Peugeot 2008 é bom de dirigir, mas com restrições

Peugeot 2008 Griffe THP

 

Conforto ao rodar, desempenho e itens de conforto são destaques;
câmbio automático e sua falta no THP, os pontos críticos

Texto: Fabrício Samahá – Fotos: divulgação

 

Começou com o Honda HR-V, prosseguiu com o Jeep Renegade e completa-se agora com o Peugeot 2008 a ofensiva nacional no segmento de utilitários esporte compactos, que promete tirar a tranquilidade do Ford Ecosport — líder de vendas da categoria — e do Renault Duster. Em questão de poucas semanas, o interessado em um modelo do segmento terá 150% mais opções de produção local que antes, com diferentes alternativas de motor, tração, câmbio e estilo para atender a qualquer tipo de demanda.

O 2008, assim como o HR-V, não se interessa pelo nicho de mercado que exige tração integral — ou mesmo motor a diesel, por enquanto exclusivo do Renegade. Tem uma proposta mais urbana e usa como grande diferencial o motor mais potente da classe, o THP Flex de 1,6 litro com turbocompressor e injeção direta, que obtém potência de 165 cv com gasolina e 173 com álcool e será oferecido apenas com câmbio manual de seis marchas. A outra opção é o 1,6 aspirado, também flexível, com 115/122 cv, associado a câmbio manual de cinco marchas ou automático de apenas quatro.

 

Peugeot 2008 Griffe THP 03
Peugeot 2008 Griffe THP 04
 
O estilo é certamente um dos atributos do 2008; rodas de
alumínio de 16 pol e faróis elipsoidais equipam toda a iinha

 

A resposta à pergunta que não quer calar — por que não o THP automático? — envolve limitações da plataforma de carros compactos, a mesma do 208, da qual o 2008 foi derivado: de acordo com a Peugeot, falta espaço físico para o motor turbo e uma caixa automática de seis marchas, conjunto que também não existe na Europa. A fábrica diz que pode estudar tal implantação se houver demanda. Nosso palpite é de que já esteja em preparo: seria um erro primário demais não perceber a demanda do mercado por esse tipo de câmbio na faixa de preço da versão.

 

O interior segue o do 208, com quadro
de instrumentos elevado, mas
tem freio de mão em forma de manche

 

Por ora, haverá cinco opções de 2008: Allure manual e automática, Griffe manual e automática (todas com o motor aspirado) e Griffe THP manual (confira os preços e equipamentos de cada uma no quadro abaixo). A garantia é de três anos sem limite de quilometragem. A fábrica espera alcançar a venda mensal de 1.000 unidades quando atingir produção normal, com 70% de versões automáticas. Embora já esteja nas concessionárias para teste dia 11 de abril, o carro começa a ser entregue em meados de maio.

Apresentado no Salão de Pequim de 2012 como conceito (chamado de Urban Crossover) e meses depois no de Paris já com a denominação oficial, o 2008 está à venda na Europa desde meados de 2013. Assim como o Ecosport deriva do Fiesta, a Peugeot partiu da plataforma do 208 para desenhar o utilitário. Seu estilo é atraente, com detalhes originais como os recortes dos faróis (que usam refletor elipsoidal no facho baixo) e das lanternas traseiras e um aplique sobre as janelas das portas de trás que simula um vidro mais alto, embora só eleve o teto nas laterais. As rodas são de alumínio de 16 polegadas em todas as versões.

 

Peugeot 2008 Griffe THP 09

 

Peugeot 2008 Griffe THP 18
Peugeot 2008 Griffe THP 19
Peugeot 2008 Griffe THP 20
 
Recortes nos faróis e lanternas compõem o desenho do novo
Peugeot; versões Griffe trazem teto com área envidraçada

 

Comprimento de 4,16 metros, largura de 1,73 m e distância entre eixos de 2,54 m deixam o 2008 entre os menores da classe nas diversas dimensões. O Renegade mede 4,23/1,80/2,57 m; o Ecosport, 4,24/1,76/2,52 m (estepe considerado); o Chevrolet Tracker, 4,25/1,77/2,55 m; o HR-V, 4,29/1,77/2,61 m; e o Duster, 4,31/1,82/2,67 m. O compartimento de bagagem para 355 litros supera os de Renegade (260) e Tracker (306), equivale-se ao do Ecosport (362) e perde para os de HR-V (431) e Duster (475 litros).

 

 

O interior segue o padrão do 208, com o peculiar quadro de instrumentos elevado, visualizado por cima do volante pequeno e ligeiramente ovalado, e a tela sensível ao toque de 7 pol em posição alta na parte central com funções de sistemas de áudio, navegação, telefonia por interface Bluetooth, computador de bordo e configurações. Mas o 2008 tem também recursos próprios como a alavanca do freio de estacionamento em forma de manche, que está longe de ser prática: requer esforço acima do normal para acionar e liberar o freio.

