A3 Sedan vs. Civic Si: esportividade a escolher

Com pesos semelhantes, o torque bem mais alto e a rapidez das mudanças da caixa de dupla embreagem favorecem as acelerações do Audi (esquerda)

 

Desempenho e consumo

São dois carros rápidos, que emocionam pela velocidade, mas o A3 se sai melhor em todas as medições de aceleração e retomada. Era uma vitória esperada, pois ele soma mais potência, torque muito superior e uma transmissão muito rápida nas mudanças a um peso semelhante ao do Civic.

No “GP de 0 a 100 km/h” o Audi fica 1,2 segundo à frente, com 7,1 ante 8,3 s, uma superioridade que vai aumentado conforme cresce a velocidade. De 0 a 160 km/h, medição que fazemos apenas com carros potentes (nossa pista é curta), já são 4,4 s de dianteira. A Honda não divulga a velocidade máxima do Si, mas é pouco provável que alcance a de 250 km/h informada pela marca alemã. Ajudaria o Civic ter mais sobra de rotação entre o pico de potência (7.000 rpm) e o corte de giros ao redor de 7.200. O A3 pode ser levado até 6.600 rpm com a caixa em modo manual.

Embora as diferentes transmissões não permitam a comparação ideal de retomadas, vale registrar que o Audi em operação automática foi sempre mais rápido que o Honda com suas mudanças manuais. Efetuamos cada medição do Si em três diferentes marchas para avaliar a elasticidade do motor, que surpreendeu: em geral, ele não requer tanto tempo a mais em quinta que em quarta ou em terceira (influi, é claro, o escalonamento bem fechado dessa caixa; veja as velocidades por 1.000 rpm na ficha técnica, abaixo).

Por fim, o consumo do Civic mostrou-se mais baixo nos trajetos urbanos, e o do A3, no rodoviário, ambos com marcas interessantes para carros de seu porte e desempenho. A vantagem do Audi pode ser atribuída à caixa bem mais longa (900 rpm a menos em sexta a 120 km/h) e ao motor turbo. Na cidade as marchas curtas não afetam tanto o Si, pois o motorista pode trocá-las em rotação mais baixa.

 

Medições Best Cars

A3 Civic
Aceleração
0 a 100 km/h 7,1 s 8,3 s
0 a 120 km/h 8,9 s 11,2 s
0 a 160 km/h 15,7 s 20,1 s
0 a 400 m 15,2 s 16,8 s
Retomada
60 a 100 km/h (3ª. ou D) 5,4 s 5,9 s
60 a 100 km/h (4ª.) 8,0 s
60 a 100 km/h (5ª.) 9,3 s
60 a 120 km/h (3ª. ou D) 7,1 s 8,2 s
60 a 120 km/h (4ª.) 10,4 s
60 a 120 km/h (5ª.) 14,7 s
80 a 120 km/h (3ª. ou D) 4,9 s 5,8 s
80 a 120 km/h (4ª.) 7,6 s
80 a 120 km/h (5ª.) 8,9 s
Consumo
Trajeto leve em cidade 11,9 km/l 12,8 km/l
Trajeto exigente em cidade 6,5 km/l 7,5 km/l
Trajeto em rodovia 13,0 km/l 12,6 km/l
Autonomia
Trajeto leve em cidade 536 km 576 km
Trajeto exigente em cidade 293 km 338 km
Trajeto em rodovia 586 km 567 km
Testes efetuados com gasolina; melhores resultados em negrito; conheça nossos métodos de medição

 

 

Dados dos fabricantes

A3 Civic
Velocidade máxima 250 km/h ND
Aceleração de 0 a 100 km/h 6,9 s ND
Consumo em cidade 10,8 km/l ND
Consumo em rodovia 12,8 km/l ND
Consumo de gasolina conforme padrões do Inmetro; ND = não disponível

 

Motores atuais, de ampla aplicação nas marcas, são usados aqui em versões de alta potência específica

 

Comentário técnico

• O motor do Civic é da série K24, iniciada em 2002 no utilitário esporte CR-V com 160 cv e aplicada ao Si pela primeira vez em 2012 nos Estados Unidos. Com alterações em comando de válvulas (dotado de duas árvores e variação de tempo de abertura e de levantamento), escapamento e taxa de compressão, ele obtém potência superior e alcança regimes mais altos nesta aplicação esportiva.

• No A3 está a unidade EA-888 do grupo Volkswagen, em uso desde 2008 e produzida em variadas configurações desde então, dos 180 cv do sedã A4 aos 300 cv do Golf R. Ao contrário da VW, a Audi emprega o sistema Valvelift para variar o levantamento das válvulas de admissão, recurso que aumenta sua eficiência (saiba mais). São usados dois sistemas de injeção, direto e indireto (multiponto sequencial), cada um operando em determinadas condições. A injeção direta atua na partida do motor e em condições de maior demanda de torque, como ao abrir todo o acelerador. A indireta é usada em cargas parciais, ou seja, quando se pisa menos no pedal.

