Volvo XC90 D5: não falta nem dirigir sozinho

Ao lado de novo motor a diesel, o utilitário esporte impressiona pelo requinte e as tecnologias de assistência

Texto: Fabrício Samahá e José Geraldo Fonseca – Fotos: divulgação

 

Na marcha pela condução autônoma, que promete transformar o motorista em passageiro em alguns anos, a Volvo apresenta no Brasil o utilitário esporte XC90 com assistente capaz de dirigi-lo por si mesmo a até 130 km/h. Essa não é a única novidade do modelo para 2017: há também um motor biturbo a diesel de 2,0 litros e potência de 235 cv, que se soma à unidade T6 a gasolina de mesma cilindrada com turbo, compressor e 320 cv. A expectativa é vender em 2017 cerca de 700 unidades do modelo, das quais 60% a diesel.

O XC90 D5 Drive-E é o segundo SUV a diesel da Volvo no País, depois do XC60 D5 lançado em agosto. Os preços sugeridos — promocionais de lançamento, segundo a empresa — são de R$ 369.950 para a versão Momentum e R$ 419.950 para a Inscription (veja a relação de equipamentos no quadro abaixo). Os principais concorrentes a diesel são BMW X5 XDrive 30d (258 cv, R$ 399.950), Mercedes-Benz GLE 350D Sport (258 cv, R$ 407.900) e Range Rover Sport SDV6 SE (306 cv, R$ 422 mil). Outras alternativas são Audi Q7 TFSI (333 cv, R$ 400 mil), Jaguar F-Pace V6 (340 cv, R$ 406.300) e Porsche Cayenne V6 (300 cv, R$ 377 mil), a gasolina.

 

Desenho elegante do XC90 busca ser duradouro, não seguir modismos; leds formam “martelo de Thor”; rodas são de 20 pol; logotipo aloja câmera

 

Se de início a cilindrada de 2,0 litros pode parecer modesta para um grande SUV de quase 2,2 toneladas, o torque máximo de 49 m.kgf entre 1.750 e 2.250 rpm o desmente: é comparável ao das picapes a diesel na faixa de 2,8 a 3,2 litros. De acordo com a marca sueca, a aceleração de 0 a 100 km/h requer apenas 7,8 segundos e a velocidade máxima é de 230 km/h. Como referência, o motor T6 a gasolina oferece 40,8 m.kgf de 2.200 a 5.400 rpm e permite 0-100 em 6,5 s com a mesma máxima.

 

Por meio de sensores, câmeras e comando para aceleração, frenagem e volante, o XC90 pode conduzir a si mesmo a até 130 km/h: basta ao motorista manter as mãos no volante

 

Uma solução peculiar foi adotada para respostas mais rápidas ao acelerador: o Power Pulse. O ar admitido da atmosfera é comprimido em um depósito, por um pequeno compressor elétrico, e enviado ao coletor de escapamento quando se acelera o carro abaixo de 2.000 rpm em primeira ou segunda marcha. No coletor, o ar adicional contribui para fazer girar mais rápido a turbina e assim o compressor que impulsiona ar aos cilindros, uma forma de combater o retardo de atuação de turbo (turbo lag).

A outra novidade do XC90 2017 é a segunda geração do sistema Pilot Assist, recurso exclusivo na categoria. Por meio de sensores e câmeras que monitoram as faixas das vias e sistema de comando para aceleração, frenagem e movimentação do volante, o SUV pode conduzir a si mesmo em velocidades de até 130 km/h (antes era limitado a 50 km/h), bastando ao motorista manter as mãos no volante e ficar preparado para assumir em qualquer emergência. O sistema pode seguir as faixas de rolamento (que precisam estar bem sinalizadas) mesmo em curvas abertas e, como em qualquer controlador de velocidade ativo, mantém distância segura dos veículos adiante. O motorista reassume o comando ao usar um dos pedais, acionar o volante ou as luzes de direção.

 

Sofisticado, interior traz ampla tela nos instrumentos, áudio Bowers & Wilkins e ar-condicionado com quatro zonas; condução semiautônoma vai até 130 km/h

 

Como é tradição na Volvo, diversos outros dispositivos elevam os graus de segurança ativa e passiva. Se o motorista tentar uma conversão à frente de um veículo no sentido oposto, o XC90 detecta e freia. Se não observar a faixa de rolamento, o carro o alerta e exerce força no volante para tentar se manter na faixa. Se houver outro veículo, pedestre, ciclista ou mesmo grande animal na trajetória, o sistema de visão noturna detecta e os freios são acionados. Há ainda a profusão de bolsas infláveis e auxílios eletrônicos já comum no segmento.

 

 

O XC90 foi concebido com base na plataforma SPA (Scalable Product Architecture, arquitetura escalável de produtos), que serve a outros modelos médios e grandes da marca. Seu estilo não busca ousadia, mas uma elegância tradicional e duradoura — coerente com o sucessor de um modelo fabricado de 2002 a 2014 na Suécia e ainda em produção na China. O feixe de leds dos faróis, hoje marca da empresa, é conhecido como “martelo de Thor”.

O interior de sete lugares esbanja sofisticação, com revestimentos de alto padrão em couro, alumínio e madeira — de verdade, não imitação — e detalhes bem elaborados, como se espera nessa faixa de mercado. O espaço interno é bastante amplo. Quando não em uso, os bancos da terceira fileira podem ser escamoteados para ampliar a capacidade de bagagem. Mesmo configurado para sete ocupantes, resta um volume útil de 350 litros.

Próxima parte

 

Sete lugares em um ambiente dos mais confortáveis e seguros do mercado; na tela de 9 pol surgem áudio, câmeras de 360° e assistente para estacionar

 

Versões, preços e equipamentos

XC90 D5 Momentum (R$ 369.950) – Alarme volumétrico, alerta de colisão frontal, ar-condicionado automático de quatro zonas, assistente de estacionamento paralelo e perpendicular, assistente de faixa de rolamento, assistente de partida em aclive e declive, bancos dianteiros com regulagem elétrica, memória, aquecimento e extensão elétrica; bolsas infláveis laterais dianteiras e cortinas, câmera traseira de manobras, chave com função memória, chave presencial para acesso e partida do motor, configurador de modo de condução, controlador de velocidade e distância à frente, controle de frenagem em descida, controle elétrico de vidros com função um-toque, controle eletrônico de estabilidade, tração e anticapotamento, cortina para-sol nas portas traseiras, faróis de leds com comutação automática e facho autodirecional, faróis de neblina de leds, fixação Isofix de cadeira infantil, limpador de para-brisa e faróis automáticos, monitor de pressão dos pneus, quadro de instrumentos digital com 12,3 pol, revestimento em couro, rodas de alumínio de 19 pol, sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, sistema City Safety CFA II de frenagem automática com visão noturna, sistema de áudio de 330 watts com 10 alto-falantes, tampa traseira com abertura e fechamento elétricos, tela central tátil de 9 pol, teto solar panorâmico elétrico.

XC90 D5 Inscription (R$ 419.950) – Como no Momentum, mais alertas de colisão traseira, de trafego lateral e de ponto cego, bancos com ventilação, bancos dianteiros com apoio lateral elétrico, bancos traseiros com aquecimento, câmeras com visão em 360 graus, navegador, projeção de informações no para-brisa, rodas de alumínio de 20 pol, sistema de áudio Bowers & Wilkins de 1.400 watts com 19 alto-falantes, suspensão com molas a ar e controle eletrônico de amortecimento.

Próxima parte