VW Golf: 10 chances ao Comfortline 1,0-litro automático

Nova transmissão e visual atualizado deixam a versão de entrada mais atraente, mas ela vale quase R$ 100 mil?

Texto e fotos: Fabrício Samahá

 

Carro médio com motor de 1,0 litro: por que não? Desde que seja turbo, é claro. O Volkswagen Golf havia mostrado a viabilidade dessa solução, na versão com caixa manual, e recebeu transmissão automática de seis marchas no modelo 2019, ao lado de atualizações estéticas e internas. O Best Cars analisou o Golf Comfortline TSI na seção 10 Chances, que propõe 10 itens para um carro merecer, ou não, sua garagem. O preço sugerido com opcionais é de R$ 99.040.

Estilo
O Golf é dono de um desenho bem executado, que transmite robustez e modernidade sem cansar rápido. A linha 2019 ganha novos faróis, lanternas traseiras com leds e para-choques, que deixaram mais atraente o estilo lançado na Europa em 2012. Apesar de uma nova geração estar a caminho por lá, ainda é um belo carro. 1 ponto

Acabamento e conveniência
O interior transmite boa impressão pelos plásticos e a montagem, embora o tecido dos bancos seja simples para a faixa de preço. Entre as conveniências destacam-se câmera traseira de manobras, capô sustentado por mola a gás, controle elétrico de vidros com função um-toque para todos e comando a distância para abrir e fechar, difusor de ar para o banco traseiro, para-sóis com espelhos iluminados, porta-luvas refrigerado, porta-óculos, quatro alças de teto, retrovisor interno fotocrômico, retrovisores externos com aquecimento, sensores de estacionamento à frente e atrás com indicação gráfica e teto solar panorâmico.

 

Para-choques, faróis (com leds diurnos) e lanternas (também com leds) são novidades no Golf 2019; versão Comfortline com motor de 1,0 litro parte de R$ 91.790

 

A central de áudio tem tela de 8 pol, sensor de proximidade (apresenta menus antes de a tela ser tocada), comandos por voz e integração a celular por Android Auto e Apple Car Play. Algumas faltas são ar-condicionado automático e para-brisa degradê. E o forro do teto deveria vedar melhor os raios solares. 1 ponto

 

 

Posto do motorista
Bancos tipicamente alemães, firmes e com apoios bem definidos, dão conforto aos ocupantes dianteiros do Golf. O do motorista inclui ajuste lombar e o volante pode ser regulado em altura e distância. Os instrumentos bem legíveis incluem computador de bordo com três medições, uma delas zerada quando se abastece, e monitor de pressão dos pneus. Os faróis de duplo refletor são eficientes e existem luz diurna por leds, faróis e luz traseira de neblina e repetidores laterais das luzes de direção. A visibilidade é muito boa para frente e algo restrita em ângulo para trás. 1 ponto

Espaço
Hatches médios são mais espaçosos que os pequenos, mas isso não garante o conforto geral. O Golf é amplo em altura e mediano em largura e no vão para pernas de quem viaja atrás. Ali, três pessoas não se acomodam bem e o passageiro central vai desconfortável. 0,5 ponto

 

Bom acabamento e ótima posição de dirigir, mas tecido simples nos bancos; espaço no banco traseiro agrada em altura, sendo mediano para pernas e ombros

 

Porta-malas
A capacidade de bagagem de 313 litros é modesta para seu porte, embora fique na média da categoria. O banco traseiro é bipartido 60:40 e o estepe usa pneu de 16 pol, contra os 17 restantes. 0,5 ponto

 

O motor turbo combina-se bem à caixa automática e traz relativa agilidade ao Golf: ele acelerou de 0 a 100 km/h em 11,3 segundos, pouco mais lento que a versão manual

 

Desempenho
O motor turbo de 1,0 litro com injeção direta, o mesmo hoje usado pelo Polo, tem 116 cv com gasolina e 128 com álcool, sempre com o ótimo torque de 20,4 m.kgf: o bastante para dar relativa agilidade aos 1.259 kg do Golf. Ele acelerou de 0 a 100 km/h em 11,3 segundos com gasolina, marca algo modesta diante dos concorrentes. Como esperado, foi pouco mais lento que a versão de caixa manual, que fez em 10,9 s. É raro notar-se retardo de ação do turbo e, em rodovia, viaja-se rápido com poucas rotações e ruídos. Sua operação é silenciosa e os três cilindros pouco afetam a suavidade: nota-se alguma oscilação só abaixo de 1.500 ou acima de 5.000 rpm.

O motor combina-se bem à caixa automática de seis marchas, cujo conversor de torque melhora as respostas nas saídas até que a turbina esteja “cheia”. Suas mudanças são suaves, com calibração correta, e há comandos no volante para trocas manuais. Pode incomodar a força de tração em marcha-lenta, que faz o carro querer andar. Com o pé firme no freio, porém, a caixa passa ao ponto-morto e cessa o inconveniente. 0,5 ponto

 

Central de áudio com tela de 8 pol e integração a celular; câmera traseira de manobras que só aparece em marcha à ré; instrumentos bem claros e computador de bordo com três percursos; teto solar opcional; faróis automáticos; controlador de velocidade

 

Consumo
Ao fazer 13,8 km/l de gasolina no trajeto urbano leve e 12,4 no rodoviário, o Golf foi razoavelmente econômico, mas houve perda acentuada em relação à versão manual, que fizera 15,9 e 14,5 km/l, na mesma ordem. Note que o motor turbo ajuda mais na economia em cidade que em rodovia. 0,5 ponto

 

 