Inédito é o aplicativo My Peugeot, para IOS e Android, que permite receber via Bluetooth informações da central no telefone celular, como autonomia, consumo, distância e tempo dos trajetos realizados, o itinerário indicado no navegador e quanto falta para a próxima revisão do carro. O teto envidraçado (fixo) tem forro interno com controle elétrico que veda boa parte do sol, mas não todo. No painel, modelos com câmbio manual trazem ícone de sugestão para trocas de marcha, tanto para cima quanto para baixo, que pode até mesmo recomendar um pulo — de terceira para quinta, por exemplo.

 

Peugeot 2008 Griffe THP 14
Peugeot 2008 Griffe THP 12
 
Interior segue o do 208, com instrumentos lidos sobre o volante de
pequeno diâmetro; bancos do Griffe têm amplo apoio lateral

 

O acabamento da versão Griffe — não havia a Allure na apresentação à imprensa — agrada aos olhos, apesar dos plásticos rígidos, com bom aspecto de materiais e um discreto tom marrom no painel e na seção central de tecido do revestimento dos bancos. O motorista encontra facilmente uma boa posição e os bancos oferecem amplos apoios laterais. O espaço traseiro não é dos maiores: bom para pernas, razoável para cabeças, muito limitado em largura para três pessoas. O estepe fica sob o assoalho do porta-malas e usa pneu de 15 pol, diferente dos outros. Incomoda no Allure a falta de banco bipartido.

 

Motores conhecidos, câmbio superado

Os motores do 2008 são conhecidos de outros modelos do grupo PSA Peugeot Citroën. Ambos são de 1,6 litro com quatro válvulas por cilindro e variação de tempo de abertura das válvulas, mas pertencem a famílias distintas. O EC5 de aspiração natural é o mesmo de 208 e 308, além de modelos Citroën, enquanto a versão flexível do THP estava, até agora, restrita ao C4 Lounge. Os índices de potência e torque variam muito pouco em relação aos carros que já o usavam (veja na ficha técnica) e criam grande intervalo entre as versões, bem maior que o existente no Ecosport e no Duster entre os motores de 1,6 e 2,0 litros.

Próxima parte

 

Versões, equipamentos e opcionais

 

Peugeot 2008 Allure 01Allure (à esquerda): vem de série com bolsas infláveis frontais e laterais dianteiras, cintos de três pontos para os cinco ocupantes, freios antitravamento (ABS) com distribuição eletrônica entre os eixos (EBD) e assistência adicional em emergências, faróis e luz traseira de neblina, repetidores das luzes de direção nos retrovisores, ar-condicionado automático de duas zonas de ajuste, sistema de áudio com tela sensível ao toque de sete polegadas e navegação, interface Bluetooth para celular, volante regulável em altura e distância com comandos de áudio, porta-luvas refrigerado, sensores de estacionamento na traseira, controlador e limitador de velocidade, computador de bordo, temporizador de faróis, rodas de alumínio de 16 pol e alarme volumétrico. No caso de câmbio automático, inclui comandos no volante para trocas manuais de marcha. Preços: R$ 67.190 com câmbio manual e R$ 70.890 com o automático.

Griffe (à direita): os mesmos itens da Allure, mais bolsas infláveis do tipo cortina, terceiro encosto de cabeça traseiro, teto envidraçado, bancos esportivos revestidos em couro e tecido, acionamento automático de faróis e limpador de para-brisa, sensores de estacionamento dianteiros, banco traseiroPeugeot 2008 Griffe 02 bipartido, rodas com face externa usinada e detalhes estéticos. Preços: R$ 71.290 com câmbio manual e R$ 75 mil com o automático.

Griffe THP: além do motor diferenciado, acrescenta ao conteúdo da Griffe controle eletrônico de estabilidade e tração com sistema de ajuste Grip Control, auxílio para saída em rampa, acendimento de um dos faróis de neblina para iluminar curvas e pedais esportivos. Preço: R$ 79.590, apenas com câmbio manual.

• Acessórios: serão oferecidos em concessionárias itens separados e pacotes, que abrangem pedais e soleiras de porta em alumínio, adesivos, módulo isotérmico com capacidade de 16 litros, central multimídia com TV digital e espelhamento de celular, câmera traseira para manobras, suporte de bicicletas no teto, engate de reboque com ponteira removível, levantamento de vidros e fechamento da cortina do teto com função um-toque e seu fechamento automático total quando o veículo é trancado.

Estão disponíveis as cores vermelha (sólida), branca, cinza, marrom e preto (metálicas) e branca perolizada.

Próxima parte