Citroën C4 Cactus: teste em 10 itens da versão aspirada

Feel Pack automático de R$ 87 mil é forte em conteúdo e bom de dirigir, mas será boa compra na categoria?

Texto e fotos: Fabrício Samahá

 

É comum nos lançamentos que a indústria dê prioridade às versões de topo, mais luxuosas ou potentes. Não foi diferente com o Citroën C4 Cactus: quase todas as unidades para avaliação inicial eram da versão Shine Pack THP, com motor turbo, deixando de lado a aspirada, que deve responder por grande parte das vendas. Assim, enquanto preparamos um comparativo com a THP, colocamos a Feel Pack com transmissão automática na avaliação 10 Chances, que mostra as chances para um carro merecer sua garagem. O preço sugerido é de R$ 87 mil. Se preferir, assista ao vídeo.

Estilo
O C4 Cactus tem um desenho peculiar na categoria, mais para hatch que para utilitário esporte. A frente, algo parecida com a da Fiat Toro, agrada mais que a traseira com lanternas um tanto tímidas. O teto pode vir em cor diferente da carroceria, como no carro testado. 1 ponto

 

 

O desenho do C4 Cactus está mais para hatch que para SUV; a frente lembra a da Fiat Toro; atrás, as lanternas são tímidas; teto e detalhes podem vir em cor diferente

 

Acabamento e conveniência
O interior tem materiais comuns na classe, como plásticos rígidos de boa montagem e tecido simples nos bancos. O desenho retilíneo do painel, que busca um ar robusto, não agrada a todos. Entre as conveniências estão alerta específico de qual porta está mal fechada, ar-condicionado automático, câmera traseira de manobras, chave presencial para acesso e partida, controlador e limitador de velocidade, controle elétrico de vidros com função um-toque para todos e fechamento a distância (abertura, não), faróis e limpador de para-brisa automáticos e monitor de pressão dos pneus.

 

 

A central de áudio tem tela de 7 polegadas, boa qualidade de som e integração a celular por Android Auto e Apple Car Play. É fácil de operar, mas não gostamos de depender dela para os ajustes de ar-condicionado: é preciso alternar entre as funções, o que distrai e toma tempo. Outros pontos melhoráveis: o espaço para objetos é só regular, a moldura das soleiras suja facilmente a barra da calça ao sair e faltam ajuste de altura dos cintos dianteiros, alças de teto, faixa degradê no para-brisa e luzes na parte traseira da cabine. 0,5 ponto

 

Interior de acabamento adequado tem boas acomodações na frente e regulares atrás, com cintos de três pontos para todos; instrumentos digitais vêm do C4 Lounge

 

Posto do motorista
A posição ao dirigir o C4 Cactus é confortável, com banco bem definido (poderia ter mais apoio lombar) e volante ajustável em altura e distância. Embora simples em aparência, o quadro de instrumentos digital cedido pelo C4 Lounge cumpre bem sua função, com leitura sempre fácil — salvo quando reflete os raios solares que incidem sobre a coluna de direção. A segunda medição do computador de bordo, curiosamente, só tem acesso pela central de áudio. Os faróis são simples, de refletor único, mas ele traz unidades de neblina na frente e atrás, luzes diurnas por leds e repetidores laterais das luzes de direção. A visibilidade é regular nos ângulos dianteiros e bem limitada para trás. 1 ponto

 

O motor tem níveis moderados de ruídos e vibrações e a resposta inicial convence; acelerar de 0 a 100 km/h em 12,5 segundos está coerente com a proposta

 

Espaço
O novo Citroën acomoda bem na frente. No banco traseiro, o espaço para pernas e em altura é bom, mas a largura não dá conta de três adultos, como é comum na categoria. Um passageiro central não encontra muito conforto. 0,5 ponto

Porta-malas
A capacidade de bagagem, 320 litros, está entre as menores da classe: vários rivais passam de 400 litros. Além disso, o acesso é limitado pela base das mais altas e o estepe de 15 pol fica bem menor que os demais pneus, impondo limitações de uso. O banco traseiro é bipartido em 60:40. 0,5 ponto

 

Central de áudio com tela de 7 pol e integração a celular é fácil de operar, mas inclui comandos de ar-condicionado; faróis e limpador automáticos; chave presencial; porta-malas pequeno

 

Desempenho
O motor dessa versão é bem conhecido no grupo PSA, de 1,6 litro e 16 válvulas, com potência de 115 cv (com gasolina) ou 118 cv (álcool) e bom torque. Tem níveis moderados de ruídos e vibrações e a resposta inicial convence, ajudada pelo peso contido (1.204 kg). Quando se pede mais potência o resultado é mais modesto, mas acelerar de 0 a 100 km/h em 12,5 segundos está coerente com a proposta. A caixa automática de seis marchas tem operação suave, seleção manual via alavanca e três programas de uso: normal, esporte e econômico. 0,5 ponto

 

 

Consumo
O consumo de gasolina superou 13 km/l nos dois trajetos mais favoráveis, marcas muito positivas. Na categoria, nos testes até agora, ele foi o mais econômico em rodovia e só perdeu para Nissan Kicks e Honda HR-V no percurso urbano leve. 1 ponto