Comportamento dinâmico
Estabilidade é um item importante para quem escolhe um hatch médio, e nisso o Golf não decepciona. Embora tenha adotado suspensão traseira mais simples no modelo nacional, com eixo de torção em vez do sistema multibraço, ele continua com ótimo comportamento em curvas e atitude muito serena em alta velocidade, além de ter controle de estabilidade e tração. O conforto de rodagem agrada, salvo pela absorção de pequenas irregularidades. Freios e direção estão muito bem acertados. 1 ponto

Segurança passiva
O conteúdo de segurança passiva é excelente: bolsas infláveis frontais, de joelhos do motorista, laterais dianteiras e de cortina, fixação Isofix para cadeira infantil, encostos de cabeça e cintos de três pontos para todos os ocupantes. 1 ponto

 

Motor com 116 cv (gasolina) não traz grande aceleração, mas oferece alto torque em médios regimes; caixa automática opera bem; estabilidade é ponto alto

 

Custo-benefício
O Golf Comfortline custa R$ 91.790, já com caixa automática, e passa a R$ 99.040 com teto solar e rodas de 17 pol, seus únicos opcionais. Barato, certamente não é, mas convence pelo conteúdo de segurança e conforto, a eficiência do conjunto mecânico e a qualidade de construção.

Como estão os concorrentes? O Ford Focus SE Plus custa R$ 94.400 com motor de 2,0 litros com 175/178 cv e conteúdo semelhante, com acréscimo de bancos de couro e ar-condicionado de duas zonas. O Chevrolet Cruze Sport6 LT (R$ 96.790) também é mais potente que o Golf (150/153 cv no motor turbo de 1,4 litro) e vem com bancos que simulam couro, mas lhe faltam as cortinas infláveis. Nenhum deles tem teto solar nessas versões. Mesmo sem este opcional, em seu segmento o carro da Volkswagen fica para trás em desempenho sem vantagem em preço.

Comparação mais favorável ao Golf é com utilitários esporte compactos, segmento que tomou muito espaço dos hatches médios. Na Honda, o HR-V EX custa R$ 98.700 com motor de 1,8 litro (140/139 cv) e tem maior capacidade de bagagem, mas deixa de fora cortinas infláveis, teto solar e outros itens de conveniência do VW. O Nissan Kicks SL (R$ 98.990) também tem maior porta-malas e vem com bancos de couro e chave presencial. Também sem teto solar, ele usa motor menos potente, 1,6 de 114 cv. 0,5 ponto

Mais Avaliações

 

Equipamentos e preços

• Golf Comfortline – Alarme, ar-condicionado, bloqueio eletrônico do diferencial, bolsas infláveis (frontais, laterais dianteiras, de cortina e de joelhos do motorista), câmera traseira para manobras, cintos de três pontos e encostos de cabeça para cinco ocupantes, controlador de velocidadecontrole eletrônico de estabilidade e tração, faróis e luz traseira de neblina, faróis e limpador de para-brisa automáticos, fixação Isofix para cadeira infantil, freios a disco com  assistência adicional em emergência, lanternas traseiras de leds, monitor de pressão dos pneus, retrovisor interno fotocrômico, rodas de alumínio de 16 pol, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, volante de couro com comandos.

• Opcionais – Rodas de 17 pol, teto solar panorâmico com controle elétrico.

• Preço sem opcionais: R$ 91.790

• Preço como avaliado: R$ 99.040

• Preço completo: R$ 100.790

• Garantia: três anos sem limite de quilometragem.

Preços sugeridos em dez/18

 

Desempenho e consumo

Aceleração
0 a 100 km/h 11,3 s
0 a 120 km/h 15,8 s
0 a 400 m 17,8 s
Retomada*
60 a 100 km/h 6,2 s
60 a 120 km/h 10,6 s
80 a 120 km/h 8,0 s
Consumo
Trajeto leve em cidade 13,8 km/l
Trajeto exigente em cidade 6,7 km/l
Trajeto em rodovia 12,4 km/l
Testes com gasolina; *reduções automáticas; conheça nossos métodos de medição

 

Ficha técnica

Motor
Posição transversal
Cilindros 3 em linha
Comando de válvulas duplo no cabeçote
Válvulas por cilindro 4, variação de tempo
Diâmetro e curso 74,5 x 76,4 mm
Cilindrada 999 cm³
Taxa de compressão 10,5:1
Alimentação injeção direta, turbocompressor, resfriador de ar
Potência máxima (gas./álc.) 116/128 cv a 5.500 rpm
Torque máximo (gas./álc.) 20,4 m.kgf de 2.000 a 3.500 rpm
Transmissão
Tipo de caixa e marchas automática, 6
Tração dianteira
Freios
Dianteiros a disco ventilado
Traseiros a disco
Antitravamento (ABS) sim
Direção
Sistema pinhão e cremalheira
Assistência elétrica
Suspensão
Dianteira independente, McPherson, mola helicoidal
Traseira eixo de torção, mola helicoidal
Rodas
Dimensões 7 x 17 pol
Pneus 225/45 R 17
Dimensões
Comprimento 4,268 m
Largura 1,799 m
Altura 1,468 m
Entre-eixos 2,638 m
Capacidades e peso
Tanque de combustível 51 l
Compartimento de bagagem 313 l
Peso em ordem de marcha 1.259 kg
Desempenho e consumo (gas./álc.)
Velocidade máxima 187/192 km/h
Aceleração de 0 a 100 km/h 10,8/10,3 s
Consumo em cidade 11,4/8,0 km/l
Consumo em rodovia 14,2/10,2 km/l
Dados do fabricante; consumo conforme padrões do Inmetro