Ecosport vs. 2008: aventura e descanso ao pé esquerdo

Dois utilitários esporte de linhas atuais, derivados de hatches pequenos, mas com ar mais “aventureiro” no Ford e urbano no Peugeot

 

Concepção e estilo

Já na segunda geração, o Ecosport surgiu em 2012 sobre a plataforma do Fiesta para suceder o longevo modelo de 2003. Foi desenhado pela Ford brasileira dentro de um projeto global, ao contrário do antecessor, que foi apenas adaptado aqui a partir do Fusion europeu. Por sua vez, o 2008, derivado da arquitetura do 208, ganhou as ruas da Europa em 2013 e as brasileiras no ano passado.

Seus desenhos são modernos e harmoniosos, mas com restrições. O Ecosport tem para-lamas dianteiros altos demais e o estepe externo destoa das linhas mais atuais, parecendo adaptado — o que, curiosamente, não acontecia com a primeira geração, esta sim com o elemento acrescentado no Brasil. No 2008 são controversos os ressaltos laterais do teto, acentuados por um aplique cromado e que não têm utilidade (a seção central do teto segue a mesma altura da parte dianteira).

 

Interior mais convencional no Ecosport, que usa plásticos simples e bancos de couro

 

Apenas a Peugeot informa o coeficiente aerodinâmico (Cx) de seu carro, um razoável 0,35 (utilitários são desfavorecidos nesse aspecto pela grande altura do solo). Os painéis de carroceria de ambos mostravam vãos mais regulares que nas unidades avaliadas no passado, mas no Ford permanece a quinta porta com má estamparia, recortes irregulares e vãos excessivos.

 

Bom recurso do 2008 é o áudio com tela tátil de 7 pol: apesar dos comandos por voz, o Ecosport recorre ao nada prático sistema Sync

 

Conforto e conveniência

A Peugeot foi criativa no posto do motorista do 2008 — assim como no 208 — com o volante pequeno e um pouco ovalado, sobre o qual se leem os mostradores do painel em posição mais elevada e distante: uma boa ideia do ponto de vista de deixá-los mais próximos do campo visual de quem dirige. Seu acabamento geral equivale-se ao do Ecosport, com plásticos rígidos, mas de bom aspecto. O Freestyle Plus traz bancos revestidos de couro (vêm em tecido no Freestyle básico), e o Griffe, combinação de couro e tecido.

Embora alguns relatem dificuldade para se ajustar ao 2008, pois não se vê os instrumentos por dentro do volante como na maioria dos carros, a nosso ver é simples encontrar nele uma posição confortável. O assento agrada mais que o do Ecosport (que parece apoiar mais a região central e deixar as coxas sem sustentação adequada), mas a favor deste está o apoio lombar mais confortável e com regulagem. Ambos têm volante ajustável em altura e distância, pedais bem colocados e reclinação do encosto por alavanca em pontos predefinidos. O pé esquerdo obtém melhor apoio no 2008.

 

O 2008 foi mais criativo nos instrumentos elevados; os bancos usam couro e tecido

 

A grafia congestionada deixa os instrumentos do Peugeot menos legíveis, compensado em parte pelo repetidor digital do velocímetro. Os do Ford, mais simples, favorecem a leitura. No 2008 o computador de bordo oferece duas medições e há termômetro do líquido de arrefecimento, itens ausentes do rival. A iluminação dos dois é permanente em cor branca.

 

 

Bom recurso do Griffe é o sistema de áudio com tela sensível ao toque de sete polegadas para fácil navegação pelos dispositivos. Apesar de oferecer comandos por voz para áudio e telefone, o Ecosport recorre à pequena tela do nada prático sistema Sync, que desafia o usuário para operações simples como passar à próxima pasta de arquivos de músicas. Ambos têm conexões USB e auxiliar, interface Bluetooth para telefone celular, comandos no volante e qualidade de áudio mediana; só o Ford traz toca-CDs.

Os dois carros trazem equipamentos convenientes como alarme antifurto volumétrico (ultrassom), alerta para uso do cinto, comutador de facho dos faróis de puxar (a nosso ver é o arranjo mais prático), controlador de velocidade, mostrador da temperatura externa, porta-luvas refrigerado (todo automóvel deveria ter) e sensores de estacionamento na traseira com mostrador gráfico.

 

No Ford, melhores encostos dianteiros e mais espaço vertical para os passageiros

No Peugeot, assento mais confortável na frente; difusores de ar são muito baixos

 

Entre os detalhes favoráveis ao Ecosport estão ajuste de inclinação do encosto do banco traseiro, alerta programável para excesso de velocidade, apoio central de braço na frente, controle elétrico de vidros com função um-toque para todos (só para o do motorista no concorrente) e comando a distância para abrir e fechar, luzes de leitura dianteiras, para-brisa com faixa degradê, para-sol direito com espelho iluminado, porta-óculos no teto e tomada de 12 volts junto ao banco traseiro.

O 2008 responde com acionamento automático de faróis e limpador de para-brisa, ar-condicionado automático de duas zonas de ajuste, limitador de velocidade, maior espaço para objetos no console central, navegador integrado, sensores de estacionamento também na frente e teto com ampla área envidraçada e forro com acionamento elétrico — que, no entanto, precisaria isolar melhor o sol e seu calor como faz o do 308.

Próxima parte