• Recursos em comum entre os dois modelos são o uso de corrente para levar movimento do virabrequim aos comandos de válvulas e o emprego de árvores de balanceamento, que anulam vibrações. Mas o Honda adota bloco de alumínio, preferível ao ferro fundido do Audi em termos de peso e dissipação de calor. Apenas no A3 há parada/partida automática.

• A transmissão S-Tronic (como a Audi denomina sua versão da DSG da Volkswagen) do A3 de 2,0 litros usa embreagens em banho de óleo, como no Golf GTI e no Jetta TSI de mesma cilindrada, solução empregada pelo grupo nesses motores de maior torque. Além da robustez, outra vantagem em relação à de embreagens a seco, que equipava os A3 importados de 1,4 e 1,8 litro, é terem cessado os ruídos em piso irregular.

• Nessa versão mais potente a Audi preservou a suspensão traseira independente multibraço, que no A3 1,4 deu lugar a um mais simples eixo de torção (previsto no projeto da plataforma na Europa, onde equipa versões a diesel do modelo). Similar em conceito à do Civic, ela permite à Engenharia acertar com maior precisão o posicionamento das rodas em cada condição de uso para, a título de exemplo, conter a tendência de sair de traseira ao se cortar a aceleração em curvas.

 

Ficha técnica

  A3 Civic
Motor
Posição transversal
Cilindros 4 em linha
Material do bloco/cabeçote ferro fundido/alumínio alumínio
Comando de válvulas duplo no cabeçote
Válvulas por cilindro 4, variação de tempo e levantamento
Diâmetro e curso 82,5 x 92,8 mm 87 x 99 mm
Cilindrada 1.984 cm³ 2.354 cm³
Taxa de compressão 9,6:1 11:1
Alimentação injeções direta e multiponto sequencial, turbocompressor, resfriador de ar injeção multiponto sequencial
Potência máxima 220 cv de 4.500 a 6.200 rpm 206 cv a 7.000 rpm
Torque máximo 35,7 m.kgf de 1.500 a 4.400 rpm 23,9 m.kgf a 4.400 rpm
Potência específica 110,9 cv/l
Transmissão
Tipo de caixa e marchas automatizada de dupla embreagem, 6 manual, 6
Relação e velocidade por 1.000 rpm
1ª. 2,92 / 9 km/h 3,27 / 8 km/h
2ª. 1,79 / 14 km/h 2,04 / 12 km/h
3ª. 1,14 / 22 km/h 1,43 / 18 km/h
4ª. 0,78 / 32 km/h 1,07 / 24 km/h
5ª. 0,80 / 43 km/h 0,83 / 30 km/h
6ª. 0,64 / 54 km/h 0,65 / 39 km/h
Relação(ões) de diferencial 4,77 e 3,44* 4,76
Regime a 120 km/h 2.200 rpm (6ª.) 3.100 rpm (6ª.)
Regime à vel. máx. informada 5.750 rpm (5ª.) ND
Tração dianteira
* 4,77 para 1ª. a 4ª. marchas; 3,55 para 5ª. e 6ª. marchas
Freios
Dianteiros a disco ventilado (ø ND) a disco ventilado (300 mm ø)
Traseiros a disco (ø ND) a disco (259 mm ø)
Antitravamento (ABS) sim
Direção
Sistema pinhão e cremalheira
Assistência elétrica
Diâmetro de giro 10,9 m 11,3 m
Suspensão
Dianteira independente, McPherson, mola helicoidal
Traseira independente, multibraço, mola helicoidal
Estabilizador(es) dianteiro e traseiro
Rodas
Dimensões  17 pol 18 pol
Pneus 225/45 R 17 225/40 R 18
Dimensões
Comprimento 4,456 m 4,55 m
Largura 1,796 m 1,755 m
Altura 1,416 m 1,415 m
Entre-eixos 2,637 m 2,62 m
Bitola dianteira ND 1,50 m
Bitola traseira ND 1,52 m
Coeficiente aerodinâmico (Cx) 0,30 ND
Capacidades e peso
Tanque de combustível 50 l 50 l
Compartimento de bagagem 425 l 331 l
Peso em ordem de marcha 1.320 kg 1.359 kg
Relação peso-potência 6,0 kg/cv 6,6 kg/cv
Garantia
Prazo 2 anos sem limite de quilometragem 3 anos sem limite de quilometragem
Carro avaliado
Ano-modelo 2016 2015
Pneus Pirelli Cinturato P7 Continental Conti Sport Contact 5
Quilometragem inicial 6.500 km 6.000 km
Dados dos fabricantes; ND = não disponível
Próxima parte