade de me individar com algo grande, preferiria adquirir um imóvel em um local melhor e próximo do metrô e andar a pé do que comprar um excelente carro pra utilizar apenas a 1ª e 2ª marcha dentro de um bairro que dá medo de se viver….

  • Rafael_B

    Eu acho triste tambem quando o cara prefere comprar um Golf 2000 1,6L e por rodas 18″ e som arrasa quarteirão e paga financiamento tipo carnezão com taxa de 2,5% ao mês e mora de aluguel na bocada.
    Pessoal, é dificil dizer isso assim sem parecer ter preconceito, mas não tem. O problema é toda essa carga que carregamos pra aparentar ter e ser e que muitas vezes nos impede de sermos realmente felizes e dar atenção ao mais importante.
    Não que se tenha que comprar um zero do mesmo valor, mas precisa ser este Golf usado?
    Um Gol ou Palio bem mais novo sem rodão não atenderia o propósito?
    Sei lá, cada cabeça, sua sentença.
    Vendi meu carro e deixei de ter outro pra pagar minha casa. Carro meu hoje, nenhum, só da empresa. E daí?
    Infelizmente, tenho casos na familia assim e acho triste. E acho chato falar (de novo) pra não ser o indesejado.

  • Zcmneto

    Vectra CD 97, um dos melhores carros q já dirigi. Confortável, verdadeiramente completo (ñ somente trio + ar…) potente, relativamente econômico, design incrível para época e ainda hj interessante, carro na mão, realmente sentia prazer em dirigi-lo. Excelente opção em continuar com ele amigo, nessa mer** de país se for para tentarmos obter status através de carro, nascemos no país errado.

  • Adelino

    Infelizmente o povo brasileiro vai pela cabeça do consumismo, qualquer lançamento de qualquer montadora é lançar que voce ve um monte nas ruas, nem se tiver que pagar ágio para ser um dos primeiros a te-los. Meus carros são de mais de 15 a trinta anos de uso, não pago IPVA extorsivo, e eles fazem mais sucesso nas ruas de que um O Km importado. Não tenho e não consigo pagar seguro por causa da idade deles, e te garanto que eles tem muito mais conforto que seus similares novos. Deixa eu com minha Silverado 1994, minha Suburban 1993 e minha Veraneio 1974, que é bem melhor que ficar pagando n parcelas de financiamento. Façamos igual ao modelo Europeu, onde se vê verdadeiras jóias antigas rodando como carro de uso normal, não importando se é ) km ou se tem algumas décadas de idade.

  • Vanessa Elisa

    Quem inventou essa de que “manutenção de carro velho paga a prestação de um novo” deve ter sido um vendedor. Meu carro vai completar 14 anos bem rodados e visita a oficina 2xs por ano para uma revisão preventiva. Dá para pagar a oficina com o juro do valor que eu teria de bancar para comprar um equivalente 0Km. Morei em SP/capital, e mesmo podendo bancar um 0km, nunca tive carro. Adoro dirigir e não agüentaria ficar sentada dentro de um carro parado por horas a fio. Me virei muito bem com tranporte público, táxi e a pé.

  • Rosalvo Neto

    Fabricio,

    Como sempre seus texto é perfeito!

    Nada retratou melhor nossa sociedade do que estas palavras.

    Lembrou-me a propaganda do Honda City – ” Para você que vai bem”.

    Alguém está bem porque comprou um carro de 60 mil reais e tem atributos de um carro que vale menos de 40? Sim, se a pessoa pode pagar, independente se o produto é bom ou não, sugere sucesso, o que é digno de nota…

    Abraços!

  • http://www.facebook.com/profile.php?id=100003715281058 Djalma Junior

    cara,eu consigo manobrar uma Ranger cabine dupla numa boa em vagas onde tem gente que tem medo de pr um Palio ou Gol em vagas mais apertadas….

  • http://www.facebook.com/profile.php?id=100003715281058 Djalma Junior

    acontece isso direto no colégio onde estudo,pensam que eu sou rico só por causa de um Toyota Hilux do meu pai e um Nissan Livina da minha mãe,sendo que quem me conhece sabe que eu sou “só mais um” em Maceió,e a minha amiga as vezes reclama dessa “posição” que me puseram lá,de ser o “mais rico”,que é bastante ridículo e sou obrigado a aguentar isso…….

  • http://www.facebook.com/profile.php?id=100003715281058 Djalma Junior

    cara,eu indo pro colégio um dia desses eu vi uma Hilux saindo da garagem de um barraco praticamente,quando eu vi o carro saindo de lá levei um susto,e fiquei me perguntando:como esse louco consegue pagar a parcela do carro? ai quando eu falei pro meu pai isso ele me respondeu:isso aqui(em Maceió)é mais comum que você pensa,que tem um monte de liso metido a rico querendo bancar um carro com o R$ que não tem pra chamar a atenção daquele que nunca viu ou ouviu falar de você na vida………

  • http://www.facebook.com/profile.php?id=100003715281058 Djalma Junior

    a maioria das pessoas compram um carro pra fazer inveja pro vizinho,só que o meu pai comprou a Hilux dele para trabalho e no condomínio onde moro pensam que é para “pagar de rico”(sendo que se brincar ele pega 2 0 km a vista) em que a minha vizinha quando me vê,ou o meu pai,ou a minha mãe e a minha irmã ela corre para o elevador pra “fugir” de nós…..