Desafio: Argo e Ka confrontam o renovado Sandero CVT

Argo
Ka
Sandero

Bons instrumentos com computador de bordo; centrais de áudio com tela ampla e integração a celular; Sandero tem maior espaço de bagagem, seguido por Argo

 

Motor e desempenho
Os motores variam entre o 1,5 litro do Ka e o 1,75 do Argo, sempre com quatro válvulas por cilindro e variação do tempo de abertura. O Fiat oferece mais potência e torque, seguido pelo Ford — o 1,6 do Renault tem menos cv. Boa surpresa no Ka é a suavidade de operação, sobretudo por ter três cilindros, o que em geral resulta em oscilações (os demais são regulares nesse aspecto). Ele é também o mais silencioso.

 

 

O teste apontou desempenhos parecidos, com o Ka geralmente à frente, mas apenas 0,4 segundo entre o mais rápido e o mais lento para acelerar de 0 a 100 km/h. O Sandero compensa no peso e na eficiência da CVT sua menor potência, enquanto o Argo anula sua vantagem pela massa adicional.  Neste o acelerador incomoda, com um retardo de resposta e então atuação maior que a esperada.

 

Argo
Ka
Sandero

 

Peso elevado anula a vantagem de potência e torque do Fiat, que tem desempenho próximo ao dos rivais em aceleração e retomada, além de consumir mais

 

A nova transmissão caiu muito bem ao Sandero: no uso moderado em cidade e rodovia ela mantém rotação baixa e constante, o que favorece a economia, e ao acelerar mais forte simula seis marchas para variar o ruído do motor, como muitos preferem. As três caixas obtêm operação suave (a do Ka um pouco menos) e respondem bem ao acelerador, mas só o Ford oferece programa esportivo: sem ele, apenas o Argo obtém freio-motor adequado em descidas e na condução rápida. No Ka a força de tração com carro parado é excessiva, um desconforto nas paradas. Mudanças manuais podem ser feitas em todos. O Fiat traz comandos no volante para elas e, como o Renault, traz um canal lateral na alavanca, melhor que o botão em seu pomo usado pelo Ford.

 

A transmissão CVT caiu muito bem ao Sandero: mantém rotação baixa e constante, o que favorece a economia, e ao acelerar mais forte simula seis marchas

 

Consumo
Os leves Ka e Sandero, este ajudado pela transmissão, foram bem mais econômicos: entre 12,9 e 14 km/l de gasolina nos trajetos mais brandos, nos quais o Argo não chegou a 12 km/l. O Renault consumir menos que o Ford na cidade, embora pouco mais em rodovia, demonstra como a CVT é mais eficiente quando se tem mudanças frequentes de velocidade.

Comportamento dinâmico
Temos aqui dois carros com maior altura de rodagem que o normal: o Sandero CVT, que segue o padrão do Stepway, e o Ka Freestyle. Só que o resultado foi bem melhor no Ford, que obteve ótima estabilidade sem prejuízo do conforto, chegando a superar a versão Titanium em absorção de pequenos impactos. Já o Renault ganhou amortecedores firmes, sobretudo na distensão dos traseiros, talvez para manter o bom comportamento com a maior altura. Isso penaliza seu conforto em certas situações, como lombadas, comparado ao Sandero comum.

 

Argo
Ka
Sandero

Boa atuação das caixas automáticas; a CVT do Sandero simula seis marchas com acelerador mais aberto; comandos de trocas no volante vêm só no Argo

 

O Argo, por sua vez, tem o rodar mais macio dos três e comportamento adequado, sem chegar ao brilho do Ka. Vale notar que os três usam pneus comuns de asfalto, não de uso misto. Controle eletrônico de estabilidade e tração equipa todos, assim como freios corretos. Em direção, a assistência elétrica de Argo e Ka a deixa bem mais leve em manobras que a eletro-hidráulica do Sandero, mas a do Fiat ganha peso acima do ideal em curvas ao dirigir rápido.

 

 

Segurança passiva
O Sandero evoluiu em proteção dos ocupantes para 2020: ganhou de série bolsas infláveis laterais dianteiras (que o Ka tem, mas não o Argo), encosto de cabeça e cinto de três pontos para o passageiro central traseiro e fixação Isofix para cadeira infantil, itens que também estão nos rivais. Fiat e Ford ofereciam mais bolsas infláveis nessas versões (laterais no primeiro e de cortina no segundo), mas foram descartadas para redução de custos.

 

Argo
Ka
Sandero

 

Todos têm faróis de neblina, mas só o Sandero usa luzes diurnas; Ka e Argo mostram melhor acerto para a suspensão, que no Renault perdeu em conforto

 

Custo-benefício
Embora tenha o menor preço básico, o Argo precisa receber opcionais para oferecer itens que nos outros são de série, como câmera traseira, central de áudio, controlador de velocidade, rodas de alumínio e sensores de estacionamento traseiros. Com os pacotes necessários (não todos os disponíveis), ele supera o Ka em R$ 3.900 e o Sandero em R$ 6.800 e ainda não tem bolsas infláveis laterais. Entre o Ford e o Renault há equilíbrio de conteúdo, com alguns itens a favor de cada um.

