Equinox, Compass, Sportage e 3008: SUVs de R$ 150 mil

Mais ousados como o Peugeot ou convencionais como o Jeep, são quatro SUVs de desenho atraente; no Kia nota-se inspiração no Porsche Macan

 

Concepção e estilo

O Sportage existe desde 1993 e está na quarta geração, lançada em 2015 no exterior — todas elas foram vendidas no Brasil. Apenas a primeira seguia o conceito de jipe, com chassi separado, eixo traseiro rígido e caixa de transferência na transmissão. Desde a segunda, os sul-coreanos adotaram o padrão construtivo de utilitário esporte urbano, com monobloco, suspensão traseira independente e opção de tração integral sem reduzida.

 

 

Mais novo, o Compass surgiu em 2007 na linha norte-americana da Jeep e foi oferecido aqui sem sucesso, até que a FCA escolhesse o nome para seu terceiro produto de Goiana em 2016. O Equinox apareceu em 2005 nos Estados Unidos e teve duas gerações antes da atual, lançada no ano passado. E o 3008, lançado em 2009 como minivan “aventureira”, assumiu de vez o formato de utilitário esporte nesta segunda geração de 2016.

São quatro belos SUVs, disso não há dúvida. Os mais ousados Chevrolet e Peugeot impressionam ao vivo, o primeiro pela esportividade das formas longilíneas, o segundo pela sensação de robustez e os detalhes criativos. O Kia também agrada bastante, com linhas esportivas que não escondem a inspiração no Porsche Macan em alguns pontos. Embora mais simples no estilo, o Compass não fica atrás: é equilibrado, agradável e com tendência a ser duradouro.

O Equinox tem o melhor coeficiente aerodinâmico (Cx) declarado, 0,336, contra 0,35 do Compass e do Sportage (o do 3008 não é fornecido).

 

Interiores bem-acabados e com posição de dirigir bem definida; no Peugeot, a solução peculiar dos instrumentos lidos por cima do volante compacto

 

Conforto e conveniência

Os interiores são agradáveis aos olhos e ao tato, com bancos de couro e plásticos bem escolhidos, alguns de toque suave. Peculiares e de bom gosto no 3008 são os apliques no painel e nas portas com aspecto de brim, mas lisos, enquanto o Equinox usa inserções de couro. Ambos têm leds para iluminação de cortesia em vários pontos. O Peugeot adota a segunda versão do conceito de quadro de instrumentos elevado, lido por cima de um volante pequeno e ovalado. Os comandos do tipo interruptor combinam com o ambiente futurista, embora não sejam muito intuitivos.

 

O 3008 usa como mostradores uma tela que pode operar em três modos; comodidade restrita a Compass e Equinox é o assistente de estacionamento

 

Seus mostradores são uma tela configurável que pode operar em três modos: normal (velocímetro e conta-giros que simulam analógicos), mínimo (apenas velocímetro digital, bom para viagens noturnas) e pessoal, que pode ser ajustado para mostrar computador de bordo e termômetro de óleo, entre outras funções. Além do bom efeito visual, é um conjunto fácil de ler, mas sempre se estranha o conta-giros invertido. Na versão superior disponível na Europa, a tela admite toque e mais configurações.

Os outros têm instrumentos comuns e bem legíveis. No Compass e no Equinox o mostrador digital inclui termômetro de diversos fluidos, voltímetro e pressão de pneus, a que o Chevrolet acrescenta manômetro de óleo e a distância em segundos até o veículo adiante (você se surpreenderia em constatar como, no dia a dia, raramente conseguimos manter os dois segundos recomendados sem que outros entrem à nossa frente). O computador de bordo completo e com duas medições, neles e no 3008, supera em muito o do Sportage, que nem mesmo indica consumo — falha inaceitável.

 

Espaço na traseira é destaque do Equinox; no Compass, mais conforto ao ocupante central

 

O motorista acomoda-se bem nos quatro carros em um banco espaçoso e com apoios laterais bem definidos. Há ajuste elétrico (também no do passageiro em Sportage e 3008), que inclui apoio lombar (para ambos no Peugeot). Equinox e 3008 trazem duas memórias de posição; o francês tem ainda ajuste manual do apoio das coxas, item em que o Chevrolet poderia ser melhor. Dos volantes bem desenhados e reguláveis, é curioso que o Jeep tenha aro espesso — na certa, intencional para dar sensação de veículo robusto — e o Kia bem o contrário.

 

 

Os sistemas de áudio mostram alta qualidade sonora, com destaque para os sons graves no Compass; trazem as conexões habituais (USB, auxiliar e Bluetooth) e integram-se a telefone celular por Android Auto e Apple Car Play. Nenhum tem toca-CDs. As telas sensíveis ao toque medem 8,4 polegadas no Compass, 8 pol no Equinox e no 3008 e 7 pol no Sportage. Apenas o 3008 vem sem navegação, que depende do celular. No Equinox há nada menos que quatro tomadas USB.

Um inconveniente do Peugeot é exigir toques na tela para comandar o áudio e até regular o ar-condicionado, o que deveria ser revisto: requer mais atenção e torna-se um problema em pisos irregulares aos quais esses carros se propõem. Os demais oferecem comandos físicos redundantes aos da tela. Os comandos de áudio atrás do volante do Jeep e do Chevrolet são estranhos a quem não está habituado.

 

Sportage e 3008 têm ajuste elétrico também para o banco do passageiro da frente

 

Comodidade restrita a Compass e Equinox é o assistente de estacionamento, que os coloca em vagas paralelas ou perpendiculares ao tráfego. Por vir acompanhado de sensores em 360 graus, o sistema facilita também manobras nas quais não seja acionado. Entre as câmeras externas, o 3008 mostra a traseira em três modos de vista (aproximada, de 180 graus e superior) e oferece a visão de cima, ideal para acompanhar obstáculos nas laterais. O Sportage tem câmera traseira simples e, como o Peugeot, sensores de estacionamento à frente e atrás.

Todos os carros trazem alertas para uso de cinto (a todos os ocupantes em Equinox e 3008), para porta mal fechada (indica qual delas) e para veículo em ponto cego nas faixas laterais, apoios de braço centrais à frente e atrás, ar-condicionado automático de duas zonas com difusor para o banco traseiro, chave presencial para acesso ao interior e partida do motor, comando automático para faróis e limpador de para-brisa, comando do bocal de tanque integrado à trava central (enfim em um Peugeot), controlador de velocidade, espelhos iluminados nos para-sóis, monitor de pressão dos pneus, quatro luzes de leitura, rebatimento elétrico de espelhos externos, retrovisor interno fotocrômico e teto solar panorâmico de deslocamento externo e com controle elétrico também do forro.

Próxima parte