Comportamento dinâmico
O C4 Cactus brasileiro teve a suspensão toda revista, até pelo grande aumento (em 34 mm) na altura de rodagem. O resultado é bom em conforto, com amortecedores macios no começo do curso, mas a suspensão transmite bem os maiores impactos. A estabilidade é adequada para a proposta e há controle eletrônico. O de tração não pode ser desligado, um possível problema em trechos com mais lama. Seus freios são corretos e a direção, bem leve em manobras, ganha peso adequado em velocidade, mas poderia transmitir menos impactos do piso. 1 ponto

 

Motor aspirado tem bom desempenho e baixo consumo com a caixa automática de seis marchas; suspensão traz rodar macio, mas pode absorver melhor os impactos

 

Segurança passiva
A versão Feel Pack vem com bolsas infláveis laterais dianteiras, assim como fixação Isofix para cadeira infantil, encostos de cabeça e cintos de três pontos para cinco pessoas. Um bom conjunto, mas ficam de fora as cortinas infláveis da opção de topo. 0,5 ponto

Custo-benefício
A versão superior do C4 Cactus aspirado custa R$ 87 mil com um bom pacote de equipamentos — os itens disponíveis são acessórios. Como estão os concorrentes? O Ford Ecosport SE tem motor de 1,5 litro (131/137 cv) e custa pouco menos (R$ 85.250), mas seu conteúdo deixa de fora itens como bolsas infláveis laterais, câmera traseira e chave presencial. O Jeep Renegade Sport, de preço próximo (R$ 86 mil), usa motor de 1,75 litro (135/139 cv) e tem a câmera, mas também lhe faltam os outros itens. Portanto, dentro do segmento de SUVs, a relação custo-benefício do C4 Cactus aspirado é bem interessante. 1 ponto

 

7,5 pontos

 

Mais Avaliações

 

Equipamentos e preços

C4 Cactus Feel Pack – Alarme volumétrico, ar-condicionado automático, assistente de saída em rampa, banco traseiro bipartido 60:40, bolsas infláveis laterais dianteiras, câmera traseira de manobras, central de áudio com tela de 7 pol e integração a celular, chave presencial para acesso e partida, computador de bordo, controlador e limitador de velocidade, controle elétrico de vidros com função um-toque para todos, controle eletrônico de estabilidade e tração, faróis de neblina, faróis e limpador de para-brisa automáticos, fixação Isofix para cadeiras infantis, luzes diurnas de leds, monitor de pressão dos pneus, rodas de alumínio de 17 pol, volante de couro com ajuste em altura e distância.

Opcionais e acessórios: pacote Plus (frisos de porta, protetor de cárter, tapetes), pacote Tech (sensores de estacionamento traseiros e rebatimento do retrovisor direito em marcha à ré), pacote Voyage (barras transversais de teto, engate removível, porta-bicicleta).

• Preço sem opcionais: R$ 86.990

• Preço como avaliado: R$ 86.990

• Preço completo: R$ 94.111

• Garantia: três anos sem limite de quilometragem.

Preços sugeridos em jan/19

 

Desempenho e consumo

Aceleração
0 a 100 km/h 12,5 s
0 a 120 km/h 18,0 s
0 a 400 m 18,6 s
Retomada*
60 a 100 km/h 8,1 s
60 a 120 km/h 13,8 s
80 a 120 km/h 9,7 s
Consumo
Trajeto leve em cidade 13,3 km/l
Trajeto exigente em cidade 7,0 km/l
Trajeto em rodovia 13,8 km/l
Testes com gasolina; *reduções automáticas; conheça nossos métodos de medição

 

Ficha técnica

Motor
Posição transversal
Cilindros 4 em linha
Comando de válvulas duplo no cabeçote
Válvulas por cilindro 4, variação de tempo
Diâmetro e curso 78,5 x 82 mm
Cilindrada 1.587 cm³
Taxa de compressão 12,5:1
Alimentação injeção multiponto sequencial
Potência máxima (gas./álc.) 115/118 cv a 5.750 rpm
Torque máximo (gas./álc.) 15,5/16,4 m.kgf a 4.000 rpm
Transmissão
Tipo de caxa e marchas automática, 6
Tração dianteira
Freios
Dianteiros a disco ventilado
Traseiros a tambor
Antitravamento (ABS) sim
Direção
Sistema pinhão e cremalheira
Assistência elétrica
Suspensão
Dianteira independente, McPherson, mola helicoidal
Traseira eixo de torção, mola helicoidal
Rodas
Dimensões 17 pol
Pneus 205/55 R 17
Dimensões
Comprimento 4,17 m
Largura 1,714 m
Altura 1,534 m
Entre-eixos 2,60 m
Capacidades e peso
Tanque de combustível 55 l
Compartimento de bagagem 320 l
Peso em ordem de marcha 1.204 kg
Desempenho (gas./álc.)
Velocidade máxima 185/190 km/h
Aceleração de 0 a 100 km/h 12,1/12,0 s
Consumo em cidade 11,0/7,4 km/l
Consumo em rodovia 12,2/8,6 km/l
Dados do fabricante; consumo conforme padrões do Inmetro