Fiat Toro em dose dupla enfrenta Renault Oroch

As versões Freedom de 1,75 e 2,4 litros da picape da Fiat, comparadas entre si e à adversária da Renault

Texto e fotos: Fabrício Samahá

 

Em pouco mais de um ano, mudou tudo no mercado nacional para quem busca uma picape de médio porte. Nada existia entre as pequenas (Fiat Strada, VW Saveiro) e as médias com chassi (Chevrolet S10, Toyota Hilux, etc.) até setembro de 2015, quando a Renault inovou com a Duster Oroch. Como as menores, ela tinha plataforma de automóvel e dimensões coerentes com o uso nas grandes cidades; como as maiores, oferecia quatro portas convencionais em uma cabine espaçosa.

O reinado da Oroch, porém, foi breve. Em fevereiro seguinte a Fiat respondia com a Toro, maior, com desenho moderno e dotada de transmissão automática desde a versão de entrada com motor flexível. A Renault contra-atacava em junho com o mesmo tipo de caixa para sua picape, que tinha a vantagem do melhor desempenho — não se considere aqui a Toro turbodiesel, que compete em outra faixa de preço.

 

Toro 1,75
Toro 1,75
Toro 2,4
Toro 2,4
Duster Oroch
Duster Oroch

 

Fiat Toro Freedom 1,75 Fiat Toro Freedom 2,4 Renault Duster Oroch Dynamique
4,92 m 4,92 m 4,69 m
1,75 litro 2,4 litros 2,0 litros
135/139 cv 174/186 cv 143/148 cv
R$ 88.628 R$ 112.685 R$ 85.780
Preços públicos sugeridos, em reais, para os carros avaliados, com possíveis opcionais

 

Cenário definido? Nada disso: em novembro passado a Fiat lançava o motor Tigershark de 2,4 litros para a Toro, mais potente que o da adversária, associado a uma caixa automática de nove marchas. Foram tantas novidades consecutivas que o comprador pode estar com uma grande indecisão. Para acabar com ela, o Best Cars colocou a Oroch lado a lado com as duas Toros — a de 1,75 e a de 2,4 litros —, todas com transmissão automática e tração apenas dianteira.

Como elas estão nos quatro “Ps” que definem nossos comparativos?

 

 

Equivalem-se em proposta de uso: picapes de cabine dupla e quatro portas com vocação variada, aptas ao trânsito urbano, viagens e tráfego fora de estrada sem grandes exigências. Em porte, a Toro mede 22 centímetros a mais em comprimento e 16 cm a mais em distância entre eixos que a Oroch: apesar das diferenças consideráveis, ainda são as únicas opções intermediárias do mercado entre as pequenas e as médias tradicionais.

Com potência de 143 cv com gasolina e 148 com álcool, o motor de 2,0 litros da Renault fica pouco acima do 1,75 da Fiat (135/139 cv), mas bem aquém do 2,4 (174/186 cv). Enfim, em preço a grande rivalidade é mesmo entre a Oroch Dynamique (R$ 80,6 mil com caixa automática e R$ 85,8 mil como avaliada) e a Toro Freedom 1,75 (que parte de R$ 84,6 mil com tal transmissão e custava R$ 88,6 mil com os opcionais da nossa). Mas vale compará-las à versão de 2,4 litros da Fiat (preço básico de R$ 98,7 mil; como avaliada, R$ 112,7 mil) para saber até que ponto vale pagar mais por atributos como desempenho superior.

Próxima parte