Q7, Range Rover e XC90: valem quanto pesam?

Q7 x Range Rover x XC90

Seis toneladas e R$ 1,5 milhão em SUVs com muito conforto e tecnologia, um híbrido e dois a diesel: qual o melhor?

Texto e fotos: Fabrício Samahá

 

Foi-se o tempo em que sedãs eram os carros de alto luxo por definição: os grandes utilitários esporte (SUVs), com seu porte intimidador e sua aptidão para blindagem, tomaram muito de seu espaço entre os que podem ter — ou ser designados para usar — um veículo que sai da fábrica com etiqueta de preço ao redor de meio milhão de reais.

Nesse seleto mercado existem marcas tradicionais como a Range Rover, que em 1970 criou o tipo de veículo — então mais modesto em requinte e potência, é verdade. E há fabricantes de ingresso mais recente na classe como a Volvo, que em 2002 lançou seu XC90, e a Audi, que começou em 2005 com o Q7. Para esta edição especial de 20 anos do Best Cars, colocamos os três lado a lado.

 

 

No caso do sueco, optamos pela versão T8 Twin Engine de mecânica híbrida, que havia despertado especial interesse dos leitores ao ser lançada em março. Embora o alemão (de origem, pois é feito na Eslováquia) e o britânico ainda não ofereçam essa opção no mercado brasileiro, ambos dispõem de unidades turbodiesel, uma alternativa mais favorável ao meio ambiente quanto à emissão de gás carbônico (CO2) que a gasolina.

Apesar das diversas soluções técnicas, há certa semelhança nos “Ps” de nossos confrontos. Têm a mesma proposta de uso: utilitários esporte com muito espaço, conforto e segurança para a família, nobres o bastante para substituir um sedã no transporte executivo, preparados o suficiente para encarar uma estrada de terra até o sítio ou uma praia, não importa se houver chovido.

 

Q7
Q7
Range Rover
Range Rover
XC90
XC90

 

Audi Q7 Ambition TDI Range Rover Vogue Black Volvo XC90 Inscription T8
5,05 m 5,00 m 4,95 m
3,0 litros, turbodiesel 3,0 litros, turbodiesel 2,0 litros, turbo, compressor e motor elétrico
258 cv 258 cv 407 cv
R$ 475.490 R$ 590.950 R$ 479.950
Preços sugeridos para os carros avaliados, com possíveis opcionais

 

São similares em porte, ao redor de cinco metros de comprimento com quase 3 m de distância entre eixos. O maior nas duas dimensões, o Q7, supera o menor XC90 por 10 cm em comprimento e o Vogue em 7 cm no entre-eixos. Contraste importante há em potência: o Volvo dispõe de 320 cv no quatro-cilindros de 2,0 litros com turbo e compressor e alcança 407 cv com a ajuda do elétrico, enquanto os oponentes se limitam a 258 cv nos V6 a diesel de 3,0 litros.

 

 

Em preço, o mais barato (barato?) é o Q7 Ambition, que começa em R$ 417 mil com esse motor e passa a R$ 475,5 mil com os opcionais do carro avaliado. O XC Inscription T8 vem em pacote fechado por valor bem próximo, R$ 480 mil. A alternativa mais próxima a eles na linha Range Rover seria o Sport HSE 3,0 turbodiesel, a R$ 467,6 mil, mas o único modelo a diesel que a marca tinha para avaliação era o Vogue Black, de R$ 591 mil (sem opcionais no carro avaliado).

Três utilitários esporte muito sofisticados, generosos em tecnologia e desempenho, que somam potência acima de 900 cv, peso além de seis toneladas e preço de mais de R$ 1,5 milhão. Qual reúne os melhores atributos? Logo saberemos.

Próxima parte

 

Próxima parte