Fiat Cronos não é anti-Virtus, mas um bom anti-Prisma

Se não saiu à altura do novo VW, o sedã do Argo mostra atributos suficientes para combater Prisma e HB20S

Texto: Fabrício Samahá e Geraldo Tite Simões – Fotos: divulgação

 

Depois do ano do hatch, a vez do sedã: foi assim com a Volkswagen, que apresentou em janeiro o Virtus, derivado do novo Polo, e agora é assim com a Fiat, que complementa o lançamento do Argo em maio passado com o Cronos. A diferença é que o novo sedã da marca italiana é fabricado em Córdoba, na Argentina, enquanto o hatch sai de Betim, MG (a alemã faz ambos os modelos em São Bernardo do Campo, SP).

Além do Virtus, estão na mira da Fiat competidores como Chevrolet Prisma e Cobalt, Ford Ka e Fiesta sedãs, Hyundai HB20S, Nissan Versa, Renault Logan, Toyota Etios sedã e Volkswagen Voyage. O Cronos deixa de lado o motor menos potente do hatch — o de 1,0 litro e três cilindros — para oferecer os outros dois: no caso do Fiat, o Firefly de 1,35 litro, duas válvulas por cilindro e potência de 101/109 cv para as versões básica e Drive e o E-Torq de 1,75 litro, quatro válvulas por cilindro e 135/139 cv (sempre na ordem gasolina/álcool) para o acabamento Precision.

O Drive pode vir com caixa manual ou a automatizada monoembreagem GSR-Comfort, ambas de cinco marchas; o Precision oferece a manual de cinco e uma automática de seis com conversor de torque (confira equipamentos, opcionais e preços no quadro abaixo). Embora o Cronos seja o sucessor natural do Grand Siena lançado em 2012, eles conviverão por tanto tempo quanto o mercado desejar.

 

A Fiat fez um bom trabalho no perfil, que não parece adaptado do Argo; na frente, grade e para-choque mudaram para conferir identidade ao Cronos

 

Se a VW optou por alongamento expressivo da distância entre eixos do hatch para fazer seu sedã, a Fiat manteve no Cronos a medida do Argo (2,52 metros), rompendo o hábito seguido do Punto para o Linea e do Palio para o Grand Siena. Assim, todo o aumento de 36 centímetros se dá no balanço traseiro, que deixa o sedã com 4,36 m de comprimento. Comparado ao Grand Siena, ele tem mais 7 cm nessa medida, 2,6 cm em largura e 1 cm em entre-eixos; a altura é quase igual.

 

Muito boa é a capacidade de bagagem do Cronos: 525 litros com excelente largura do vão de acesso, espaço superior aos de Prisma, Versa, HB20S e Ka sedã

 

O Cronos difere do Argo já na frente. Grade e para-choque foram refeitos para lhe dar identidade própria, com resultado algo discutível: nota-se certo excesso de vincos, arestas e detalhes para um sedã. Há um friso cromado ladeando o emblema da marca, a tomada de ar inferior mudou e os faróis de neblina foram mais para as extremidades. O perfil mostra uma linha harmoniosa, com queda suave do teto para a tampa do porta-malas curta e alta — não parece adaptação de hatch, embora pudesse ganhar em proporções com entre-eixos maior. As portas traseiras também são outras. Visto por trás, ele revela um bom trabalho de desenho. As lanternas usam leds, bem como as luzes de posição dianteiras, mas não há luzes diurnas.

Por dentro as formas do Argo foram mantidas. Estão lá a tela de 7 polegadas do sistema de áudio compatível com Android Auto e Apple Car Play (ausente apenas da versão básica), a faixa decorativa do painel, a boa posição de dirigir. O Precision tem volante ajustável também em distância; nos demais, só em altura. Seria melhor se o banco apoiasse mais as coxas e os pedais ficassem menos deslocados à direita — nota-se mais com caixa manual. No caso do Drive GSR o console se resume a botões, sendo a seleção manual de marchas feita pelos comandos no volante, a exemplo do Precision com caixa automática.

