Com preço e conteúdo, JAC T5 quer sua fatia dos SUVs

Como anda o o utilitário compacto da chinesa, que estreia com motor 1,5 e bons equipamentos

Texto: Fabrício Samahá e Edison Ragassi – Fotos: divulgação

 

De olho no lucrativo segmento de utilitários esporte, a chinesa JAC Motors traz ao Brasil seu segundo modelo do gênero: o T5, menor que o T6 e apresentado ao público no Salão de São Paulo de 2014. Embora o Best Cars já o tivesse dirigido em uma pré-apresentação em dezembro daquele ano, só agora em março começam as vendas.

O T5 estreia em versão única com três pacotes de equipamentos e preços entre R$ 60 mil e R$ 69 mil (veja os conteúdos e valores no quadro abaixo). Todas vêm com motor flexível de 1,5 litro, quatro válvulas por cilindro e potência de até 127 cv associado a caixa manual de seis marchas — uma transmissão automática de variação contínua, CVT, será oferecida a partir de agosto. No próximo ano ele começa a ser produzido em Camaçari, BA.

Com 4,33 metros de comprimento e 2,56 m de distância entre eixos, o T5 posiciona-se na concorrida faixa de Ford Ecosport, Honda HR-V, Jeep Renegade e Renault Duster, entre outros (o T6, embora tenha preço competitivo com eles, está no segmento de Hyundai IX35 em termos de tamanho). Seu desenho combina partes harmoniosas, como a traseira, a outras nem tanto, caso da exagerada grade dianteira. A vista de perfil, com a frente comprida e retilínea, talvez seja seu ponto fraco.

 

Estilo do T5 agrada de traseira, mas perfil é estranho; os faróis são elipsoidais

 

O ambiente interno mostra materiais simples e desenho elaborado em itens como o quadro de instrumentos e os puxadores das portas. Um destaque é o sistema de entretenimento do pacote superior, dotado de tela sensível ao toque de oito polegadas, conexões USB e HDMI e entrada para cartão de memória SD. Com a função para espelhar a tela de um telefone celular compatível, podem-se usar pelo painel aplicativos como Waze, Facebook e e-mail.

 

A transmissão foi calculada para conforto e economia em velocidade de viagem: a 120 km/h em sexta são 2.800 rpm

 

Outros bons itens são ajuste elétrico de altura do facho dos faróis, comandos de áudio e telefone no volante, computador de bordo, encosto de cabeça e cinto de três pontos para todos os ocupantes, faixa degradê no para-brisa, faróis elipsoidais com leds para luz diurna, fixações para cadeira infantil em padrão Isofix, monitor de pressão dos pneus e porta-óculos no teto. Controle eletrônico de estabilidade consta dos dois pacotes superiores, mas ficaram de fora controlador de velocidade, bolsas infláveis laterais e de cortinas (todos oferecidos na China) e ajuste do volante em distância, comum na concorrência.

Embora a capacidade de bagagem declarada (600 litros) impressione, a JAC tem o hábito de medi-la até o teto, um padrão comum nos Estados Unidos, mas não aqui. É possível estimar entre 350 e 400 litros para o espaço sob a cobertura divisória, dentro da média da categoria.

 

Acabamento simples, espaço na média, bancos de couro no terceiro pacote

 

Boa potência, mas só em alta

Já conhecido dos modelos J3 S e J5, o motor do T5 é um 1,5-litro com duplo comando, quatro válvulas por cilindro e variação de tempo de abertura de válvulas, além de preaquecimento de álcool para partida a frio. Como naqueles automóveis, sua potência (125 cv com gasolina e 127 com álcool, ou seja, 84,7 cv/litro no segundo caso) impressiona mais que o torque de 15,5/15,7 m.kgf (na ordem). Novidade em relação aos modelos citados é a transmissão de seis marchas, com a última bem longa para favorecer a economia.

Com peso de 1.210 kg, a fábrica anuncia desempenho interessante, como aceleração de 0 a 100 km/h em 10,8 segundos, e índices de consumo que lhe permitiram nota A pelos padrões do Inmetro (veja na ficha técnica). Espera-se incômodo pela autonomia do tanque de apenas 45 litros ao usar álcool: caberia aumento para o mercado nacional. O restante do conjunto mecânico segue fórmulas comprovadas como a suspensão traseira por eixo de torção — não é independente como habitual nos JACs — e os freios a disco também na traseira.

 

 

No evento de lançamento pudemos dirigir o T5 por 60 quilômetros entre a capital paulista e Bertioga, no litoral sul de São Paulo, a maior parte em rodovia. O novo JAC revelou qualidades como bancos confortáveis, volante bem desenhado e instrumentos em boa posição. Fica uma ressalva para sua iluminação (em branco), que os deixa um pouco escuros: rodar com lanternas acesas melhora a visualização.

