VW Move Up Connect TSI 2018: avanços e pendências

O menor Volkswagen melhora em interior e sistema de áudio e cativa pelo desempenho, mas tem onde evoluir

Texto e fotos: Fabrício Samahá

 

O Volkswagen Up não teve um começo dos mais promissores no Brasil. Talvez o problema estivesse no estilo, que não se identificava com a marca nem transmitia robustez. Talvez fosse seu tamanho, menor que o de outros carros pequenos, sem que o preço acompanhasse a redução. O fato é que as vendas demoraram a crescer e deixaram dúvidas se o modelo um dia emplacaria no Brasil.

Com o tempo o Up conquistou seu lugar, para o que concorreu a ótima combinação de desempenho, economia e prazer em dirigir trazida pelo motor TSI turboalimentado. Ainda não é um campeão de vendas: de janeiro a maio, 15 mil deles ganharam as ruas, menos que os 19 mil do Fiat Mobi. Mas sua aprovação pelos donos é das mais altas do mercado, como apontou o Guia de Compra do Best Cars.

 

 

Para a linha 2018, a Volkswagen resolveu atender a algumas críticas. Retocou o estilo em busca de um aspecto mais robusto, melhorou a aparência do interior, reviu versões e adotou novo sistema de áudio que melhora muito a integração ao telefone celular, como exigem os novos tempos. Para verificar o que melhorou e o que ainda precisa ser feito, avaliamos o Move Up TSI com o novo pacote Connect.

 

O novo Maps + More é um aplicativo para o telefone que o conecta ao aparelho do Up, com funções de áudio, navegação e Think Blue Trainer em uma interface prática

 

O Move TSI tem preço a partir de R$ 52.790, o que inclui equipamentos de série como ar-condicionado, banco do motorista e volante com regulagem de altura, chave do tipo canivete, computador de bordo, controle elétrico de vidros dianteiros e travas, controle eletrônico de tração, direção com assistência elétrica, faróis de neblina, fixação Isofix para cadeira infantil, freios antitravamento (ABS) com distribuição eletrônica (EBD), retrovisores com luzes de direção, rodas de alumínio de 14 pol, sensor de estacionamento traseiro, sistema de áudio Composition e volante de couro com comandos.

O pacote Connect (R$ 837) traz áudio Composition Phone, interior escurecido, rodas de 15 pol com face usinada, faixas laterais, teto e retrovisores em preto. Curiosamente, o áudio pedido em separado é bem mais caro, uma forma de incentivar a opção pelo Connect. Não há opção de transmissão automatizada, que a VW restringe ao Up aspirado. Com a pintura especial vinculada ao pacote são R$ 55 mil, quantia expressiva para um carro de seu porte.

 

Os para-choques ganharam aspecto robusto e aumentaram o comprimento do Up; pacote Connect traz teto e retrovisores em preto e faixas laterais

 

Algumas das novidades do Up estão bem à vista. O para-choque dianteiro ganhou linhas mais retas em busca de um ar mais encorpado e, somado ao traseiro, aumentou o comprimento em 44 mm na versão turbo (84 na aspirada, que tinha o dianteiro menos saliente). Faróis e lanternas traseiras foram revistos, embora com o mesmo formato, e agora o TSI vem com filete cromado na grade dianteira e logotipo nas colunas centrais. A tampa traseira continua preta nesse caso.

 

 

O interior passou por boas mudanças. O painel foi remodelado com acabamento superior e, no quadro de instrumentos, cresceu o mostrador digital que indica velocidade, temperatura do motor, dados de áudio e do computador de bordo com duas medições. O volante traz comandos de áudio, telefone e computador — antes não havia nenhum. No antigo Up o sistema de áudio era bastante limitado em recursos: quem quisesse algo mais tinha o sistema Maps & More, uma tela portátil que servia a áudio, navegação, computador e o sistema Think Blue de análise da economia ao dirigir. Contudo, era um sistema caro e com tela fácil de retirar (e de furtar). Por isso, na linha 2018 tudo muda.

O novo Maps + More (note que mudou a grafia) é um aplicativo para o telefone que o conecta ao aparelho do Up. No carro, tudo o que se vê são um rádio bem integrado ao painel, com conexões USB e auxiliar, e um suporte para o celular acima dele, que pode girar para manter o aparelho na vertical ou na horizontal. Em princípio é a mesma ideia aplicada pela Fiat ao sistema Live On do Mobi: o aplicativo apresenta funções de áudio, navegação e o Think Blue Trainer com uma interface mais prática para se usar ao volante. Tudo funciona via interface Bluetooth, sem fios, e as principais funções são operadas pelos botões no volante.

 

Interior melhorou em aspecto e acabamento; mostrador digital do painel aumentou; interface para celular traz aplicativo e orientação para dirigir com economia

 

Vantagens sobre o Mobi são a tela no painel, que mostra informações de áudio, e botões de controle junto dela que facilitam a operação. Assim, nada impede de manter o aparelho no bolso ou na bolsa e usar a tela do carro para controlar músicas via Bluetooth, curtindo a boa qualidade sonora do sistema. Outro recurso do VW é o navegador integrado ao aplicativo com mapas atualizados pela TomTom, que ficam salvos no celular (não dependem de internet para o uso) e contam com informações contínuas de trânsito. Pode-se inserir um destino por digitação ou reconhecimento de escrita na tela do telefone.

A reforma interna fez bem ao Up, que oferece bons bancos dianteiros, espaço surpreendente para seu tamanho e posição adequada ao motorista, apesar dos pedais mais à direita. Há ajustes de altura para banco e volante e até o apoio para o pé esquerdo é apropriado. Outros bons detalhes são alarme volumétrico (ultrassom), alerta programável para excesso de velocidade, ar-condicionado de boa capacidade, aviso específico de qual porta está mal fechada, aviso para uso do cinto por motorista e passageiro ao lado, faróis e luz traseira de neblina, função de curva para esses faróis (acende o lado da curva, a fim de iluminar em campo mais aberto que o farol convencional), indicador para troca de marcha (para cima e para baixo), mostrador de temperatura externa, repetidores laterais das luzes de direção e volante revestido em couro.

Próxima parte

 

Desempenho e consumo

Aceleração
0 a 100 km/h 10,1 s
0 a 120 km/h 13,7 s
0 a 400 m 17,1 s
Retomada
60 a 100 km/h (3ª.) 8,1 s
60 a 100 km/h (4ª.) 10,6 s
60 a 120 km/h (3ª.) 11,8 s
60 a 120 km/h (4ª.) 16,2 s
80 a 120 km/h (3ª.) 8,8 s
80 a 120 km/h (4ª.) 12,2 s
Consumo
Trajeto leve em cidade 18,6 km/l
Trajeto exigente em cidade 9,8 km/l
Trajeto em rodovia 14,9 km/l
Autonomia
Trajeto leve em cidade 837 km
Trajeto exigente em cidade 441 km
Trajeto em rodovia 671 km
Testes efetuados com gasolina; conheça nossos métodos de medição

 

Dados do fabricante

Velocidade máxima 181/183 km/h
Aceleração de 0 a 100 km/h 9,5/9,3 s
Consumo em cidade 13,8/9,6 km/l
Consumo em rodovia 16,1/11,1 km/l
Gasolina/álcool; consumo conforme padrões do Inmetro
Próxima parte