 

Versão Drive tem motor de 1,35 litro, fixações Isofix e monitor de pneus; o Cronos básico repete seu conteúdo, mas a tela de 7 pol no painel dá lugar a um rádio simples

 

Entre os itens de conveniência, disponíveis conforme a versão, estão ar-condicionado automático, câmera traseira de manobras, chave presencial para acesso e partida, controlador de velocidade, duas tomadas USB, faróis e limpador de para-brisa automáticos, luzes de cortesia para o piso externo, monitor de pressão de pneus com indicação individual, para-brisa com faixa degradê, quadro de instrumentos com múltiplas informações em tela de 7 pol, retrovisores externos com rebatimento elétrico (e função no direito para mostrar a guia quando se engata marcha à ré) e retrovisor interno fotocrômico. A partida a frio dispensa tanque de gasolina.

 

 

A citada opção por manter o entre-eixos deixa o Cronos em desvantagem perante o Virtus no espaço para pernas no banco traseiro: é o mesmo do Argo, típico de carros compactos. Por outro lado, a acomodação para dois adultos está adequada e ele oferece cerca de 7 cm a mais em largura útil para esses passageiros que Prisma e HB20S.

Muito boa é a capacidade de bagagem: 525 litros (ante 300 do Argo) com excelente largura do vão de acesso. Na categoria, oferecem mais espaço Cobalt (563) e Etios (562), enquanto os de Logan (510), Prisma (500), Voyage (480), Fiesta (465), Versa (460), HB20S (450) e Ka (445 litros) são menores. O Virtus (521) fica equilibrado, assim como o Grand Siena (520 litros). Como é praxe hoje, os braços da tampa ocupam espaço quando fechada e podem amassar a bagagem.

Próxima parte

 

Versões, preços e equipamentos

Cronos 1,35 manual (R$ 54 mil) – Ar-condicionado, banco do motorista com ajuste de altura, cintos de três pontos para todos os ocupantes, controle elétrico de vidros dianteiros e travas, direção assistida elétrica, fixação Isofix para cadeira infantil, monitor de pressão dos pneus, rádio com interface Bluetooth, volante regulável em altura.

• Cronos Drive 1,35 manual (R$ 56 mil) – Idem ao básico, mais sistema de áudio Uconnect com tela de toque de 7 pol e integração a Android Auto e Apple Car Play.  Opcionais:  alarme, banco traseiro bipartido, câmera traseira de manobras, controle elétrico de vidros traseiros, faróis de neblina, retrovisores com ajuste elétrico e luzes de direção, rodas de alumínio de 15 pol, sensor de estacionamento traseiro.

 

Áudio com tela de 7 pol e integração a celular são de série, exceto no básico; Precision pode vir com ar-condicionado, faróis e limpadores automáticos

 

Cronos Drive 1,3 GSR (R$ 61 mil) – Como o Drive manual, mais apoio de braço para o motorista, assistente de saída em rampa, caixa automatizada com comandos de marchas no volante, controlador de velocidade, controle elétrico de vidros traseiros e retrovisores, controle eletrônico de estabilidade e tração, parada/partida automática de motorOpcionais: os mesmos do manual, excluídos os que são itens de série.

Cronos Precision 1,75 manual (R$ 63 mil) – Como o Drive manual, mais alarme antifurto, assistente de saída em rampa, banco traseiro bipartido, controle elétrico de vidros traseiros e retrovisores, controle de estabilidade e tração, faróis de neblina, luzes de posição de leds, rodas de alumínio de 16 pol, sensor de estacionamento traseiro, volante regulável em distância.  Opcionais: ar-condicionado automático, bancos de couro, bolsas infláveis laterais, câmera traseira, chave presencial, faróis e limpadores automáticos, retrovisor  fotocrômico, rodas de alumínio de 17 pol.

Cronos Precision 1,75 AT6 (R$ 70 mil) – Como o Precision manual, mais apoio de braço para o motorista, caixa automática de seis marchas com comandos no volante, controlador de velocidade, volante revestido em couro. Opcionais: como o manual.

• Garantia: três anos sem limite de quilometragem, com opção de extensão pelo programa Mopar Vehicle Protection.

• Cores: branco Banchisa, preto Vulcano e vermelho Alpine (sólidas), prata Bari, cinza Scandium, preto Vesúvio e vermelho Marsala (metálicas) e branco Alaska (perolizada).

Próxima parte