O espaço para os passageiros não foge à regra da categoria: cabem quatro adultos de porte médio, mas falta largura para três pessoas atrás. A visibilidade dianteira é algo prejudicada pelas colunas, mas a traseira é realmente crítica, com vidros de perfil baixíssimo e colunas extremamente largas — a câmera que ameniza o problema, ao menos em manobras de ré, está restrita ao pacote de topo.

 

Motor de 127 cv pede alta rotação; porta-malas de 600 litros é medido até o teto

 

Com torque máximo em alta rotação (4.000 rpm) e peso expressivo, o T5 consegue desenvoltura apenas mediana: é preciso trabalhar bem com a caixa para manter o motor “esperto”. Felizmente a transmissão tem comando macio e preciso e foi calculada para conforto e economia em velocidade de viagem: a 120 km/h em sexta marcha o motor gira a moderadas 2.800 rpm. Nas imperfeições do asfalto a suspensão atende bem e proporciona conforto sem ser macia em excesso; nas curvas o utilitário passa segurança.

Pelo que a JAC havia demonstrado em 2014, a versão com caixa CVT permitirá seleção manual de seis “marchas virtuais” por toques na alavanca para frente e para trás. Será a primeira transmissão automática oferecida pela marca no Brasil e, sem dúvida, um elemento importante para a aceitação do T5 nos grandes centros, cada dia mais congestionados.

Pelo que oferece no momento, o segundo utilitário esporte da JAC em terras nacionais agrada pela evolução do conjunto comparado aos outros modelos da marca. Sua relação entre preço e conteúdo é interessante e, com cinco anos de presença no mercado, a empresa já começa a sedimentar uma imagem por aqui. Pode ser um modelo decisivo para reerguer a marca, hoje chinesa, em breve sino-brasileira.

Mais Avaliações

 

Versões, preços e equipamentos

JAC T5
JAC T5

Entretenimento com tela de 8 pol espelha celular, mas só vem no Pack 3

T5 Pack 1 (R$ 60 mil): abertura interna do porta-malas e do tanque de combustível, alarme antifurto, ar-condicionado automático, banco do motorista com ajuste de altura, banco traseiro bipartido 60/40, cintos de três pontos e encostos de cabeça para os cinco ocupantes, computador de bordo, controle elétrico de vidros/travas/retrovisores, faróis com regulagem elétrica de altura e acendimento automático, fixação de cadeira infantil em padrão Isofix, freios com sistema antitravamento (ABS) e assistência adicional em emergência, monitor de pressão dos pneus, sensores de estacionamento traseiros, volante ajustável em altura.

T5 Pack 2 (R$ 65 mil): o mesmo do Pack 1, mais assistente de saída em rampa, barras no teto, controle eletrônico de estabilidade e tração, faróis de neblina e luz traseira, rodas de alumínio de 16 pol.

T5 Pack 3 (R$ 69 mil): o mesmo do Pack 2, mais bancos revestidos em couro, câmera traseira de manobras, sistema de entretenimento com tela de 8 pol.

 

Ficha técnica

Motor
Posição transversal
Cilindros 4 em linha
Comando de válvulas duplo no cabeçote
Válvulas por cilindro 4, variação de tempo
Diâmetro e curso 75 x 84,8 mm
Cilindrada 1.499 cm³
Taxa de compressão 10:1
Alimentação injeção multiponto sequencial
Potência máxima (gas./álc.) 125/127 cv a 6.000 rpm
Torque máximo (gas./álc.) 15,5/15,7 m.kgf a 4.000 rpm
Transmissão
Tipo de câmbio e marchas manual, 6
Tração dianteira
Freios
Dianteiros a disco ventilado
Traseiros a disco
Antitravamento (ABS) sim
Direção
Sistema pinhão e cremalheira
Assistência elétrica
Suspensão
Dianteira independente, McPherson, mola helicoidal
Traseira eixo de torção, mola helicoidal
Rodas
Dimensões 16 pol
Pneus 205/55 R 16
Dimensões
Comprimento 4,325 m
Largura 1,765 m
Altura 1,66 m
Entre-eixos 2,56 m
Capacidades e peso
Tanque de combustível 45 l
Compartimento de bagagem 600 l (até o teto)
Peso em ordem de marcha 1.210 kg
Desempenho e consumo
Velocidade máxima 194 km/h
Aceleração de 0 a 100 km/h 10,8 s
Consumo em cidade 9,6/6,8 km/l
Consumo em rodovia 12,2/8,2 km/l
Dados do fabricante; consumo conforme padrões do Inmetro