Ford Ranger 2020 parece a mesma, mas evolui ao rodar

Com visual só retocado, picape ganhou assistências ao motorista e suspensão aprimorada sem aumento de preços

Texto: Kelvin Silva – Fotos: divulgação

 

Poucas mudanças de estilo, mas bons acertos em chassi e novidades em assistências ao motorista: assim é a Ranger 2020, que a Ford apresentou em Mendoza, na Argentina, para a imprensa do Chile, Peru, Argentina e Brasil. A marca se propôs a fazer melhorias desde a versão de entrada, a XL, até a de topo Limited sem cobrar nada a mais que pelos modelos 2019, o que torna relação custo-benefício mais favorável (veja preços e equipamentos no quadro abaixo).

 

 

As alterações de aparência concentram-se na frente, em que a grade perde a extensão cromada que invadia o para-choque. Este foi redesenhado, incluindo a seção dos faróis de neblina (veja o anterior). Na Limited os faróis ganham lâmpadas de xenônio no facho baixo — escolha incomum em um tempo em que os leds predominam —, mantendo as halógenas no facho alto. A traseira permanece como no lançamento da atual geração, em 2012, mas pensando no conforto foi aplicada uma barra de torção com propriedades elásticas na tampa da caçamba, para que a força exercida para fechar e abrir seja reduzida.

 

Grade dianteira menor, novo para-choque e faróis de xenônio são novidades frontais; versão Limited ganha interior em preto e mais recursos de assistência

 

No interior, que foi renovado há três anos, a única novidade é o tom preto em vez de cinza-grafite na versão de topo. Entretanto, a Ranger Limited recebe novas assistências que ampliam um pacote já inigualável na categoria. Item importante é o assistente de frenagem autônomo, que atua entre 5 e 80 km/h e auxilia o motorista no caso de se aproximar de um veículo (parado ou reduzindo velocidade) ou pedestre e detectar uma potencial colisão. Segundo a Ford, o sistema tem três níveis de atuação.

 

A suspensão mostrou bom resultado, com condução segura e confortável para o tipo de veículo e absorção de irregularidades que pareceu das melhores da classe

 

No primeiro, já presente no modelo anterior, pisca um ícone de alerta no painel e emite um sinal sonoro. Ao mesmo tempo, o sistema pré-carrega os freios para aumentar a força de parada quando o motorista pisar no pedal. Se o motorista não tomar nenhuma ação — e aí está a novidade para 2020 —, ele aciona automaticamente os freios para ajudar a evitar o impacto ou reduzir seus efeitos. A mesma versão agora traz leitura de placas de sinalização, que informa no painel o limite de velocidade, e monitor individual da pressão dos pneus (antes só alertava para perda em algum deles). O radar do controlador de distância foi aprimorado, assim como a resolução da câmera do para-brisa.

 

Suspensão recalibrada mostra bom conforto e atitude segura; versões XLS de 2,2 litros (embaixo à esquerda) e XLT de 3,2 litros (à direita) também evoluíram

 

Embora alguns mercados tenham recebido um novo motor biturbo a diesel de 2,0 litros com potência de 213 cv e torque de 51 m.kgf, associado a uma transmissão automática de 10 marchas, na Ranger fabricada na Argentina nada muda sob o capô. Com o fim da versão flexível em combustível de 2,5 litros pela baixa demanda, anunciado em maio, restam duas opções turbodiesel: de quatro cilindros e 2,2 litros com 160 cv e 39,2 m.kgf, aplicado às versões XL e XLS, e de cinco cilindros e 3,2 litros com 200 cv e 48 m.kgf, de série na XLT e na Limited. A XL vem sempre com transmissão manual e a XLS pode ter a automática de seis marchas, que é padrão nas versões superiores. A única Ranger comprável sem tração nas quatro rodas é a XLS.