Sem considerar preço, o Ka e o Sandero acumulam um ponto a mais nas notas que o Argo. Quando o valor é levado em conta, a situação favorece o mais barato Renault e agrava-se para o Fiat, que não oferece atributos para justificar o alto preço. Assim, embora as prioridades de cada comprador devam sempre ser consideradas, em relação custo-benefício e na média geral o renovado Renault termina este Desafio à frente.

Mais Avaliações

 

Nossas notas

Argo Ka Sandero
Estilo 4 4 3
Acabamento e conveniência 4 3 3
Posto do motorista 4 3 3
Espaço interno 3 3 4
Porta-malas 3 2 4
Motor e desempenho 4 4 4
Consumo 2 4 4
Comportamento dinâmico 4 5 3
Segurança passiva 3 4 4
Custo-benefício 2 3 4
Média 3,3 3,5 3,6
Posição 3°. 2º. 1º.
As notas vão de 1 a 5, sendo 5 a melhor; conheça nossa metodologia

 

Desempenho e consumo

Argo Ka Sandero
Aceleração
0 a 100 km/h 11,7 s 11,3 s 11,5 s
0 a 120 km/h 16,5 s 16,5 s 16,8 s
0 a 400 m 18,6 s 17,9 s 17,9 s
Retomada*
60 a 100 km/h 6,8 s 7,1 s 6,8 s
60 a 120 km/h 11,3 s 12,3 s 12,2 s
80 a 120 km/h 8,6 s 8,7 s 9,4 s
Consumo
Trajeto leve em cidade 11,5 km/l 13,8 km/l 14,0 km/l
Trajeto exigente em cidade 5,8 km/l 7,0 km/l 7,7 km/l
Trajeto em rodovia 11,9 km/l 13,3 km/l 12,9 km/l
Testes com gasolina; *reduções automáticas; melhores resultados em negrito; conheça nossos métodos de medição

 

Ficha técnica

Argo Ka Sandero
Motor
Posição transversal transversal transversal
Cilindros 4 em linha 3 em linha 4 em linha
Comando de válvulas no cabeçote duplo no cabeçote duplo no cabeçote
Válvulas por cilindro 4, variação de tempo 4, variação de tempo 4, variação de tempo
Diâmetro e curso 80,5 x 85,88 mm 84 x 90 mm 78 x 83,6 mm
Cilindrada 1.747 cm³ 1.497 cm³ 1.597 cm³
Taxa de compressão 12,5:1 12:1 10,7:1
Alimentação injeção multiponto sequencial
Potência máxima (gas./álc.) 135/139 cv a 5.750 rpm 128/136 cv a 6.500 rpm 115/118 cv a 5.500 rpm
Torque máximo (gas./álc.) 18,8/19,3 m.kgf a 3.750 rpm 15,6/16,1 m.kgf a 4.750 rpm 16,0 m.kgf a 4.000 rpm
Transmissão
Tipo de caixa e marchas automática, 6 automática, 6 aut. de variação contínua, simulação de 6 marchas
Tração dianteira dianteira dianteira
Freios
Dianteiros a disco ventilado a disco ventilado a disco ventilado
Traseiros a tambor a tambor a tambor
Antitravamento (ABS) sim
Direção
Sistema pinhão e cremalheira pinhão e cremalheira pinhão e cremalheira
Assistência elétrica elétrica eletro-hidráulica
Suspensão
Dianteira independente, McPherson, mola helicoidal
Traseira eixo de torção, mola helicoidal
Rodas
Dimensões 5,5 x 15 pol 6 x 15 pol 16 pol
Pneus 185/60 R 15 185/60 R 15 205/55 R 16
Dimensões
Comprimento 3,998 m 3,954 m 4,07 m
Largura 1,724 m 1,695 m 1,73 m
Altura 1,507 m 1,57 m 1,57 m
Entre-eixos 2,521 m 2,49 m 2,59 m
Capacidades e peso
Tanque de combustível 48 l 52 l 50 l
Compartimento de bagagem 300 l 257 l 320 l
Peso em ordem de marcha 1.264 kg 1.135 kg 1.140 kg
Desempenho e consumo (gas./álc.)
Velocidade máxima 189/191 km/h ND 174/177 km/h
Aceleração de 0 a 100 km/h 11,1/10,4 s ND/11,2 s 11,0/11,0 s
Consumo em cidade 10,1/7,1 km/l 11,1/7,4 km/l ND
Consumo em rodovia 13,2/9,5 km/l 13,2/9,4 km/l ND
Dados dos fabricantes; consumo conforme padrões do Inmetro; ND = não disponível