 

 

Se os motores não se alteraram, a Ford retrabalhou o chassi com reforços às longarinas e a suspensão. Os conjuntos mola/amortecedor, estabilizadores e coxins foram recalibrados e agora existem duas opções de acerto, conforme a capacidade de carga. Essas novidades mostraram bom resultado em nossa avaliação na Argentina, permitindo uma condução segura e confortável para o tipo de veículo. A absorção de irregularidades, tanto em baixa velocidade quanto em alta, pareceu das melhores da categoria. De resto, a versão de 3,2 litros supera as expectativas quanto a desempenho, com um torque generoso no motor de cinco cilindros, suavidade para um turbodiesel e som de funcionamento agradável.

Mais Avaliações

 

Versões, preços e equipamentos

• Ranger XL 2,2 turbodiesel (R$ 132.320 com tração 4×4 e caixa manual) – Ajuste de altura do volante, ar-condicionado, assistentes de descida e de partida em rampa, assistente de frenagem de emergência, bolsas infláveis frontais e de joelhos para o motorista, chave canivete com controle remoto de travas e vidros, computador de bordo, controle eletrônico de estabilidade e tração, diferencial traseiro autobloqueante eletrônico, direção elétrica, fixação Isofix para cadeiras infantis,  rádio com conexão Bluetooth,  rodas de aço de 16 pol.

• Ranger XLS 2,2 turbodiesel (R$ 128.250 com tração 4×2 e caixa automática, R$ 147.520 com tração 4×4 e caixa manual e R$ 154.610 com 4×4 e automática) – Como a XL, mais ar-condicionado digital de duas zonas, bolsas infláveis laterais dianteiras e de cortina, câmera traseira de manobras, central de áudio Sync 3 com tela de 8 pol, faróis de neblina, instrumentos com telas configuráveis, rodas de alumínio de 17 pol.

Ranger XLT 3,2 turbodiesel (R$ 176.420 com tração 4×4 e caixa automática) – Como a XLS, mais bancos de couro, faróis e limpador de para-brisa automáticos, monitor individual de pressão dos pneus.

• Ranger Limited 3,2 turbodiesel (R$ 189 mil com tração 4×4 e caixa automática) – Como a XLT, mais assistentes de faixa e de faróis, chave presencial para acesso e partida, controlador de distância à frente, faróis baixos de xenônio, leitura de sinais de trânsito, rodas de 18 pol, sistema autônomo de frenagem com detecção de pedestres, tampa traseira com travamento elétrico.

 

Ficha técnica

Motor
Posição longitudinal
Cilindros 5 em linha
Comando de válvulas duplo no cabeçote
Válvulas por cilindro 4
Diâmetro e curso 89,9 x 100,8 mm
Cilindrada 3.198 cm³
Taxa de compressão 15,6:1
Alimentação injeção direta, turbocompressor, resfriador de ar
Potência máxima 200 cv a 3.000 rpm
Torque máximo 47,9 m.kgf de 1.750 a 2.500 rpm
Transmissão
Tipo de caixa e marchas automática, 6
Tração integral temporária
Freios
Dianteiros a disco ventilado
Traseiros a tambor
Antitravamento (ABS) sim
Direção
Sistema pinhão e cremalheira
Assistência elétrica
Suspensão
Dianteira independente, braços sobrepostos, mola helicoidal
Traseira eixo rígido, feixes de molas semielípticas
Rodas
Dimensões 8 x 18 pol
Pneus 265/60 R 18
Dimensões
Comprimento 5,354 m
Largura 1,86 m
Altura 1,848 m
Entre-eixos 3,22 m
Capacidades e peso
Tanque de combustível 80 l
Caçamba 1.180 l
Capacidade de carga 1.002 kg
Peso em ordem de marcha 2.261 kg
Desempenho e consumo
Consumo em cidade 8,5 km/l
Consumo em rodovia 10,1 km/l
Dados do fabricante para versão Limited; desempenho não disponível